Distribuição da gordura corporal e componentes da prática de atividades físicas no lazer em mulheres pósclimatério: estudo transversal com usuárias do Sistema Único de Saúde

  • Bruna Locci
  • Bruna C. Turi
  • Lia G. M. Araújo
  • Rômulo A. Fernandes Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Presidente Prudente.
  • Jamile S. Codogno Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Presidente Prudente.
  • Henrique L. Monteiro Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Bauru.
Palavras-chave: Obesidade, Atividade Motora, Menopausa.

Resumo

Modelo do estudo: Estudo transversal. Objetivo: Verificar o impacto da prática de atividades físicas no lazer sobre a distribuição de massa gorda de mulheres pós-climatério, usuárias dos serviços de atenção básica à saúde. Métodos: A amostra foi composta por 176 mulheres na menopausa, com idade ≥ 50 anos, usuárias de cinco Unidades Básicas de Saúde de Bauru, São Paulo e selecionadas de forma aleatória. A composição corporal foi expressa por quantidade em gramas de gordura total, central e massa magra, obtida por exame de absortometria radiológica de dupla energia (DXA). Para avaliar a prática de atividade física no lazer utilizou-se a segunda seção do questionário de Baecke, considerando intensidade, duração e tempo prévio de engajamento. O nível econômico foi avaliado pelo questionário da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Correlação de Spearman e regressão linear indicaram o relacionamento entre indicadores de gordura corporal e componentes da prática de atividades físicas no lazer. Resultados: A maior parte das participantes situou-se na classe média, com idade de 65,9 ± 8 anos e o início da menopausa ocorreu aos 47,5 + 6 anos. Foi observada relação entre maior intensidade e maior tempo prévio de engajamento nas atividades de lazer com menores valores de gordura na região do tronco, porém, quando corrigidos por alguns fatores de confusão, esta relação deixou de apresentar significância estatística. Conclusões: Para esta população, atividades físicas praticadas no tempo destinado ao lazer ocorrem com intensidade, duração e tempo prévio de engajamento insuficientes para provocar alterações significativas na composição corporal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Locci
Mestranda no Programa de Pós Graduação em Ciências da Motricidade - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Rio Claro.
Bruna C. Turi
Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Ciências da Motricidade - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Rio Claro.
Lia G. M. Araújo
Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Ciências da Motricidade - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Rio Claro.
Rômulo A. Fernandes, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Presidente Prudente.
Professor Assistente Doutor do Departamento de Educação Física - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Presidente Prudente.
Jamile S. Codogno, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Presidente Prudente.
Professor Assistente Doutor do Departamento de Educação Física - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Presidente Prudente.
Henrique L. Monteiro, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Bauru.
Professor Assistente Doutor do Departamento de Educação Física - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Bauru.
Publicado
2015-04-26
Como Citar
1.
Locci B, Turi B, Araújo L, Fernandes R, Codogno J, Monteiro H. Distribuição da gordura corporal e componentes da prática de atividades físicas no lazer em mulheres pósclimatério: estudo transversal com usuárias do Sistema Único de Saúde. Medicina (Ribeirao Preto Online) [Internet]. 26abr.2015 [citado 19nov.2019];48(2):160-7. Available from: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/99750
Seção
Artigo Original
Bookmark and Share