Aspectos da aids de interesse para o oftalmologista

Autores

  • José Fernando de Castro Figueiredo Divisão de Moléstias Infecciosas e Tropicais do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Maria de Lourdes Veronese Rodrigues Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Nivaldo Vieira de Souza Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Erasmo Romão Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Fernanda Teixeira da Silva Krieger Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v31i4p577-583

Palavras-chave:

Oftalmologia. Manifestações Oculares. Olho. Síndrome de Imunodeficiência Adquirida.

Resumo

Diversas especialidades médicas, em maior ou menor grau, estão se deparando com a aids, envolvidas nos planos diagnósticos, terapêuticos, profiláticos e de investigação. O oftalmologista tem papel de destaque no diagnóstico e na orientação terapêutica de algumas condições clínicas da aids. As complicações oculares mais comuns nos pacientes com aids decorrem, quase sempre, da exacerbação de processos infecciosos latentes, adquiridos em época anterior à imunodepressão. Essas infecções tendem a se disseminar, causando manifestações sistêmicas variadas, com quadros clínicos nem sempre característicos. O acometimento ocular é mera manifestação local da disseminação do processo e a avaliação oftalmológica auxilia no estabelecimento do diagnóstico, uma vez que as alterações verificadas no exame fundoscópico podem ser indicativas da etiologia do processo. Nesse sentido, é feita uma revisão de alguns aspectos da aids que podem ser do interesse do oftalmologista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Fernando de Castro Figueiredo, Divisão de Moléstias Infecciosas e Tropicais do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Docente da Divisão de Moléstias Infecciosas e Tropicais do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Maria de Lourdes Veronese Rodrigues, Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Docente do Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Nivaldo Vieira de Souza, Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Docente do Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Erasmo Romão, Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Docente do Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Fernanda Teixeira da Silva Krieger, Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Docente do Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

1998-12-30

Como Citar

1.
Figueiredo JF de C, Rodrigues M de LV, Souza NV de, Romão E, Krieger FT da S. Aspectos da aids de interesse para o oftalmologista. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de dezembro de 1998 [citado 4 de março de 2024];31(4):577-83. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/7727

Edição

Seção

Artigo de Revisão
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>