Etiologia e tratamento da estomatite aftosa recorrente - revisão de literatura

Autores

  • Gilliene B. F. Costa Universidade Federal de Pernambuco
  • Jurema F. L. Castro Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v46i1p1-7

Palavras-chave:

Estomatite Aftosa, Úlceras Orais, Fatores de Risco, Terapêutica.

Resumo

Objetivos: Descrever as características e os principais achados relatados na literatura quanto à provável etiologia e tratamentos das lesões causadas pela Estomatite Aftosa Recorrente (EAR). Métodos:Realizou-se a revisão da literatura nas bases de dados PubMed, SciELO e LILACS, no período de tempo do ano de 2005 a 2012. Utilizaram-se, isoladamente e em combinação, os descritores a seguir: Stomatitis, Aphthous; Oral Ulcer; Risk Factors e Therapeutics. Resultados: A patogênese da estomatite aftosa recorrente ainda continua indefinida, havendo confirmação científica quanto à sua relação com fatores imunológicos e mutações genéticas. Os procedimentos realizados e recursos utilizados para o tratamento das lesões são paliativos, no intuito de aliviar a dor, não existindo uma terapêutica de cura. Conclusão: Por ser a etiologia da EAR ainda incerta, o tratamento atual das lesões é bastante variado,e baseia-se no alívio dos sintomas da doença, variando, desde o uso de produtos naturais, como a própolis, passando por anti-inflamatórios, até à aplicação do laser de baixa potência.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Gilliene B. F. Costa, Universidade Federal de Pernambuco

    Aluna do Curso de Mestrado em Odontologia, Universidade
    Federal de Pernambuco

  • Jurema F. L. Castro, Universidade Federal de Pernambuco
    Doutora em Estomatologia, Professora Associada da Universidade Federal de Pernambuco

Downloads

Publicado

2013-03-30

Edição

Seção

Artigo de Revisão

Como Citar

1.
Costa GBF, Castro JFL. Etiologia e tratamento da estomatite aftosa recorrente - revisão de literatura. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30º de março de 2013 [citado 28º de maio de 2024];46(1):1-7. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/62322