NAS GRANDES E PEQUENAS FOLHAS: ÁLVARES DE AZEVEDO NA IMPRENSA LUSA OITOCENTISTA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i37.170071

Palavras-chave:

romantismos, imprensa acadêmica, nacionalismo literário, Byorismo

Resumo

este artigo discute a recepção do escritor brasileiro Álvares de Azevedo na imprensa acadêmica de Coimbra. No intuito de melhor compreender as possíveis especificidades dos periódicos estudantis, o texto retoma, inicialmente, a perspectiva geral assumida pela imprensa lusa em relação à nascente literatura brasileira e alguns exemplos da abordagem conferida ao autor na grande imprensa, em especial, os escritos de Lopes de Mendonça. É à luz desse percurso que se discute como a poesia alvaresiana foi interpretada pelos acadêmicos coimbrenses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natália Gonçalves de Souza Santos, Universidade Estadual do Piauí

Doutora pelo Programa de pós-graduação em Teoria Literária e Literatura Comparada da USP e autora do livro Antagonismo e dissolução:  o pensamento crítico de Álvares de Azevedo (São Paulo: Humanistas/FAPESP, 2014), fruto de sua dissertação de mestrado, defendida junto ao mesmo programa. Professora na Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus Floriano

Referências

ALENCAR, José de. Pós-Escrito. In: ALENCAR, José de. Iracema: lenda do Ceará. Rio de Janeiro: José Olympio, 1951, v. VIII. p. 183-205.

ÁTILA, O. 14 vols. Coimbra: Imprensa literária, dez/1863 a mar/1864.

AZEVEDO, Álvares de. Poesias completas. Edição crítica de Péricles Eugênio da Silva Ramos/Organização de Iumna Maria Simon. Campinas: Ed. da Unicamp/São Paulo: Imprensa Oficial, 2002.

BARBOZA, Onédia Célia de Carvalho. Byron no Brasil: traduções. São Paulo: Ática, 1975.

BRANCO, Camilo Castelo. Cancioneiro alegre de poetas portugueses e brasileiros. vols. 1 e 2. Porto: Livraria Chardron, 1927.

BRANCO, Camilo Castelo. Literatura brasileira. Noites de insônia oferecidas a quem não pode dormir. Livraria internacional de Ernesto Chardron / Porto, Braga, v. 4, pp. 50-53, 1874.

BRAGA, Teófilo. História da poesia moderna em Portugal. Porto: Tipografia da livraria nacional, 1869.

BRAGA, Teófilo. Parnaso português moderno. Lisboa: Francisco Arthur da Silva editor, 1877.

CAMILO, Vagner. Álvares de Azevedo, o Fausto e o mito romântico do adolescente no contexto político-estudantil do segundo reinado. Itinerários, Araraquara, n. 33, p. 61- 108, jul./dez. 2011.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos, 1750-1880. 10ª ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2006.

CHAGAS, Pinheiro. Letras e Artes. Anuário do Arquivo Pitoresco. Lisboa, n. 25, p. 198, 1866.

CHAVES, Vânia Pinheiro. Gonçalves Dias e Alvares de Azevedo: dois perfis românticos em destaque no Novo Almanaque de Lembranças Luso-brasileiro. In: SANTOS, Gilda da Conceição (org.). O Real em revista: impressos luso-brasileiros oitocentistas. Rio de Janeiro, 2015, pp. 87-103.

CUROPOS, Fernando. Contra os queers, marchar, marchar! Via Atlântica / USP, São Paulo, n. 33, pp. 135-149, 2018.

FRANÇA, Eduardo Melo. A recepção de Álvares de Azevedo, Fagundes Varela, Casimiro de Abreu e Junqueira Freire em Portugal no século XIX. Todas as letras X, São Paulo, v. 16, n. 2, pp. 110-122, 2014.

GARMES, Hélder. O Romantismo Paulista: Os Ensaios Literários e o periodismo acadêmico de 1833 a 1860. São Paulo: Alameda, 2006.

NOVAES, Francisco Xavier de. Correspondência do Brasil. Revista Contemporânea de Portugal e Brasil, Lisboa, v. 3, pp. 320-323, 1861.

MENDONÇA, A. P. Lopes de. Ensaios de crítica e literatura. Lisboa: Tipografia da Revolução de Setembro, 1849.

MENDONÇA, A. P. Manuel Antônio Álvares de Azevedo: poeta brasileiro. Arquivo Pitoresco: Semanário Ilustrado, Lisboa: Tipografia de Castro, Irmão & Cia., v. 2, n. 10, p. 77-79, 1858.

MENDONÇA, A. P. Memórias de literatura contemporânea. Lisboa: Typographia do Panorama, 1855.

MENDONÇA, A. P. Um poeta brasileiro. Almanaque de Lembranças Luso-brasileiro. Lisboa: Tipografia universal, pp. 297-298, 1855.

MOREIRA, Maria Eunice. Nossos homens em Lisboa: a literatura brasileira em fontes brasileiras no século XIX. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 39, n. 2, pp. 21-33, 2004.

MOREIRA, Maria Eunice. Três românticos brasileiros e a crítica portuguesa no século XIX. Revista Miscelânia / UNESP/ Assis, v. 14, p.69-79, jul-dez. 2013.

MOSAICO. folha quinzenal, literária e científica. 10 vols. Coimbra: Imprensa acadêmica, dez/1874 a abril/1875.

PALMA, Patrícia de Jesus. O mercado do livro brasileiro em Portugal: o contributo de Ernesto Chardron. pp. 1-19, s/d. Disponível em: <https://www.academia.edu/27952840/O_mercado_do_livro_brasileiro_em_Portugal_o_contributo_do_editor_Ernesto_Chardron>. Acesso em: 21/05/2020.

PRATA, Manuel Alberto Carvalho. Imprensa estudantil de Coimbra: repertório analítico (século XIX). vol. I. Coimbra: Imprensa da Universidade, 2006.

REVISTA DE COIMBRA: folha quinzenal. 9 vols. Coimbra: Imprensa Universitária, dez/1865 a abril/1866.

RIBEIRO, Maria Aparecida. Os panoramas brasileiros d’O Panorama. Navegações / PUCRS, v. 4, n. 2, p. 208-213, jul./dez. 2011.

ROMERO, Sílvio [1888]. Álvares de Azevedo. In AZEVEDO, Álvares de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000.

SILVA, Inocêncio Francisco da. Dicionário bibliográfico português. Tomo 5. Lisboa: Imprensa Nacional, pp. 357-358, 1860.

TENGARRINHA, José Manuel. História da Imprensa Periódica Portuguesa. 2ª ed. Lisboa: Caminho, 1989.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Santos, N. G. de S. (2020). NAS GRANDES E PEQUENAS FOLHAS: ÁLVARES DE AZEVEDO NA IMPRENSA LUSA OITOCENTISTA. Via Atlântica, (37), 156-189. https://doi.org/10.11606/va.v0i37.170071

Edição

Seção

Dossiê 37: Imprensa Brasileira e Portuguesa