Avanços no recrutamento e fidelização de doadores de sangue: um olhar crítico sobre o panorama brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.rmrp.2022.169997

Palavras-chave:

Serviço de hemoterapia , Doadores de sangue, Política pública, Sistema Único de Saúde, Bancos de sangue

Resumo

A crescente necessidade de métodos mais rígidos de segurança na transfusão sanguínea engendrou os bancos de sangue no Brasil. A transfusão aparece, então, como via alternativa para tratamento de patologias relacionadas ao sangue e aos seus componentes. A partir da aplicação de princípios altruístas, a doação de sangue tornou-se mais resistente pela sociedade, devido aos mitos e preconceitos. A aplicação de políticas públicas, dessa forma, tornaram-se mais evidentes para traçar o perfil social do doador de sangue, e o poder público passou a regulamentar, fiscalizar e controlar o uso racional de hemoderivados e hemocomponentes. Nesse sentido, os índices de doação de sangue no Sistema Único de Saúde (SUS) são resultados de diversos meios de interação tanto com o potencial doador quanto com o fidelizado, por intermédio de mídias digitais, palestras em centros escolares, simpósios, congressos e meios audiovisuais. Esse processo atrelou o recrutamento às peculiaridades dos potenciais doadores, promovido principalmente pelos profissionais da saúde. Surge a necessidade de aumentar, cada vez mais, tais medidas de modo a facilitar e flexibilizar o processo de doação, adaptando-o, assim, à realidade dessas pessoas, para amplificar o número de doadores fidelizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayara Leite Alves da Silva, Universidade Federal de Alagoas, Maceió (AL), Brasil

Mestranda em Ciências Médicas

Maykon Wanderley Leite Alves-da-Silva, Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, Maceió (AL), Brasil.

Acadêmico de Medicina

Luís Antonio Xavier Batista, Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, Maceió (AL), Brasil.

Acadêmico de Medicina

Referências

Freitas KBL. Coletar Sangue: um trabalho intenso e fundamental para garantir a vida. Dissertação (Mestrado em Ciências na área de Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2011.

Andrade F. Doação de sangue e compromisso com a vida. 2017. Disponível em: http://repositorio.asces.edu.br/bitstream/123456789/729/1/EDICAO-5--ANO-1-12-13-ok.pdf

Meireles M, Sanches C. ST-ODA: Strategic Trade-Off Decision Analysis–Processo de Tomada de Decisões Gerenciais multicritério subordinadas à vantagem competitiva. Faccamp. 2009.

Junqueira PC, Rosenblit J, Hamerschlak N. História da Hemoterapia no Brasil. Rev bras hematol hemoter. 2005; 27(3): 201-7.

Santos LAC, Moraes C, Coelho VSP. Os anos 80: a politização do sangue. Physis. 1992; 2(1): 107-49.

Brasil. Ministério da Saúde [online]. Técnico em Hemoterapia. Brasília: Ministério da Saúde; 2013 [citado 22 maio 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/tecnico_hemoterapia_livro_texto.pdf

Rodrigues RSM, Reibnitz KS. Estratégias de captação de doadores de sangue: uma revisão integrativa da literatura. Texto & Contexto Enferm. 2011; 20(2): 91-384.

Paim JS. A Constituição Cidadã e os 25 anos do Sistema Único de Saúde (SUS). Cad de Saúde Pública. 2013; 29(10).

Lopes ECS, Guedes CCP, Aguiar BGC. Estratégias para a captação de doadores de sangue difundidas na literatura. Rev. Acred. 2012; 2(4): 21-104.

Laval JM, Pinto ACS. O comportamento do consumidor no marketing social e anecessidade da doação de sangue: Hemocentro regional de Juiz de Fora/FundaçãoHemominas. Rev Ele Fac Met Gran. 2007.

Brasil. Agencia Nacional de Vigilância Sanitária [online]. Perfil do doador de sangue brasileiro. Brasília: Ministério da Saúde; 2004 [citado 22 maio 2020]. Disponível em: https://bvs.saude.gov.br/

Brasil. Secretária de Atenção à Saúde [online]. Caderno de informação: sangue e hemoderivados. Brasília: Ministério da Saúde; 2016 [citado 22 maio 2020]. Disponível em: https://bvs.saude.gov.br/

Silva MA. Terapia Cognitiva Comportamental: da teoria a prática. PsicoUSF. 2014; 19(1).

Beck JS. Terapia Cognitiva Comportamental: teoria e prática. 2ª Ed. Porto Alegre: Artmed; 2013: 412-3.

Ribeiro PBC. Eficácia da triagem clínica de doadores de sangue da Fundação HEMOPE como método preventivo de doenças transmitidas por transfusão [Dissertação de Mestrado em saúde coletiva- DMS/ UFPE]. 2004.

Bogmann IM. Marketing de relacionamento: estratégias de fidelização e suas implicações financeiras. 2000.

Colling IL, Costa CA, Righi RR. Um Modelo Ubíquo para Doação de Sangue baseado em Dispositivos Móveis. 2014.

Silva MO. Ritos e mitos: as representações sobre o sangue e sua doação [Tese de Doutorado]. 2017.

Brasil. Ministério da Saúde [online]. Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde. As causas sociais das iniquidades em saúde no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2008 [citado 22 maio 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/

Biadgo B, Melku M, Abebe SM, Abebe M. Hematological indices and their correlation with fasting blood glucose level and anthropometric measurements in type 2 diabetes mellitus patients in Gondar, Northwest Ethiopia. Diabetes Metab Syndr Obes. 2016; 9(91).

Ludwig ST, Rodrigues ACM. Doação de sangue: uma visão de marketing. Cad. Saúde Pública (online). 2005.

Godin G, Germain M. Predicting first lifetime plasma donation among whole blood donors. Transfusion. 2013; 53(5): 61-157.

Who Expert Group. Expert Consensus Statement on achieving self-sufficiency in safe blood and blood products, based on voluntary non-remunerated blood donation (VNRBD). Vox Sang. 2012; 103(4): 42-337.

Publicado

2022-07-04 — Atualizado em 2022-08-08

Como Citar

1.
Silva MLA da, Alves-da-Silva MWL, Batista LAX. Avanços no recrutamento e fidelização de doadores de sangue: um olhar crítico sobre o panorama brasileiro. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 8 de agosto de 2022 [citado 2 de outubro de 2022];55(2):e-169997. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/169997

Edição

Seção

Ponto de Vista
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)