Morte

considerações para a prática médica

Autores

  • Antonio Pazin-Filho Departamento de Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v38i1p20-25

Palavras-chave:

Morte. Diagnóstico.Relação Médico-Paciente. Ética Médica.

Resumo

A morte é parte integrante da vida e como tal, objetivo da medicina. A definição de morte vem sofrendo modificações em decorrência do avanço tecnológico da medicina e da disponibilidade de informação, ficando claro que sua definição deve levar em consideração os valores culturais da sociedade em questão e não somente o conhecimento médico. A busca de uma melhor definição de morte trouxe uma série de conflitos de ordem ética, agravados em grande parte pela crise de credibilidade que a medicina moderna vivencia. Um resgate dos valores da medicina, fundamentados na relação médico-paciente, bem como uma ampla discussão envolvendo toda a sociedade sobre a definição de morte e os cuidados que a medicina deve oferecer aos pacientes que estão morrendo, devem ser implementados. A discussão destes valores deve começar na faculdade de medicina e deve envolver todas as profissões que auxiliem a profissão médica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Pazin-Filho, Departamento de Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Docente do Departamento de Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2005-03-30

Como Citar

1.
Pazin-Filho A. Morte: considerações para a prática médica. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de março de 2005 [citado 3 de dezembro de 2021];38(1):20-5. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/419

Edição

Seção

Capítulos
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>