O turismo criativo na agenda política e urbana: possibilidades de contribuição para os objetivos do desenvolvimento sustentável

Autores

  • Luana Alexandre Silva Universidade Federal de Pernambuco
  • Fernando Gomes de Paiva Júnior Universidade Federal de Pernambuco
  • Rebeka Cristiny Barbosa de Santana Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v32i2p323-343

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Políticas públicas, Objetivos do desenvolvimento sustentável, Turismo criativo

Resumo

A promoção do turismo criativo tem se estabelecido como parte das políticas públicas adotadas para fomentar a economia criativa nos territórios de destino turístico. Ao serem valorizadas as práticas criativas e culturais particulares de uma região por meio de envolvimento ativo entre os participantes, essa abordagem de turismo cultural se apresenta como modalidade favorável ao desenvolvimento sustentável daquela localidade. A Organização das Nações Unidas busca a sustentabilidade ao reunir, na Agenda 2030, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), destinados a orientar os formuladores de políticas públicas em prol de parâmetros econômicos, sociais e ambientais. O propósito deste estudo é compreender o modo como determinadas políticas públicas de fomento ao turismo criativo se alinham com o ODS número 11, que propõe a construção de cidades e comunidades sustentáveis. O estudo de caso único foi realizado a partir da pesquisa documental do Plano de Turismo Criativo instituído na cidade do Recife, Pernambuco, Brasil. Os resultados oriundos da análise de conteúdo indicam que a formulação de tal Plano tende a colaborar para o alcance das metas propostas pela Agenda 2030 nos quesitos de urbanização, gestão dos territórios e valorização do patrimônio cultural e natural. A política pública proposta demanda ênfase em fatores de infraestrutura relacionados a segurança, igualdade social, habitação, inclusão de pessoas em situação de vulnerabilidade e proteção ao patrimônio intelectual e ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Alexandre Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, Pernambuco, Brasil.

Fernando Gomes de Paiva Júnior, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Docente do curso de Administração na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, Pernambuco, Brasil.

Rebeka Cristiny Barbosa de Santana, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração/PROPAD da Universidade Federal de Pernambuco, Brasil.

Referências

Aall, C.; Koens, K. (2019). The discourse on sustainable urban tourism: The need for discussing more than overtourism. Sustainability, 11, 4228. DOI:101190/su11154228

Backes, A.; Nuske, M. A.; Konrath, G. C. S.; Thesing, N. J. (2018). Desenvolvimento Sustentável na Indústria Moveleira: um Estudo Multicaso na Região Noroeste do RS. HOLOS, 3, 135-151. DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2018.5697

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Boff, L. (2005). Ecologia e espiritualidade. In: Trigueiro, A. (Org.). Meio ambiente no século 21. Campinas: Armazém do Ipê.

Borges, C.H.L.; Ferraz, M.I.F.; Borges, A.V.B. (2015) Turismo sustentável e meios de hospedagem: uma avaliação da sustentabilidade hoteleira em Barra Grande, Maraú (BA). Revista Turismo – Visão e Ação, 17, 3, 601-629. DOI: 10.14210/rtva.v17n3.p601-629

Bosak, K. (2016). Tourism, development, and sustainability. In: Reframing sustainable tourism. Springer, Dordrecht, 33-44.

Burch, S.; Di Bella, J. (2021). Business models for the Anthropocene: accelerating sustainability transformations in the private sector. Sustainability Science, 1-14. DOI: https://doi.org/10.1007/s11625-021-01037-3

Carvalho, R. M. F.; Costa, C. M. M.; Ferreira, A. M. A. P. (2019). Review of the theoretical underpinnings in the creative tourism research field. Tourism & Management Studies, 15(1SI), 11-22. DOI: https://doi.org/10.18089/tms.2019.15SI02

Corá, J. M.; Henriques, C. (2021). O turismo criativo como base para as políticas focadas no desenvolvimento sustentável local: O caso de Brasília e do Recife–Brasil. Revista Turismo & Desenvolvimento, 36(1), 367-379. DOI: https://doi.org/10.34624/rtd.v1i36.9217

Correia, S. É. N.; Oliveira, V. M.; Feitosa, M. J. S.; Goméz, C. R. P. (2018). Inovação Social para o Desenvolvimento Sustentável: um caminho possível. Administração Pública e Gestão Social, 10(3), 199-212. URL: http://altec2015.nitec.co/altec/papers/501.pdf

Creative Tourism Network. (2019). The concept. Disponível em: <http://www.creativetourismnetwork.org/about-the-creative-tourism/> Acesso em 20 out. 2019.

Creative Tourism Network. (2020). Creative Experiences Worldwide. Disponível em: <http://www.creativetourismnetwork.org/creative-experiences-worldwide/> Acesso em 23 mai. 2020.

Creswell, J. W. (2014). Investigação Qualitativa e Projeto de Pesquisa-: Escolhendo entre Cinco Abordagens. Penso Editora.

Silva-Santos, A. C.; Nascimento-Pontes, A. (2019). Avaliando o alcance dos objetivos de desenvolvimento sustentável no Brasil. Revista Contribuciones a las Ciencias Sociales. URL: https://www.eumed.net/rev/cccss/2019/02/desenvolvimento-sustentavel-brasil.html

Duxbury, N.; Richards, G. (2019). Towards a research agenda for creative tourism: Developments, diversity, and dynamics. In Duxbury, N.; Richards, G. (Editores) A research agenda for creative tourism. Edward Elgar Publishing, p. 182-192.

Emmendoerfer, M. L.; Ashton, M. S. G. (2014). Territórios Criativos e suas Relações com o Turismo. Revista Turismo & Desenvolvimento, 4(21), 459-468. DOI: https://doi.org/10.34624/rtd.v4i21/22.12433

Emmendoerfer, M. L. (2019). Creative tourist regions as a basis for public policy. In Duxbury, N.; Richards, G. (Editores). A Research Agenda for Creative Tourism. Edward Elgar Publishing. p. 151-163.

Evans, G. (2017). Creative cities-an international perspective. The SAGE Handbook of New Urban Studies, 311.

Feil, A. A.; Schreiber, D. (2017). Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: desvendando as sobreposições e alcances de seus significados. Cadernos Ebape. BR, 15(3), 667-681.DOI: https://doi.org/10.1590/1679-395157473

Flick, Uwe. (2013). Introdução à metodologia de pesquisa: um guia para iniciantes. Penso Editora.

Grodach, C. (2013). Cultural economy planning in creative cities: Discourse and practice. International Journal of Urban and Regional Research, 37(5), 1747-1765. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1468-2427.2012.01165.x

Hardin, G. (1968). The tragedy of the commons. Science, 162(3859), 1243-1248. DOI: 10.1126/science.162.3859.1243

Hesmondhalgh, D. (2019). The cultural industries (4th edition). London: Sage.

Higgins-Desbiolles, F.; Carnicelli, S.; Krolikowski, C.; Wijesinghe, G.; Boluk, K. (2019). Degrowing tourism: rethinking tourism. Journal of Sustainable Tourism, 27(12), 1926-1944. DOI: https://doi.org/10.1080/09669582.2019.1601732

[IBGE] Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2020). Cidades e Estado. Disponível em:<https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pe/recife.html>. Acesso em 18 nov 2020.

Karampampas, P. (2020). (Re) inventing intangible cultural heritage through the market in Greece. International Journal of Heritage Studies, 1-14DOI: https://doi.org/10.1080/13527258.2020.1844277

Khamis, R. B. M., & Alves, J. S. (2018). A redução das desigualdades no Brasil e o objetivo desenvolvimento sustentável nº 10. JURIS-Revista da Faculdade de Direito, 28(2), 135-154. URL: https://seer.furg.br/juris/article/download/8357/5618

Kong, L. (2020). From cultural industries to creative industries and back? Towards clarifying theory and rethinking policy. In Dios, A; Kong, L (editores). Handbook on the Geographies of Creativity. Edward Elgar Publishing., p. 54–72.

Korez-Vide, R. (2013). Promoting sustainability of tourism by creative tourism development: how far is Slovenia?. Innovative issues and approaches in social sciences, 6(1), 77-102.URL: http://www.iiass.com/pdf/IIASS-Volume6-Number1_article_5.pdf

Macedo, A. S. S.; Alcântara, V. C.; Andrade, L. F. S.; Ferreira, P. A. (2016). O papel dos atores na formulação e implementação de políticas públicas: dinâmicas, conflitos e interesses no Programa Mais Médicos. Cadernos EBAPE.BR, 14(spe), 593-618. DOI: https://doi.org/10.1590/1679-395117188

Ministério do Turismo (2015). Índice de competitividade do turismo nacional. Brasil.URL: http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/indice-de-competitividade-do-turismo-nacional.html

Molina, S. (2011). Turismo Creativo: El fin de la competitividad. Chile: Escritores.

Nakamura, M.; Pendlebury, D.; Schenell, J.; Szomszor, M. (2019) Navigating the Structure of Research on Sustainable Development Goals. s.l., Web of Science Group. Disponível em: https://clarivate.com/g/sustainable-development-goals/ Acesso em: 15 outubro 2019.

Niquini, W. T. R. (2019). Política pública de turismo em nível municipal: o caso do Programa Porto Alegre Turismo Criativo. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais.URL: https://www.locus.ufv.br/bitstream/123456789/26918/1/texto%20completo.pdf

[ONU] Organização das Nações Unidas. (2015) Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). 17 Objetivos para transformar nosso mundo. New York: Organização das Nações Unidas.

[ONU] Organização das Nações Unidas (2019). Sustainable development goals. New York: United Nations.

Ostrom, E. (1990) Governing the Commons: the evolution of institutions for collective action: Nova York: Cambridge University Press.

Ostrom, E. (2012). Nested externalities and polycentric institutions: must we wait for global solutions to climate change before taking actions at other scales?. Economic theory, 49(2), 353-369.DOI: https://doi.org/10.1007/s00199-010-0558-6

Peltoniemi, M. (2015). Cultural industries: Product–market characteristics, management challenges and industry dynamics. International journal of management reviews, 17(1), 41-68.DOI: https://doi.org/10.1111/ijmr.12036

Pierantoni, L. (2015). Governing regional development through culture and creativity: The case of the Veneto region. European Planning Studies, 23(5), 963-978. DOI: https://doi.org/10.1080/09654313.2014.915013

Governo do Distrito Federal (2016). Plano de Turismo Criativo da cidade de Brasília (2016-19). Disponível em: https://www.turismo.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2017/11/Plano-de-Turismo-Criativo_.pdf. Acesso em 20 out. 2021.

Pratt, A. C.; Hutton, T. A. (2013). Reconceptualising the relationship between the creative economy and the city: Learning from the financial crisis. Cities, 33, 86-95. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cities.2012.05.008

Prefeitura da Cidade do Recife (2021). Plano Diretor da Prefeitura do Recife. Disponível em: <https://planodiretor.recife.pe.gov.br/>. Acesso em 20 out. 2021.

Prefeitura da Cidade do Recife (2018). Plano do Turismo Criativo do Recife (2019 – 2021). Prefeitura da Cidade do Recife, Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer. Disponível em: https://visit.recife.br/wp-content/uploads/2020/02/plano_turismo_criativo.pdf. Acesso em fev de 2021.

Prefeitura da Cidade do Recife. (2021). Relatórios de Execução do Plano em 2019 e 2020. Disponibilizados pelo Fórum de Turismo Criativo.

Prud’homme, B.; Raymond, L. (2016), "Implementation of sustainable development practices in the hospitality industry: A case study of five Canadian hotels", International Journal of Contemporary Hospitality Management, 28 (3), 609-639.DOI: https://doi.org/10.1108/IJCHM-12-2014-0629

Remoaldo, P.; Matos, O.; Gôja, R.; Alves, J.; Duxbury, N. (2020). Management Practices in Creative Tourism: Narratives by Managers from International Institutions to a More Sustainable Form of Tourism. Geosciences, 10(2), 46.DOI: https://doi.org/10.3390/geosciences10020046

Richards, G. (2021). The value of event networks and platforms: Evidence from a multi-annual cultural programme. Event Management. Vol. 25, pp. 85–97. DOI: https://doi.org/10.3727/152599520X15894679115501

Richards, G. (2020). Designing creative places: The role of creative tourism. Annals of tourism research, 85, 102922. DOI: https://doi.org/10.1016/j.annals.2020.102922

Richards, G. (2018a). Tourism, an underestimated driving force for the creative economy. Revista Turismo em Análise, 29(3), 387-395.DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v29i3p387-395

Richards, G. (2018b). Cultural tourism: A review of recent research and trends. Journal of Hospitality and Tourism Management, 36, 12-21.DOI: https://doi.org/10.1016/j.jhtm.2018.03.005

Richards, G. (2017). From place branding to placemaking: the role of events. International Journal of Event and Festival Management.DOI: https://doi.org/10.1108/IJEFM-09-2016-0063

Richards, G. (2016). The challenge of creative tourism. Ethnologies, Special issue on Créativité et médiation en tourisme et en patrimoine, 38 (1-2), 31-42.URL: https://www.researchgate.net/profile/Greg_Richards3/publication/320748662_The_challenge_of_creative_tourism/links/5a056c96458515eddb85bac1/The-challenge-of-creative-tourism

Richards, G.; Raymond, C. (2000). Creative tourism. ATLAS news, 23(8), 16-20.URL: https://www.academia.edu/1785786/Creative_Tourism_Richards_and_Raymond_2000

Santana, Rebeka Cristiny Barbosa de; Paiva Júnior, Fernando Gomes de; Silva, Luana Alexandre (2021). Turismo criativo e redução da pobreza: o caso da Bomba do Hemetério – Brasil”, Revista DELOS, 14, n 38. https://www.eumed.net/es/revistas/delos/vol-14-no-38-junio-2021/turismo-criativo-brasil

Scott, A. J. (2014). Beyond the creative city: cognitive–cultural capitalism and the new urbanism. Regional Studies, 48(4), 565-578. DOI: https://doi.org/10.1080/00343404.2014.891010

[SETUR-PE] - Secretaria de Turismo e Lazer de Pernambuco (2019). Disponível em: <http://www.setur.pe.gov.br/web/setur>. Acesso em 15 out 2020.

[UNWTO] World Tourism Organization . 2020. Disponível em: < https://www.unwto.org/news/unwto-releases-a-covid-19-technical-assistance-package-for-tourism-recovery>. Acesso em 21 mai 2020.

[UNWTO] World Tourism Organization. 2020b. Disponível em:<https://www.unwto.org/sustainable-development>. Acesso em 18 nov 2021.

Van-Boom, N. (2017). Rebalancing the creative city after 20 years of debate. In: Hannigan, J., Richards, G. The Sage handbook of new urban studies, 357-70. Thousand Oaks, CA: Sage.

Wattanacharoensil, W.; Schuckert, M. (2016). Reviewing Thailand's master plans and policies: implications for creative tourism?. Current Issues in Tourism, 19(10), 1045-1070. DOI: https://doi.org/10.1080/13683500.2014.882295

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Silva, L. A., Paiva Júnior, F. G. de, & Santana, R. C. B. de. (2021). O turismo criativo na agenda política e urbana: possibilidades de contribuição para os objetivos do desenvolvimento sustentável. Revista Turismo Em Análise, 32(2), 323-343. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v32i2p323-343

Edição

Seção

Artigos e Ensaios