Associação entre fatores de risco cardiovascular e capacidade funcional de idosos longevos

Autores

  • Vanessa R. dos Santos Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Igor C. Gomes Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia Universidade de São Paulo
  • Lionai L. dos Santos Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho
  • Ricardo R. Agostinete Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho
  • Ismael F. Freitas Júnior

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v46i1p10-16

Palavras-chave:

Composição Corporal, Hipertensão, Pressão Arterial Alta, Aptidão Física, Idoso de 80 Anos ou mais

Resumo

Modelo do estudo: Estudo transversal. Objetivo: Analisar a associação entre a presença de fatores de risco cardiovascular (FRC) e a capacidade funcional de idosos longevos. Materiais e Método: A amostra foi composta por 91 idosos com idade entre 80 e 90 anos (83,0±2,3 anos), sendo 60 mulheres (82,9±2,1 anos) e 31 homens (83,2±2,6 anos) residentes na cidade de Presidente Prudente/SP. Os FRC analisados foram: Hipertensão Arterial (HA) e excesso de gordura corporal (total e tronco). A presença de Hipertensão foi verificada por meio do questionário auto-referido baseado no Standard Health Questionnaire(SHQ). A avaliação da gordura corporal foi feita pela absorpiometria de dupla energia de raios-X (DEXA) e a capacidade funcional foi avaliada por meio dos testes funcionais (equilíbrio estático, velocidade usual de caminhada e força de membros inferiores). Para tratamento estatístico realizou-se o teste qui-quadrado, o software utilizado foi SPSS (13.0) e o nível de significância estabelecido foi de 5%. Resultados: Os idosos com a presença de HA e excesso de %GC apresentaram menor desempenho no teste de membros inferiores (83,3% menor e 16,7% maior), p=0,011 comparados aqueles com apenas um FCR. As idosas com a presença de HA e excesso de %GTron também apresentaram menor desempenho no mesmo teste (80,6% menor e 19,4% maior), p=0,018 e no teste de velocidade de caminhada (80,6% menor e 19,4% maior), p=0,034. Conclusão: A HA e o excesso de gordura corporal (total e tronco) agregados são FRC, que estão associados à redução da capacidade funcional de idosos longevos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Vanessa R. dos Santos, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

    1 .Programa de Pós-Graduação em Ciências da Motricidade -UNESP Rio Claro SP,
    2. Centro de Estudos e Laboratório de Avaliação e Prescrição de Atividades Motoras (CELAPAM)

  • Lionai L. dos Santos, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho

    Departamento de Educação Física. Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP- Presidente Prudente SP

    Centro de Estudos e Laboratório de Avaliação e Prescrição de Atividades Motoras (CELAPAM)

  • Ricardo R. Agostinete, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho

    Departamento de Educação Física. Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP- Presidente Prudente SP

    Centro de Estudos e Laboratório de Avaliação e Prescrição de Atividades Motoras (CELAPAM)

  • Ismael F. Freitas Júnior
    Departamento de Educação Física. Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP- Presidente Prudente SP

Downloads

Publicado

2013-03-30

Edição

Seção

Artigo Original

Como Citar

1.
Santos VR dos, Gomes IC, Santos LL dos, Agostinete RR, Freitas Júnior IF. Associação entre fatores de risco cardiovascular e capacidade funcional de idosos longevos. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30º de março de 2013 [citado 20º de maio de 2024];46(1):10-6. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/62326