Cetoacidose diabética e estado hiperglicêmico hiperosmolar

Autores

  • Maria C. Foss-Freitas
  • Milton C. Foss Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo -FMRP/USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v36i2/4p389-393

Palavras-chave:

Diabetes Mellitus Tipo 1. Diabetes Mellitus Tipo 2. Cetoacidose Diabética. Estado Hiperglicêmico Hiperosmolar. Diabetes Mellitus Insulino-Dependente. Diabetes Mellitus Não Insulino-Dependente.

Resumo

A cetoacidose diabética é uma complicação aguda, típica dos pacientes com DM tipo I ou insulinodependentes, um conjunto de distúrbios metabólicos, que se desenvolvem em uma situação de deficiência insulínica grave, comumente associada a condições estressantes, que levam a aumento dos hormônios contra-reguladores. O estado hiperglicêmico hiperosmolar é uma complicação aguda, característica do diabético tipo II ou não insulinodependente, quando predominam os efeitos da hiperosmolaridade e desidratação, principalmente envolvendo o sistema nervoso central. Fatores precipitantes, quadro clínico, fisiopatologia básica e tratamento dessas emergências médicas são analisados nesta revisão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria C. Foss-Freitas

Pós-Graduanda

Milton C. Foss, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo -FMRP/USP

 

Docente. Divisão de Endocrinologia e Metabologia. Departamento de Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo -FMRP/USP

 

Downloads

Publicado

2003-12-30

Como Citar

1.
Foss-Freitas MC, Foss MC. Cetoacidose diabética e estado hiperglicêmico hiperosmolar. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de dezembro de 2003 [citado 27 de julho de 2021];36(2/4):389-93. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/748

Edição

Seção

Endócrinas, Metabólicas e Nutricionais
Bookmark and Share