Caminhos possíveis na pesquisa em língua portuguesa e suas literaturas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.i38.173502

Palavras-chave:

língua portuguesa, literatura, tradução, turismo, educação

Resumo

Neste artigo, busca-se revisar os possíveis caminhos na pesquisa luso-brasileira em língua portuguesa e suas literaturas entre os anos de 1970 até o ano de 2020. Partimos nesse recorte da nossa experiência no ensino e na pesquisa em língua portuguesa no contexto egípcio, ressaltando os sentidos linguístico, literário, tradutório, turístico e educativo da linguagem humana em três eixos: o significar, o comunicar e o interagir. A complexidade dessas experiências em língua portuguesa ganha relevância por meio da interdisciplinaridade e da interculturalidade, proporcionando um diálogo entre os diversos grupos culturais que se encontram nessa língua, sejam nos estudos e pesquisas do campo ou no aprendizado da língua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maged Talaat Mohamed Ahmed Elgebaly, Universidade do Porto. Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa

Atualmente, investigador do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa da Universidade do Porto/ Bolseiro do Instituto Camões. Professor coordenador do Departamento de Língua Portuguesa da Aswan University.Possui doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2012), doutorado em Língua Espanhola (Linguística)- Ain Shams University (2011), mestrado em Língua Espanhola (Linguística) pelo Instituto Caro y Cuervo (2005), e graduação em Língua Espanhola - Ain Shams University (1999).“O artigo ““O Egito na interface entre o Diário de Dom Pedro II e os jornais “Diário de Maranhão” e “Diário do Rio de Janeiro” em 1876 e 1877"” faz parte do Pós-doutoramento no Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, no Grupo de Investigação Inter/transculturalidade, financiado por Fundos Nacionais através da FCT- Fundação para a Ciência e Tecnologia , no âmbito do Programa Estratégico “UID/ELT/00500/2013” e por Fundos FDER através do Programa Operacional de Fatores de Competividade- COMPETE “POCI-01-0145-FEDER-007339”.

Referências

ABDALA Jr, B. Terra morta e outras terras: sistemas literários nacionais e o macrossistema literário da língua portuguesa. Veredas. Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, Porto, v. 3, n.II, p. 523-536, 2001.

ABDALA Jr, B. Literatura, história e política - 2ª edição. 2ª. ed. Cotia: Ateliê Editorial, 2007.

ABDALA Jr., B. Fronteiras (múltiplas), identidades (plurais), comunitarismos (culturais). Revista Olho d'água, v. 4(2), p. 30-40, 2012.

ABDALA Jr, B. Estudos comparados: teoria, crítica e metodologia. 1. ed. Cotia (SP): Ateliê Editorial, v. 1, 2014.

ABDALA Jr, B. Reflexões comunitárias e administração de diferenças. SIGNOTICA (UFG), v. 29, p. 15-26, 2017.

ADALBERTO, José Coelho Alves. Portugal: ecos de um passado árabe. Lisboa: Colecção Lazúli, Instituto Camões, 1999.

ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes. Linguística aplicada, ensino de línguas e comunicação. Campinas: Pontes Editores / ArteLíngua, 2005.

ALVES, Ida. Em torno da paisagem: literatura e geografia em diálogo interdisciplinar. Revista da ANPOLL (Online), v. 1, p. 181, 2013. Disponível em: https://anpoll.emnuvens.com.br/revista/article/view/650.

ANDRADE, Mário de. O Turista Aprendiz. Estabelecimento do texto, introdução e notas de Telê Porto Ancona Lopez. São Paulo: Duas Cidades/Secretaria de Cultura, Esportes e Tecnologia, 1976.

BAKER, Mona. Encyclopedia of Translation Studies, London: Routledge, 1998.

BARBOSA, Damares. Roteiro da Literatura de Timor-Leste em Língua Portuguesa. (2013) Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

BARBOSA, Heloisa Gonçalves. Procedimentos técnicos da tradução, uma nova proposta. 1. ed. Campinas: Pontes Editores, v. 1, 1990.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37ª ed. rev. e amp. Rio de Janeiro: Editora Lucerna e Editora Nova Fronteira, 2009.

BERMAN, Antoine. Tradução e a Letra ou O albergue do longínquo. Florianópolis: Tubarão, 2013.

BERND, Zilá. Dicionário de figuras e mitos literários das americas. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS e Tomo Editorial, v. 01, 2007..

BERRINI, Beatriz. Presença feminina em Eça de Queiroz. Boletim Bibliográfico Biblioteca Mário de Andrade, São Paulo, v. 43, n.3 e 4, p. 81-86, 1982.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

BOSI, Alfredo. Caminhos entre a literatura e a história. Estudos Avançados (USP. Impresso), v. 19, p. 315-334, 2005.

BRAIT, Beth. Bakhtin: conceitos-chave. 5. ed. São Paulo: Contexto, v. 1, 2012a.

BRAIT, Beth. Bakhtin: outros conceitos-chave. 2. ed. São Paulo: Contexto, v. 1, 2012b.

BUESCU, Helena Carvalhão. Inventar a Ler. Literatura-Mundo em Português. In: ABDALA Jr., B. Estudos comparados: teoria, crítica e metodologia. 1. ed. Cotia (SP): Ateliê Editorial, 2014.

BUNGE, Mario. La investigación científica. Su estrategia y su filosofía. México: Siglo XXI Editores, 2000.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Elementos de Fonética do Português Brasileiro. 1. ed. São Paulo: Paulistana, v. 1, 2007.

CÂMARA, Joaquim Mattoso. Estrutura da língua portuguesa. 16ª ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

CAMÕES, Luís de. Os Lusíadas. 1.ª ed. Lisboa: Rei dos Livros, 2002.

CANDIDO, Antonio. O estudo analítico do poema. Humanitas Publicações. São Paulo: 1987.

CANDIDO, Antonio. Iniciação à literatura brasileira. São Paulo: Humanitas Publicações, 1997.

CHAVES, Rita. A formação do romance angolano: entre intenções e gestos. Coleção Via Atlântica, n° 1. São Paulo, 1999.

COELHO, Nelly Novaes. Panorama histórico da literatura infantil/juvenil. São Paulo: Ática, 1991.

COELHO, Nelly Novaes. Dicionário crítico de escritoras brasileiras, 1711-2002. São Paulo: Escrituras, 2002.

COSSON, Rildo. Paradigmas do ensino da literatura. São Paulo: Contexto, 2020.

COSTA LIMA, Luiz. Poesia e experiência estética. REVISTA DE TEORIA DA HISTÓRIA, v. 20, p. 29-40, 2018.

CUNHA, Celso Ferreira da; CINTRA, Luís Filipe Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Editora Lexikon, Edição 7, 2016.

DALCASTAGNÈ, Regina. A crítica literária em periódicos brasileiros contemporâneos: uma aproximação inicial. ESTUDOS DE LITERATURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA, v. 54, p. 195-209, 2018.

DUARTE, Isabel Margarida; e LEÓN, Rogelio Ponce de. Marcadores discursivos: O português como referência contrastiva. Frankfurt: Peter-lang, 2020.

ELGEBALY, Maged Talaat Mohamed Ahmed. Mobilidades culturais e alteridades em Relato de um certo oriente e sua pré-tradução árabe. 2012. Tese (Doutorado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

ELGEBALY, Maged T. M. A. Raízes do Terror”. MALALA - REVISTA DO GRUPO DE TRABALHO ORIENTE MÉDIO E MUNDO MUÇULMANO (GTOMMM) da FFLCH, USP, v. 3, p. 153, 2015.

ELGEBALY, Maged T. M. A.; RODRIGUES SILVA, WAGNER; DE MEDEIROS, ANA LÚCIA. Pelo ensino do português brasileiro como língua adicional no Egito. Revista Gragoatá (UFF), v. 22, p. 473-498, 2017a.

ELGEBALY, Maged T. M. A. Mulheres como cenário de crítica social: Luísa de O primo Basílio e Rita de A cartomante. In: I Congresso Internacional de Letras (Língua Portuguesa e suas literaturas no mundo), de 23 ao 25 de agosto de 2017. UFMA, Bacabal, publicado em Carlos, SP pelos Pedro e João Editores, p. 1294-1304, 2017b.

ELGEBALY, Maged T. M. A. Entre imprensa e literatura: Luísa de O Primo Basílio e as mulheres em “Cinco mulheres” e “Missa do Galo” de Machado de Assis. In: IV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE LITERATURA E GÊNERO, de 5 a 7 de setembro 2018a, FUESPI, TERESINA, PIAUÍ, v. 01, p. 162-173.

ELGEBALY, Maged T. M. A. Travessias e desafios da introdução dos estudos da língua portuguesa no Egito. In: Práticas de ensino e tecnologias digitais. Campina Grande-PB: Editora da Universidade Estadual da Paraíba EDUEPB, p. 499-517, 2018b.

ELGEBALY, Maged Talaat Mohamed Ahmed; PINTO, Liliane Faria Correa. O Egito na interface entre o diário de Dom Pedro II e os jornais “Diário de Maranhão” e “Diário do Rio de Janeiro” em 1876 e 1877. Via Atlântica, v. 35, p. 333, 13 DE NOVEMBRO, 2019.

ELGEBALY, Maged Talaat Mohamed Ahmed. Travessias de Eça de Queiroz entre a inauguração do canal de Suez e o começo literário. Revista Anthesis. UFAC, Rio Branco (Acre, Brasil). ISSN 2317-0824, 30 de junho 2020.

EVARISTO, Conceição. Escrevivências da Afro-Brasilidade: história e memória. Releitura (Belo Horizonte), v. 1, p. 5-11, 2008.

FANJUL, Adrian Pablo; GONZÁLEZ, Neide Therezinha Maia (Org.). Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial, v. 1, 2014.

FIORIN, José Luiz. As astúcias da enunciação. As categorias de pessoa, espaço e tempo. 3. ed. São Paulo: Contexto, v. 1, 2016.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. Corps écrit, nº. 5: L’autoportrait, p. 3-23, 1983.

FRANCHETTI, Paulo. Alguns aspectos da teoria da poesia concreta. 4. ed. Campinas: Editora da Unicamp, v. 1, 2012.

GARMES, Helder. Goa e Macau: às margens do macrossistema literário de língua portuguesa. In: Monica Simas. (Org.). Estudos sobre Macau e outros Orientes. 1ed. São Paulo: Editora Paulistana, v. 1, p. 169-183, 2017.

GEE, James Paul. Literacy and education. New York: Routledge, 2015.

GOMES, Simone Caputo. Cabo Verde: Literatura em chão de cultura. 1. ed. Cotia-Praia (Cabo Verde): Ateliê Editorial e Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, v. 1, 2008.

GONÇALVES, Carlos Alexandre Victorio. Atuais tendências em formação de palavras. São Paulo: Contexto, 2016. v. 1.

GOUANVIC, Jean-Marc. A Bourdieusian Theory of Translation, or the Coincidence of Practical Instances. Field, “Habitus”, Capital and “Illusio”. In: INGHILLERI, M. (Ed.) Bourdieu and the Sociology of Translation and Interpreting. The Translator, Special Issue. Manchester, UK: St. Jerome, 2005. p. 147-166.

KOCH, Ingedore Grünfeld Villaça. Introdução a linguística textual. São Paulo: Editora Contexto, 2015.

LEITE, A. M. M. Literaturas Africanas e Formulações Pós-Coloniais. Maputo: Imprensa Universitária, 2004.

LIMA, Isabel Pires de. As máscaras do desengano: Para uma abordagem sociológica de "Os Maias" de Eça de Queirós. Lisboa: Editorial Caminho, 1987.

MAGALDI, Sábato Antônio. Panorama do Teatro Brasileiro. Rio de Janeiro: Global Editora, 2001.

MATEUS, Maria Helena Mira; BRITO, Ana Maria; DUARTE, Inês; FARIA, Isabel Hub. Gramática da língua portuguesa. Lisboa: Editorial Caminho, 2003.

MATEUS, Maria Helena Mira; FALÉ, Isabel; FREITAS, Maria João. Fonética e fonologia do português. Lisboa: Universidade Aberta, 2016.

MAZRUI, Ali A. Africa: africa and arabs in new world order. UFAHAMU. University of California, Los Angeles, 1992.

MEIRELES, Cecília. Crônicas de viagem. Volumes (1), (2) e (3). (Obra em prosa). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de Discurso princípios e procedimentos. 5ª ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2003.

PALUMBO, Giuseppe. Key terms in translation studies. Chennai: Editorial Continuum, 2009

PECHEUX, Michel. Análise do Discurso, textos escolhidos e traduzidos por Eni Puccinelli Orlandi. Campinas, Campinas: Pontes Editores, 2011.

PYM, Anthony. Method in Translation History. London/Manchester: St Jerome Eds, 1998.

REAL, Miguel. Introdução a cultura portuguesa: séculos XIII a XIX. Lisboa: Planeta, 2001.

REIS, Carlos. O conhecimento da literatura: introdução aos estudos literários. Livraria Almedina, 1995.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alain François. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2007.

RICOEUR, Paul. Sobre a tradução. Tradução e prefácio de Patrícia Lavelle. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

ROCHA, Luiz Carlos de Assis. Estruturas morfológicas do Português. 1. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, v. 1, 1998.

SANTIAGO, Silviano. O entrelugar do discurso latinoamericano. In: Uma literatura nos trópicos: ensaios sobre depenência cultural. São Paulo: Perspectiva. Secretaria da Cultura, Ciência e Tecnologia, 1978.

SANTOS, Boaventura de Sousa. El milenio huerfáno. Madrid: Akal, 2005

SARAMAGO, José. Viagem a Portugal. Lisboa: Círculo do Livro, 1981

SCHLEIERMACHER, Friedrich. On the Different Methods of Translating. In: VENUTI, Lawrence (ed.). The Translation Studies Reader. New York: Routledge, 2004.

SILVA, Teresa Cerdeira Cristina. Do labirinto textual ou da escrita como lugar de memória. Revista Colóquio/Letras, Lisboa - Portugal, v. 151/2, p. 249-266, 1999.

SOARES, Magda. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2017.

STEINER, George. After Babel. Oxford: Oxford University Press, 1975.

TAILCHE, Khalid. Memória cultural e alteridades na diáspora árabe nas Américas: liga Andaluza em São Paulo e a Associação do Cálamo em Nova Iorque. (Trabalho de Pós-doutorado). São Paulo: FAPESP. FFLCH - USP, 2015

TATIT, Luís. Semiótica da canção: música e letra. São Paulo: Escuta, 1995.

TEYSSIER, Paul. História da língua portuguesa. Tradução de Celso Cunha. Lisboa: Sá da Costa, 1982.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação - Uma proposta para o ensino de gramática no 1o. e 2o. graus. 1a.. ed. São Paulo: Cortez, 1996. v. 1.

WILLIAMS, Jenny & CHESTERMAN, Andrew. The Map: A beginner's guide to doing research in translation studies. Manchester: St Jerome Publishing, 2002.

Downloads

Publicado

2020-12-23

Como Citar

Elgebaly, M. T. M. A. (2020). Caminhos possíveis na pesquisa em língua portuguesa e suas literaturas. Via Atlântica, 21(2), 113-163. https://doi.org/10.11606/va.i38.173502