Antecedentes para a visitação de eventos culturais no bairro do Recife

Autores

  • Alessandra Souza Queiroz Universidade Federal de Pernambuco
  • Marconi Freitas da Costa Universidade Federal de Pernambuco https://orcid.org/0000-0001-9888-8359
  • José Roberto Ferreira Guerra Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v31i3p538-560

Palavras-chave:

Sensibilidade ao preço, Grupos de referência, Identificação, Eventos culturais

Resumo

Essa investigação teve o propósito de mensurar qual influência os grupos de referência (GDR), a sensibilidade ao preço (SAP) e a identificação (I) poderiam exercer sobre a intenção de visitar eventos culturais em espaços públicos do Bairro do Recife. Como estratégia de pesquisa foi utilizado o survey online. Um questionário estruturado foi desenvolvido, obtendo 116 respondentes, todos considerados válidos para a amostra final. Os dados foram analisados com base na análise de regressão linear múltipla. Assim, os construtos de identificação (I) e grupos de referência (GDR) influenciam positivamente na decisão de visitar eventos culturais em espaços públicos, já o construto de sensibilidade à preço (SAP) não exerce influência alguma sobre a VD intenção de visitar eventos culturais em espaços públicos do Bairro do Recife. As características do público que frequenta o Bairro do Recife, não são influenciadas por aspectos financeiros, são influenciadas por grupos de referência e pela identificação com a localidade. A relevância desse trabalho se encontra em sua originalidade a temática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Souza Queiroz, Universidade Federal de Pernambuco

Mestranda no Programa de Pós-graduação em Hotelaria e Turismo da Universidade Federal de Pernambuco. Recife, Pernambuco, Brasil.

Marconi Freitas da Costa, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Administração pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo. Docente do Programa de Pós-Graduação em Gestão, Inovação e Consumo – PPGIC na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Caruaru, Pernambuco, Brasil.

José Roberto Ferreira Guerra, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor Adjunto do Curso de Administração e Programa de Pós-graduação em Hotelaria e Turismo da Universidade Federal de Pernambuco. Recife, Pernambuco, Brasil.

Referências

Abreu, C. (2020). Análisis estructuralista de la teoría de los grupos de referência. Agora 39(1), 59-80. DOI: 10.15304/ag.39.1.5679.

Algesheimer, R., Dholakia, U. M., & Herrmann, A. (2005). The social influence of brand community: Evidence from European car clubs. Journal of Marketing. 69(3), 19-34. Doi.org/10.1509/jmkg.69.3.19.66363

Bragaglia, A. P., & Bastos, L. L. A. (2017). O valor de aprovação social no consumo e na publicidade: uma discussão à luz da ética. Revista Fragmentos de Cultura-Revista Interdisciplinar de Ciências Humanas. 27(2), 258-270. http://dx.doi.org/10.18224/frag.v27i2.5061

Carmo, H., & Ferreira, M. M. (2008). Metodologia da investigação: guia para auto-aprendizagem. Repositório aberto universidade aberta.

Castells, M., & Borjas, J. (1996). As cidades como autores políticos. Nova estudos CEBRAP. 45 (2), 152-166. Doi: http://dx.doi.org/10.9771/pcr.v11i1.26706

Costa, F., Costa, E. M., & Silva, J. L. M. (2016). Elasticidade preço e renda da demanda por energia elétrica nas regiões brasileiras: uma abordagem através de painel dinâmico. Revista de Economia. 42 (3). http://dx.doi.org/10.5380/re.v42i3.36594

Dziuban, C. D., & Shirkey, E. C. (1974). When is a correlation matrix appropriate for factor analysis? Some decision rules. Psychological Bulletin. 81 (6), 358. https://doi.org/10.1037/h0036316

Engel, J. F., Blackwell, R. E., & Miniardi, P. W. (2005). Comportamento do consumidor. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Escalas, J. E., & Bettman, J. R. (2003). You are what they eat: The influence of reference groups on consumers’ connections to brands. Journal of Consumer Psychology. 13(3), 339-348. https://doi.org/10.1207/S15327663JCP1303_14.

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. L., & Chan, B. L. (2009). Análise de dados modelagem multivariada para tomada de decisões. Elsevier. ISBN: 978-85-352-3046-8.

Field, A. (2009). Descobrindo a estatística usando o SPSS-2. Bookman Editora.

Fonseca, M. J., & Rossi, C. A. V. (1998). O estudo do envolvimento com o produto em comportamento do consumidor: fundamentos teóricos e proposição de uma escala para aplicação no Brasil. ENCONTRO ANUAL DA ANPAD–ENANPAD. 22. 15 fev. 2020, http://www.anpad.org.br/admin/pdf/enanpad1998-mkt-22.pdf

Getz, D. (2008). Event tourism: Definition, evolution, and research. Tourism Management. 29(3), 403-428. https://doi.org/10.1016/j.tourman.2007.07.017

Getz, D., & Page, S. J. (2016). Progress and prospects for event tourism research. Tourism Management. 52, 593-631. https://doi.org/10.1016/j.tourman.2015.03.007

Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise multivariada de dados. (2a ed.). São Paulo: Bookman Editora.

Han, S., Gupta, S., & Lehmann, D. R. (2001). Consumer price sensitivity and price thresholds. Journal of Retailing. 77(4), 435-456. https://doi.org/10.1016/S0022-4359(01)00057-4

Henriques, E. B. (2003). A cidade, destino de turismo. Geografia: Revista da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. 19. 0871-164X.

Horta, R. L., Schäfer, J. L., Coelho, L. R., Rodrigues, V. S., Oliveira, M. S., & Teixeira, V. A. (2016). Condições associadas a prejuízo de desempenho em habilidades sociais em uma amostra de conveniência de usuários de crack. Caderno de saúde pública, 1-15.

Hutcheson, G. D., & Sofroniou, N. (1999). The multivariate social scientist: Introductory statistics using generalized linear models. Manchester: Sage.

Inglis, B. G., & Solomon, M. R. (1995). Ser e não ser: imagens de estilo de vida, grupos de referência e o agrupamento da América. Journal of Advertising. 24(1), 13-28. doi.org/10.1080/00913367.1995.10673465

Jansen-Verbeke, M. (1988). Leisure + shopping = tourism product mix. In: Ashworth, G. & Goodall, B. Marketing tourism places. Londres: Routledge.

Leite, R. P., & Peixoto, P. (2009). Políticas urbanas de patrimonização e contra revanchismo: o recife Antigo e a Zona Histórica da Cidade do Porto. Cadernos Metropole. 93-104.ISSN: 2236-9996

Lichtenstein, D. R., Ridgway, N. M., & Netemeyer, R. G. (1993). Price perceptions and consumer shopping behavior: a field study. Journal of Marketing Research. 30(2), 234-245. https://doi.org/10.1177/002224379303000208

Liu, Y. D. (2014). Cultural events and cultural tourism development: Lessons from the European Capitals of Culture. European Planning Studies. 22(3), 498-514. https://doi.org/10.1080/09654313.2012.752442

Macedo, S. B., Gosling, M. D. S., & Queiroz, D. C. (2017). Eventos culturais: meu dinheiro me diz aonde vou? Uma análise sob a ótica da Teoria da Identidade Social (SIT). Revista Hospitalidade. 14(1), 01-23. https://doi.org/10.21714/2179-9164.2017v14n1.755

Marciel, J. R. B., Francisco-Maffezzolli, E. C., & Martins, E. (2018). Autenticidade de Lugar. Revista Turismo em Análise. 29(3), 413-427. http://dx.doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v29i3p413-427

Nascimento, A. M., Gouveia, V. V., Soares, A. K. S., Silva, J. B. S.; Grangeiro, A. S. (2017). Escala de necessidade de identificação: propriedades psicométricas em contexto brasileiro. Avaliação Psicológica: Interamerican Journal of Psychological Assessment. 16(3), 348-355. http://dx.doi.org/10.15689/ap.2017.1603.12883

Paiva, R. A. (2016). Turismo, produção e consumo do espaço. Turismo, arquitetura e cidade. In II Colóquio [inter]nacional sobre o comercio e cidade: uma relação de origem. (p. 33-54). São Paulo, SP.

Park, C. W., & Lessig, V. P. (1977). Students and housewives: Differences in susceptibility to reference group influence. Journal of consumer Research. 4(2), 102-110. https://doi.org/10.1086/208685

Pasquali, L. (1998). Análise fatorial: um manual teórico-prático. Brasília: Editora da UnB, no prelo.

Pearce, D. G. (2001). An integrative framework for urban tourism research. Annals of Tourism Research. 28(4), 926-946.

Porter, S. R., & Whitcomb, M. E. (2005). Non-response in student surveys: The role of demographics, engagement and personality. Research in Higher Education. 46(2), 127-152. //doi.org/10.1007/s11162-004-1597-2.

Putrevu, S., & Lord, K. R. (1994). Comparative and noncomparative advertising. Attitudinal. 77-91. doi:10.1080/00913367.1994.10673443

Rasquilha, L. (2019). Coolhunting e pesquisa de tendências: observar, identificar e mapear as tendências e mentalidades emergentes do consumidor. Almedina.

Reis, E. A., Reis I. A. (2002). Análise Descritiva de Dados. Relatório Técnico do Departamento de Estatística da UFMG. 13 nov. 2019. www.est.ufmg.br

Sastre, P. T.N.; Serralvo, F.A.; Moras, A.C. (2010). A influência dos grupos de referência no processo decisório do consumidor: um estudo no segmento de veículos utilitários esportivos. Anais do Encontro de Marketing da ANPAD, 4, Florianópolis.

Sevcenko, N. (2002). O desafio das tecnologias à cultura democrática. Cidade e cultura: esfera pública e transformação urbana. 37-49.ISBN: 978-85-7448-065-5.

Souza, M. d., Guimarães, A. C., & Araujo, C. d. (2013). Estresse no trabalho em professores universitários. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 1-8.

Trindade, A. C. D., & Souza, I. C. M. (2018). A influência da marca no processo decisório de compra do consumidor no setor automobilístico. Opara. Revista de Ciências Contemporâneas Aplicadas. 8(1), 90-114.

Zapata Muñoz, C., Puerta Campiño, D. E., & Torres Restrepo, E. M. (2018). Influencia de los grupos de referencia en el consumo se sustancias psicoactivas en seis adolescentes. (Doctoral dissertation). Corporación Universitaria Minuto de Dios.

Downloads

Publicado

2020-12-12

Como Citar

Queiroz, A. S., Costa, M. F. da, & Guerra, J. R. F. (2020). Antecedentes para a visitação de eventos culturais no bairro do Recife. Revista Turismo Em Análise, 31(3), 538-560. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v31i3p538-560

Edição

Seção

Artigos e Ensaios