Avaliação do rastreamento do câncer do colo do útero e sua periodicidade em um município de Santa Catarina

Autores

  • Griselda B. Trindade
  • Sandra A. Manenti Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Priscyla W. Simões Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Kristian Madeira Universidade do Extremo Sul Catarinense. Departamento de Medicina

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v50i1p1-10

Palavras-chave:

Neoplasias do Colo do Útero. Esfregaço Vaginal. Sondas de DNA de HPV. Epidemiologia

Resumo

Modelo do estudo: Estudo de Prevalência. Objetivo do estudo: Conhecer a prevalência dos resultados alterados dos exames preventivos para câncer do colo do útero e a sua regularidade na coleta. Metodologia: Estudo observacional, transversal e retrospectivo. Foram estudadas 3.425 mulheres usuárias do Sistema Único de Saúde e 9.436 exames citopatológicos de novembro de 2003 a janeiro de 2014. Resultados: A mediana da idade foi de 35 anos (25,0 - 46,0, percentil 25 a 75%). No primeiro exame citopatológico, 2,7% das mulheres apresentaram alterações em células epiteliais. As Células escamosas atípicas de significado incerto (ASC-US) (n=54; 1,7%) e as lesões intra-epiteliais de baixo grau (LIEBG) (n=24; 0,7%) foram as mais frequentes. Ao longo do período observado houveram 87 novas alterações citopatológicas, totalizando 173 exames alterados em 9.436 analisados. Quanto a regularidade, 58,5% pacientes repetiram a segunda coleta. Conclusões: Houve um perfil predominante de mulheres jovens, sendo o diagnóstico de ASC-US o mais frequente. A flora bacteriana mais frequente foi Lactobacillus principalmente em mulheres jovens

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Griselda B. Trindade
    Médica pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC)
  • Sandra A. Manenti, Universidade do Extremo Sul Catarinense
    Médica. Ginecologista e Obstetra. Mestre em Ciências da Saúde. Professora da (UNESC)
  • Priscyla W. Simões, Universidade do Extremo Sul Catarinense
    Doutora em Ciências da Saúde, Professora de Informática em Saúde na (UNESC). Professora do Programa de PósGraduação em Saúde Coletiva
  • Kristian Madeira, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Departamento de Medicina
    Professor de Bioestatística do Departamento de Medicina. Doutorando em Ciências da Saúde. Membro do laboratório de Epidemiologia. (UNESC)

Downloads

Publicado

2017-02-16

Edição

Seção

Artigo Original

Como Citar

1.
Trindade GB, Manenti SA, Simões PW, Madeira K. Avaliação do rastreamento do câncer do colo do útero e sua periodicidade em um município de Santa Catarina. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 16º de fevereiro de 2017 [citado 27º de maio de 2024];50(1):1-10. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/134993