Mapeamento Metodológico de Teses e Dissertações no Âmbito do Programa Brasileiro de Pós-Graduação em Turismo (PPGTUR) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Autores

  • Christiano Henrique da Silva Maranhão Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v30i2p347-366

Palavras-chave:

Mapeamento metodológico, Pós-graduação stricto sensu, Teses e dissertações, Turismo

Resumo

Este artigo busca analisar a estruturação dos principais aspectos metodológicos das teses e dissertações produzidas durante o primeiro decênio (2008-2018) de instituição do Programa de pós-graduação em turismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGTUR/UFRN). Metodologicamente trata-se de um estudo exploratório-descritivo e analítico, de viés qualitativo, que utiliza a pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental, a entrevista e a análise temática como ferramentas e/ou técnicas de coleta e análise de dados.  Como resultados expõe-se duas tendências que retratam o modo como os estudos vinculados ao PPGTUR/UFRN estruturam suas metodologias, expondo o que vem sendo operacionalizado no campo metodológico das teses e dissertações do aludido Programa, além de reforçar o empenho acadêmico pelo planejamento de pesquisas bem fundamentadas. Destaca-se ainda a presença de uma diversidade temática permeando o ambiente acadêmico do PPGTUR/UFRN, reflexo direto das distintas áreas de formação dos docentes e da heterogeneidade complexa inerente ao fenômeno turístico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christiano Henrique da Silva Maranhão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia da Universidade Federal do Rio
Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande no Norte, Brasil.

Referências

Barros, A. J. P., & Lehfeld, N. A. (2000). Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. 4a ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

Barretto, M. (2005). Dificuldades e possibilidades da pesquisa interdisciplinar no mestrado em turismo. In II Encontro Internacional de Pesquisadores da Rede Latino-americana de Cooperação Universitária - América Latina perante o desafio da integração. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul.

Beni, M. C., & Moesch, M. (2016). Do discurso da ciência do turismo para a ciência do turismo. Revista Turismo & Desenvolvimento. (25). p 9-30.

Capes. (2009). Qualis. Recuperado de http://www.capes.gov.br/component/content/article?id=2550:capes-aprova-a-nova-classificacao-do-qualis. Acesso em: 01 set. 2018.

Farias, M. F., & Sonaglio, K. E. (2013). Perspectivas multi, pluri, inter e transdisciplinar no turismo. Revista Iberoamericana de Turismo. Penedo, (3), 1, p. 71-85. Recuperado de http://www.seer.ufal.br/index.php/ritur. Acesso em: 18 abr. 2019.

Franklin, A., & Crang, M. (2001). The trouble with tourism and travel theory. Tourist Studies. 1(1), 5–22.

Gil, A. C. (2011). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. Ed. São Paulo, SP: Atlas.

Gonçalves, H. A. (2005). Manual de monografia, dissertação e tese. Vol.2. São Paulo, SP: Avercamp.

Iskandar, J. I. (2012). Normas da ABNT: comentadas para trabalhos científicos. 5a ed. Curitiba, PR: Juruá.

Jafari, J. (2005). Revampyng old challengers for integrative paradigms. In VII Congreso Nacional & I Internacional de Investigación Turística. Guadalajara, JAL.

Köche, J. C. (2013). Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Vol. 32. Petrópolis, RJ: Vozes.

Maranhão, C. H. S. (2017). A digital geográfica do turismo: uma análise teórico-metodológica e conceitual de teses e dissertações no âmbito dos programas brasileiros de pós-graduação stricto sensu em geografia. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Maranhão, C. H. S., & Pequeno, E. A. (2016). Turismo: muito mais que arrumar as malas. In A. A. Viana, M. S. Guardia, & Batista, S. G. Turismo em perspectivas: ensaios multidisciplinares. Curitiba: Editora Prismas.

Meethan, K. (2002). Tourism in global society: place, culture, consumption. Basingstoke, UK: Palgrave.

Moesch, M. (2013). O lugar da experiência e da razão na origem do conhecimento do turismo. Revista Cenário. 1 (1), 08-28.

Morin, E. (2000). Ciência com Consciência. 4a Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Plataforma Sucupira. (2018). Cursos avaliados e reconhecidos. Recuperado de https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/programa/quantitativos/quantitativoAreaAvaliacao.jsf. Acesso em: 11 set. 2018.

Plataforma Sucupira (2017). Ficha de avaliação de programas. Administração pública e de empresas, ciências contábeis e turismo. Recuperado de < https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/programa/viewPrograma.jsf;jsessionid=oQtMLktjoc7ZstiuYTj2coZ9.sucupira218?popup=true&cd_programa=33014019004P0>. Acesso em: 16 mai. 2019.

Rejowski, M. (1996). Turismo e pesquisa científica: pensamento internacional x situação brasileira. 7a Ed. Campinas, SP: Papirus.

Revista Turismo Contemporâneo. (2018). Sobre a revista. Recuperado de https://periodicos.ufrn.br/turismocontemporaneo/about. Acesso em: 03 set. 2018.

Richardson, R. J. (2008). Pesquisa Social: métodos e técnicas. 7. Ed. São Paulo, SP: Atlas.

Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas. (2018) Programa de Pós-graduação em turismo. Recuperado de https://sigaa.ufrn.br/sigaa/public/programa/apresetacao.jff?Ic=pt_BR&id+4295. Acesso em: 03 set. 2018.

Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas. (2018). Corpo docente. Recuperado de https://sigaa.ufrn.br/sigaa/public/programa/equipe.jsf?lc=pt_BR&id=4295. Acesso em: 03 set. 2018.

Universidade Federal do Rio Grande do Norte. (2015). Regimento interno do Programa de pós-graduação em turismo (mestrado e doutorado). Centro de Ciências Sociais Aplicadas. Natal. Recuperado de: https://UsersDownloads/Regimento_Interno_PPGTUR.pdf.Acesso em 03 set 2018.

Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2019). UFRN entre as melhores do país. Recuperado de https://www.ufrn.br/imprensa/noticias/29623/ufrn-entre-as-melhores-do-pais. Acesso em 11 ago. 2019.

Vargas, H.C. (2014). A complexidade do conhecimento: turismo, arquitetura e cidade. In III Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo arquitetura, cidade e projeto: uma construção coletiva. São Paulo, SP.

Veal, A. (2011). Metodologia de pesquisa em lazer e turismo. São Paulo, SP: Aleph.

Downloads

Publicado

2019-08-29

Como Citar

Maranhão, C. H. da S. (2019). Mapeamento Metodológico de Teses e Dissertações no Âmbito do Programa Brasileiro de Pós-Graduação em Turismo (PPGTUR) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Revista Turismo Em Análise, 30(2), 347-366. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v30i2p347-366

Edição

Seção

Artigos e Ensaios