Terapias aplicadas no tratamento das lesões por queimaduras de terceiro grau e extensão variável: revisão integrativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v53i4p456-463

Palavras-chave:

Curativos, Queimaduras, Terapias

Resumo

Lesões por queimaduras se apresentam como simples ou graves de acordo com sua profundidade, extensão e localização. Diversas terapias são lançadas no mercado, devendo prover um ambiente úmido, amplo aspecto antimicrobiano e serem efetivas, mesmo na presença de grande quantidade de exsudato, visando os benefícios que trarão para o processo de cicatrização. Neste sentido, este estudo objetivou revisar a literatura acerca da caracterização clínica e terapias aplicadas no tratamento das queimaduras de terceiro grau e de extensão variável. Para alcançar o objetivo proposto, foi realizada uma revisão integrativa da literatura nas bases de dados LILACS, BDENF e SciELO. Foram selecionados 17 artigos e os resultados apontaram que os curativos a base de prata são os mais utilizados, dentre eles, sulfadiazina de prata, prata nanocristalina e espuma absorvente. Para casos particulares mais complexos, a matriz de regeneração dérmica assume-se como uma alternativa eficaz e segura. A utilização da terapia por pressão negativa no tratamento da contratura cicatricial, muito presente nas lesões de terceiro grau, agrega como vantagem o fato de o paciente não precisar ficar imobilizado e imóvel após as cirurgias. Dentre as terapias inovadoras no tratamento de queimaduras, evidenciou-se o uso de enxerto da pele de tilápia, que foi citado por um estudo como um possível subproduto com alta aplicabilidade clínica. Ao longo do estudo foi possível concluir que os pacientes necessitam de uma assistência adequada desde os cuidados imediatos até o fim da reabilitação. Com o passar dos anos, inovações terapêuticas vêm sendo estudadas para serem implantadas no tratamento ao paciente queimado, entre elas a substituição de pele vem ganhando espaço pelos resultados positivos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

Lafaiete, C. Queimaduras: um problema atemporal e persistente. Portal PEBMED, 2019. Disponível em: https://pebmed.com.br/queimaduras-um-problema-atemporal-e-persistente/. Acesso em: 20 dez. 2019.

Brasil. Ministério da Saúde. Queimados, 2017. Disponível em: http://www.saude.gov.br/component/content/article/842-queimados/40990. Acesso em: 20 dez. 2019.

Morais IH, Daga H, Prestes MA. Crianças queimadas atendidas no Hospital Universitário Evangélico de Curitiba: perfil epidemiológico. Rev Bras Queimaduras. 2016; 15(4):256-260.

Rodrigues Júnior JL, Bastos NNA, Coelho PAS. Terapia ocupacional em queimados: pesquisa bibliográfica acerca da reabilitação física junto a indivíduos com queimaduras. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(1):11-17.

Moser H, Pereima RR, Pereima MJL. Evolução dos curativos de prata no tratamento de queimaduras de espessura parcial. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(2):60-67.

Trancoso KS, Reis CL, Lima JLT. A efetividade do uso de curativos a base de prata em queimaduras: uma overview. In: 2º International Nursing Congress, Good practices of nursing representations in the construction of society; 09-12 mai 2017; Aracaju. Sergipe(SE): Universidade Tiradentes (UNIT); 2017.

Felix DLS, Machado AKP, Silva ESC, Mendonça AEO, Dantas DV, Dantas RAN, et al. Cuidados de enfermagem a pacientes vítimas de ferimentos por queimaduras: revisão de literatura. Rev Feridas. 2015;2(12):448-452.

Hernández CMC, Núñes VP, Suárez FAP, Banqueris RF, Gil SRL, Machado AAB. Mortalidade por queimaduras em pacientes hospitalizados em Manzanillo-Cuba em 2015-2017. Rev Bras Queimaduras. 2018;17(2):8-13.

Montes SF, Barbosa MH, Neto ALS. Aspectos clínicos e epidemiológicos de pacientes queimados internados em um hospital de ensino. Rev Esc Enferm USP. 2011;45(2): 369-373.

Teodoro AL, Paiva VS. Perfil epidemiológico de pacientes queimados admitidos em um serviço terciário de Caxias do Sul-RS. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(2):108-111.

Duarte MLC, Lemos L, Zanini LN, Wagnes ZI. Percepções da equipe de enfermagem sobre o seu trabalho em uma unidade de queimados. Rev Gaúcha Enferm. 2012;33(1):77-84.

Freitas MS, Machado MM, Moraes RZC, Sousa AH, Aragão LHFB, Santos Junior RA, et al. Características epidemiológicas dos pacientes com queimaduras de terceiro grau no Hospital de Urgência de Sergipe. Rev Bras Queimaduras. 2015;14(1):18-22.

Silva MP, Silva CCS. O uso de tecnologias de curativos em grandes queimados e o tempo de hospitalização. Rev Gepesvida. 2019;5(11):30-38.

Moser HH, Pereima MJL, Soares FF, Feijó R. Uso de curativos impregnados com prata no tratamento de crianças queimadas internadas no Hospital Infantil Joana de Gusmão. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(3):147-153.

Costa Filho MAR, Ferreira RB, Nunes BB, Bortolucci GAP, Proto RS, Gozanno RN, et al. Tratamento ambulatorial de queimaduras com prata nanocristalina em malha flexível: uma alternativa terapêutica. Rev Bras Qvermaduras. 2012;11(4):226-229.

Moreira SS, Macedo AC, Nunes BB, Brasileiro FF, Guarizzo J, Gozanno R, et al. Implantação de nova tecnologia para otimização do atendimento em ambulatório de queimados, sem adição de custos. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(2):87-102.

Farina-Junior JA, Coltro PS, Oliveira TS, Correa FB, Castro JCD. Curativos de prata iônica como substitutos da sulfadiazina para feridas de queimaduras profundas: relato de caso. Rev Bras Queimaduras. 2017;16(1):53-57.

Ranjbar R, Takhtfooladi MA. The effects of low level laser therapy on Staphylococcus aureus infected third-degree burns in diabetic rats. Acta Cir Bras. 2016; 31(4):251-255.

Gomes MT, Campos GRS, Piccolo N, França CM, Guedes GH, Lopes F, et al. Experimental burns: Comparison between silver sulfadiazine and photobiomodulation. Rev Assoc Med Bras. 2017;63(1):29-34.

Campos DLP, Fragadolli LV, Gimenes GA, Ruiz RO, Orgaes FS, Gonella HA. Uso de curativo com prata nanocristalina sobre enxerto em malha em queimaduras colonizadas por cepas multirresistentes. Rev Bras Cir Plást. 2009;24(3):471-478.

Oliveira AF, Ferreira LM. Procedures in the care of hand burns in the acute phase. Rev Bras Cir Plást. 2017;32(2):245-251.

Guerra ACPCS, Antunes MPS, Ferreira JPA, Reis GMD. Queimadura com exposição óssea dos membros inferiores: reconstrução com matriz de regeneração dérmica. Rev Bras Cir Plást. 2011;26(1):174-180.

Aldunate JLCB, Vana LPM, Fontana C, Ferreira MC. Uso de matriz dérmica associado ao curativo por pressão negativa na abordagem da contratura em pacientes queimados. Rev Bras Cir Plást. 2012;27(3):369-373.

Miranda MJB, Brandt CT. Xenoenxerto (pele da Tilápia-do-Nilo) e hidrofibra com prata no tratamento das queimaduras de II grau em adultos. Rev Bras Cir Plást. 2019;34(1):79-85.

Lima-Junior EM, Picollo NS, Miranda MJB, Ribeiro WLC, Alves APNN, Ferreira GE, et al. Uso da pele de tilápia (Oreochromis niloticus), como curativo biológico oclusivo, no tratamento de queimaduras. Rev Bras Queimaduras. 2017;16(1):10-17.

Downloads

Publicado

2020-12-11

Edição

Seção

Artigo de Revisão

Como Citar

1.
Silva AV, Tavares DS, Tavares PAM, Santos CO. Terapias aplicadas no tratamento das lesões por queimaduras de terceiro grau e extensão variável: revisão integrativa. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 11º de dezembro de 2020 [citado 20º de maio de 2024];53(4):456-63. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/172357