OBESIDADE E SINTOMAS DE DEPRESSÃO, ANSIEDADE E DESESPERANÇA EM MULHERES SEDENTÁRIAS E NÃO SEDENTÁRIAS

Autores

  • Ana Paula Tosetto
  • Carlos A. Simeão Júnior Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Centro Universitário Moura Lacerda - Ribeirão Preto

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v41i4p497-507

Palavras-chave:

Obesidade. Sintomas Psíquicos. Atividade Física.

Resumo

O objetivo deste estudo de campo foi verificar se existe relação entre obesidade e sintomas de depressão, ansiedade e desesperança em 40 mulheres, com idade média = 30,35 anos (± 8,60), divididas em dois grupos: não sedentárias, caracterizadas por praticar atividade física pelo menos três vezes semanais e por três semanas consecutivas e sedentárias, caracterizadas por não praticar qualquer tipo de atividade física regular quando recrutadas. O método consistiu em: avaliações objetivas do humor, através dos Inventários Beck de Ansiedade (BAI), de Depressão (BDI) e de Desesperança (BHS) e Avaliação Física, incluindo massa corporal total, estatura, circunferências da cintura e do quadril e espessura de dobras cutâneas. Foram realizados cálculos do Índice de Massa Corpórea (IMC), da Razão Cintura-Quadril (RCQ) e da porcentagem de gordura corporal (%G) para avaliar presença e grau de obesidade. Resultados das análises de regressão para mínimos quadrados sustentaram as hipóteses iniciais quanto a existência da relação entre obesidade e sintomas psíquicos somente em mulheres sedentárias (BDI/RCQ, p=0,035, BDI/IMC, p=0,009, BDI/%G, p=0,019, BAI/IMC, p=0,009, BAI/%G, p=0,037, BHS/RCQ, p=0,025, BHS/IMC, p=0,041), já que a relação de dependência não pôde ser confirmada em mulheres não sedentárias (BDI/RCQ, p=0,750, BDI/IMC, p=0,141, BDI/%G, p=0,064, BAI/RCQ, p=0,729, BAI/IMC, p=0,384, BAI/%G, p=0,246, BHS/RCQ, p=0,491, BHS/IMC, p=0,986, BHS/%G, p=0,322) e que, quanto maior o nível de obesidade, maiores os níveis de sintomas psíquicos nos dois grupos. Essas observações parecem indicar que a prática de atividade física foi um fator de minimização da presença e intensidade de sintomas psíquicos em mulheres não sedentárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Tosetto

 

Docente, Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Centro Universitário Moura Lacerda - Ribeirão Preto. Professora de Educação Física, Prefeitura Municipal da Estância Turística de Batatais. Mestre em Ciências (Psicobiologia), Departamento de Psicologia e Educação, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. Psicóloga Clínica.

 

Carlos A. Simeão Júnior, Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Centro Universitário Moura Lacerda - Ribeirão Preto

 

Docente. Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde, Centro Universitário Moura Lacerda - Ribeirão Preto. Docente, Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Paulista. Mestre e Doutorando em Alimentos e Nutrição, Departamento de Alimentos e Nutrição - FCFAR. Universidade Estadual Paulista/ Araraquara. 

 

 

Downloads

Publicado

2008-12-30

Como Citar

1.
Tosetto AP, Simeão Júnior CA. OBESIDADE E SINTOMAS DE DEPRESSÃO, ANSIEDADE E DESESPERANÇA EM MULHERES SEDENTÁRIAS E NÃO SEDENTÁRIAS. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de dezembro de 2008 [citado 27 de novembro de 2022];41(4):497-50. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/293

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share