Insuficiência renal aguda na terapia intensiva

Autores

  • José Abrão Cardeal da Costa Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Miguel Moysés Neto Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Osvaldo Merege Vieira Neto Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v31i4p532-551

Palavras-chave:

Diálise. Insuficiência Renal Aguda. Necrose Tubular Aguda. Unidade de Terapia Intensiva.

Resumo

A insuficiência renal aguda (IRA) tem incidência em torno de 2 a 5%, em pacientes hospitalizados, influenciada por fatores como: choque séptico, hipovolemia, uso de aminoglicosídeos, insuficiência cardíaca e radiocontrastes. Uma parte desses pacientes tem sido tratados em Unidades de Terapia Intensiva e, dependendo do quadro, altas taxas de mortalidade, podem ser atingidas. Nesse capítulo, apresentamos as causas mais comuns de IRA, enfatizando a sua prevenção no meio hospitalar. É importante, nesses casos, a distinção entre causas pré-renais e renais. Entre as causas renais, destacamos a necrose tubular aguda (NTA), geralmente provocada por hipoperfusão renal e/ou nefrotoxinas endógenas e exógenas. No tratamento, o balanço hídrico, aspectos nutricionais e diálise são fatores importantes a serem considerados. O tratamento dialítico, quando necessário, é realizado através de diálise peritoneal, hemodiálise intermitente, ultrafiltração, ou métodos contínuos de reposição da função renal.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • José Abrão Cardeal da Costa, Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
    Docente da Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão
    Preto da Universidade de São Paulo.
  • Miguel Moysés Neto, Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
    Médico Assistente da Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Osvaldo Merege Vieira Neto, Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
    Médico Assistente da Divisão de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

1998-12-30

Edição

Seção

Simpósio: Medicina Intensiva: II. Tópicos Selecionados

Como Citar

1.
Costa JAC da, Moysés Neto M, Vieira Neto OM. Insuficiência renal aguda na terapia intensiva. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30º de dezembro de 1998 [citado 21º de junho de 2024];31(4):532-51. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/7722