Asma

manejo da crise

Autores

  • Fabíola Reis Oliveira
  • Lucienir Maria da Silva
  • Paulo Louzada Junior Departamento. Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo
  • Willy Sarti Departamento. Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v36i2/4p404-408

Palavras-chave:

Asma. Diagnóstico. Estado Asmático. Tratamento.

Resumo

A asma é uma doença inflamatória, crônica, das vias aéreas, que se tornam hiperresponsivas e obstruídas, causando tosse, sibilância, dispnéia e desconforto torácico, de modo recorrente. Pode ser classificada como leve, moderada ou grave. Crises asmáticas são caracterizadas por períodos de piora dos sintomas clínicos e da função pulmonar, de maneira reversível, resultando em prejuízo para as atividades usuais do doente e de sua qualidade de vida. A inflamação das vias aéreas, contudo, permanece cronicamente, mesmo nos períodos intercríticos. As agudizações também devem ser classificadas de acordo com sua gravidade, para que a melhor opção terapêutica e os cuidados com o paciente sejam instituídos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabíola Reis Oliveira

Médica Assistente

Lucienir Maria da Silva

Médica Assitente

Paulo Louzada Junior, Departamento. Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

 

Docente. Disciplina de Imunologia Clínica. Departamento. Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Willy Sarti, Departamento. Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Docente. Disciplina de Imunologia Clínica. Departamento. Clínica Médica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2003-12-30

Como Citar

1.
Oliveira FR, Silva LM da, Louzada Junior P, Sarti W. Asma: manejo da crise. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de dezembro de 2003 [citado 27 de julho de 2021];36(2/4):404-8. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/751

Edição

Seção

Imunológicas
Bookmark and Share