Hipomagnesemia secundária ao uso crônico de Inibidores de Bomba de Prótons: Relato de Caso

Autores

  • Renan F. F. Nunes Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Marcos A. Souza Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Wogelsanger O. Pereira Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Lelyanne R. P. Torquato Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Felipe L. Guedes

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i2p190-194

Palavras-chave:

Hipomagnesemia, Omeprazol, Hipocalcemia.

Resumo

Modelo do Estudo: Relato de Caso. Objetivos: Apresentar um caso de hipomagnesemia sintomática associada a hipocalcemia induzido pelo uso de Omeprazol por cerca de 6 anos, com respectiva revisão de literatura. Métodos: Estudo dos achados clínicos e laboratoriais, associado à discussão da origem multifatorial do problema em questão. Relato de Caso: Paciente apresentou, há 2 meses, um episódio de convulsão e tremores, e outra convulsão à admissão, além de outros sinais clínicos de deficiência de magnésio, como parestesias, tremores e cãibras. Exames sanguíneos de acompanhamento de internação revelaram baixos valores séricos de cálcio (8,0 mg/dL) e magnésio (0,94 mg/dL), e níveis de sódio, potássio, uréia, creatinina e vitamina D dentro da normalidade. Dentre os medicamentos dos quais fazia uso, o Omeprazol era utilizado em regime de cronicidade, estando presente à admissão e nos 6 anos anteriores. A reposição de magnésio resultou em aumento parcial da concentração sérica (1,30 mg/dL) e melhora parcial da sintomatologia apresentada. Após a retirada do Omeprazol, os valores séricos de magnésio voltaram ao padrão de normalidade (2,50 mg/dL), ocorrendo remissão total dos sintomas. Importância: A Hipomagnesemia induzida pelo uso crônico de inibidores da bomba de prótons (IBP) é uma condição que pode levar a consequências clínicas graves, e tal situação pode ser revertida pela simples suspensão da medicação, medida capaz de restaurar o equilíbrio homeostático do magnésio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan F. F. Nunes, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Acadêmicos do Curso de Medicina da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Marcos A. Souza, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Acadêmicos do Curso de Medicina da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Wogelsanger O. Pereira, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Professor Adjunto IV do Curso de Medicina da UERN. Doutor em Ciências da Saúde pela UNIFESP

Lelyanne R. P. Torquato, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Médica Residente em Nefrologia pelo Hospital Onofre Lopes (HUOL) da UFRN

Felipe L. Guedes

Médico Nefrologista pela Universidade de São Paulo (USP) – Ribeirão Preto

Downloads

Publicado

2015-04-26

Como Citar

1.
Nunes RFF, Souza MA, Pereira WO, Torquato LRP, Guedes FL. Hipomagnesemia secundária ao uso crônico de Inibidores de Bomba de Prótons: Relato de Caso. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 26 de abril de 2015 [citado 25 de fevereiro de 2024];48(2):190-4. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/99758

Edição

Seção

Relato de Caso
Bookmark and Share