Mwangolé: a música angolana de intervenção como arquivo memorial e código poético

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.i41.190200

Palavras-chave:

música, oralidade, Angola, kimbundu, poesia

Resumo

O artigo pretende trazer à superfície alguns elementos da poética da música de intervenção angolana entre os anos 1950-1970, sublinhando a ligação entre poesia e produção musical no período em análise, à luz do respetivo contexto sociopolítico. Apresentam-se aqui alguns textos de músicas em kimbundu que nunca tinham circulado em português, cujas caraterísticas linguísticas e retóricas revelam temas e estruturas que influenciaram a evolução da música angolana até os dias de hoje. Sublinha-se ainda o papel da música de intervenção enquanto principal Lugar de cultura (BHABHA) no processo de passagem da sociedade colonial ao contexto pós-colonial e na definição identitária da nação angolana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Amanda P. "Angolano segue em frente": um panorama do cenário musical urbano de Angola entre as décadas de 1940 e 1970. Doutorado em História. Universidade Federal Fluminense, 2015.

AMARAL, Ilídio do. O reino do Congo, os Mbundu (ou Ambundos), o reino dos "Ngola" (ou de Angola) e a presença portuguesa de finais do século XV a meados do século XVI. Lisboa: Ministério da Ciência e da Tecnologia, Instituto de Investigação Científica Tropical, 1996.

ANDRADE, Mário P. Antologia da poesia negra de expressão portuguesa, Paris: Pierre Jean Oswald, 1958.

ANDRADE, Mário P.; AGUALUSA, José E. Origens do nacionalismo africano. Continuidade e ruptura nos movimentos unitários emergentes da luta contra a dominação colonial portuguesa. Lisboa: Dom Quixote, 1997.

BENDER, Gerald J. Angola sob o domínio português. Mito e realidade. 2009.

CHATELAIN, Héli; PIRES DE LIMA, ‎Fernando C. Contos populares de Angola: cinquenta contos em quimbundo. Lisboa: Agência Geral do Ultramar, 1964.

CHAVES, Rita. “O passado presente na literatura africana”. Via Atlântica. São Paulo: n. 7, p. 147-161, 2004.

DIAS, Eduardo. Repensar os Estudos Africanos: descolonizar o pensamento, questionar as práticas, reconfigurar as agendas. Revista Lusófona de estudos culturais, vol. 2, n.º 1, p. 7-24, 2014.

CUNHA, Anabela. 'Processo dos 50': memórias da luta clandestina pela independência de Angola, Revista Angolana de Sociologia, n. 8, p. 87-96, 2011,

FIGUEREDO, José F. de B. A leitura e a escrita iniciais. Sá da Bandeira: Publicações Imbondeiro, 1964 em Instituto Nacional de Estatística. Vida Cultural. Anuário Estatístico do Ultramar: 5 – p. 82-92, 1957.

KALUA, Fetson. Homi Bhabha's Third Space and African identity, Journal of African Cultural Studies, Vol. 21, No. 1, June 2009, pp. 23-32.

KUSCHICK, Mateus B. Kotas, mamás, mais velhos, pais grandes do semba: a música angolana nas ondas sonoras do Atlântico Negro, Universidade Estadual de Campinas, 2016.

LEITE, Ana Mafalda. Oralidades e escritas nas literaturas africanas. Lisboa: Edições Colibri, 1998.

LEITE, Ana Mafalda. Oralidades e Escritas pós-coloniais. Rio de Janeiro: Eduerj, 2012.

LEITE, Fábio. Valores civilizatórios em sociedades negro-africanas. África: Revista do Centro de Estudos Africanos. São Paulo, v. 18, n. 19, pp. 103-118, 1996.

LUIS, Solange M. E. M. Poesia angolana de resistência: a palavra, a ak-47, o silêncio e o microfone, Tese de Doutoramento em Literatura de Língua Portuguesa, Universidade de Coimbra, 2014.

MAGALHÃES, António M. Manual de Lenguas Indigenas de Angola. The Long Now Foundation, 1922.

MATA, Inocência. No fluxo da resistência: a literatura, (ainda) universo da reinvenção da diferença. Gragoatá. Universidade Federal Fluminense, Niterói, n. 27, 2.º sem., p. 81-96, 2009.

MATA, Inocência. António Jacinto e a pedagogia intercultural. In TAVARES A.P; SILVA F. M.,

MINGAS, Amélia. Interferência do Kimbundu no Português Falado em Lwanda, Lisboa: Campo das letras, 2000.

MOORMAN, Marissa. Intonations, Ohio University Press, 2008.

MOORMAN, Marissa. Powerful Frequencies. Radio, State, and the Cold War in Angola, 1931-2002. Athens, Ohio: Ohio University Press, 2019.

MUEKALIA, Jardo. Angola: A segunda revolução. Memórias da luta pela democracia, Lisboa: Sextante, 2010.

MUKUNA, Kazadi Wa, Contribuição Bantu na Música Popular Brasileira: Perspectivas Etnomusicológicas, São Paulo: Terceira Margem, 2006.

NEVES, João Alves das. Poetas e Contistas Africanos de Expressão Portuguesa. São Paulo: Brasiliense, 1963.

OLIVEIRA, Kyoma. O papel das manifestações artísticas contrahegemônicas na desconstrução do discurso colonial. Revista Lusófona de estudos culturais. vol. 2, n.º 1, pp. 84-101, 2014.

OLSON, D.; TORRANCE, N. (Org.) Cultura escrita e oralidade. São Paulo: Ática, 1995.

PATTANAYAK, D. A cultura escrita: um instrumento de opressão. In OLSON, D. R.; RIBAS, Oscar. Izomba: associativismo e recreio. Luanda: Tip. Angolana, 1965.

PATTANAYAK, D. Sunguilando, Lisboa: Agência Geral do Ultramar, 1967.

PINHEIRO, L.C. António Jacinto e a sua época. A modernidade nas literaturas africanas em língua portuguesa, Lisboa: CLEPUL, p. 79-96, 2015,

PINHEIRO, L.C. Géneros narrativos nas literaturas africanas de língua portuguesa – entre a tradição africana e o “cânone ocidental”. Scripta. Belo Horizonte, v. 19, n. 37, 2.º sem., p. 79-94 2015.

ROCHA, Edmundo. Angola. Contribuição ao Estado da génese do nacionalismo moderno angolano. (Período de 1950 a 1964) Lisboa: Dinalivro, 2009.

SOBRAL, Fernando. As Jóias de Goa, Lisboa: Parsifal, 2015.

SOJA, Edward W. Thirdspace: Journeys to Los Angeles and Other Real-and-Imagined Place, London: Wiley-Blackwell, 1996.

THIONG, Ngugi W. Decolonising the Mind: the politics of language in African literature. Nairobi: Heinemann Educational, 1986.

VISENTINI, Paulo. As revoluções africanas – Angola, Moçambique e Etiópia. São Paulo: Editora Unesp, 2012.

“Cem anos de Liceu Vieira Dias: Uma das figuras da História de Angola”, Jornal de Angola (12/05/2019). Disponível em: <https://www.jornaldeangola.ao/ao/noticias/cem-anos-de-liceu-vieira-dias-uma-das-figuras-da-historia-de-angola/>. Acesso em: 22 ago 2021.

ARNAULD, Gérald. Da colonização à convivência. Conversa com Ariel de Bigault (10/2001), Buala. Disponível em: <https://www.buala.org/pt/a-ler/da-colonizacao-a-convivencia>. Acesso em: 22 ago 2021.

BIGAULT, Ariel. Ação cultural instrumento para a ingualdade. Conversa com Chico César (05/07/ 2010) Buala. Disponível em <https://www.buala.org/pt/cara-a-cara> Acesso em: 22 ago 2021.

DAMIÃO, Paulino. Espaço cultural Rebita exibe O ritmo do ‘Ngola Ritmos, Jornal de Angola (27/02/2017). Disponível em: <https://www.jornaldeangola.ao/ao/noticias/detalhes.php?id=375217>. Acesso em: 22 ago 2021.

DE ANDRADE, Soraia: Angola: o itinerário da palavra na canção e a emancipação da cultura popular face ao imperialismo português (1961-1975) Mural Sonoro. Disponível em: <https://www.muralsonoro.com/mural-sonoro-pt/2015/12/31/angola-o-itinerrio-da-palavra-na-cano-e-a-emancipao-da-cultura-popular-face-ao-imperialismo-portugus-1961-1975-por-soraia-simes>. Acesso em: 22 ago 2021.

LANÇA, Marta. “Conjunto Ngnongunha ninguém os segura” (02/09/2010), em Buala. Disponível em: <https://www.buala.org/pt/palcos/conjunto-gonguenha-ninguem-os-sungura> Acesso em: 22 ago 2021.

LANÇA, Marta. Recordar Liceu Vieira Dias, Novo Jornal, Angola (Abril 2010). Buala. Disponível em: <https://www.buala.org/pt/afroscreen/recordar-liceu-vieira-dias>. Acesso em: 22 ago 2021.

LANDO, Teta. Angolano segue em frente, album Independência, CDA, Angola, 1974. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=O23MLzAQhH0>. Acesso em: 22 ago 2021.

MIRANDA, Dodó interpreta Muimbu ua Sabalu de Mario Pinto de Andrade. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=lmopW0Bpk7w>. Acesso em: 22 ago 2021.

MIÚDO, Francisco. “É preciso preparar a juventude para valores patrióticos” entrevista a amadeu amorim. agencia angola press (27/06/2021) Disponível em: <https://www.angop.ao/noticias/entrevistas/e-preciso-preparar-a-juventude-para-valores-patrioticos-amadeu-amorim/>. Acesso em: 20 ago 2021.

MOORMAN, Marissa. Música e Lusotropicalismo na Luanda colonial tardia, em Palcos (30/09/2010), Buala. Disponível em: <https://www.buala.org/pt/palcos/musica-e-lusotropicalismo-na-luanda-colonial-tardia>. Acesso em: 22 ago 2021.

‘NGOLA RITMOS, Nzagi, Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=YYzk-1jFTY0>. Acesso em: 22 ago 2021.

‘NGOLA RITMOS, Nzagi. Manazinha, gravação RTP, 1964. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=89JDlmPxfXs> Acesso em: 22 ago 2021.

NUNES, Artur. Njila ya Kwako. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=cG5xkDPk8z0>. Acesso em: 22 ago 2021.

NUNES, Artur. Ku muxitu buala ana Ngola. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=eM7t-I4MbDs>. Acesso em: 22 ago 2021.

PALMA, Belita (Banda Maravilha) interpreta Nguxi. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=WK9ThBlT9nU>. Acesso em: 22 ago 2021.

PALMA, Belita. Manazinha, cantada por Belita Palma e gravada com os ‘Ngola Ritmos encontra-se no álbum Angola 70's (Vol. 2: 1974-1978), Buda Musique, France, 2000.

RODRIGUES, António, Artur Nunes, Rede Angola, (28/05/2014). Disponível em: <http://www.redeangola.info/especiais/artur-nunes-o-espiritualista/> Acesso em 20/08/2021.

RODRIGUES, António. Artur Nunes Músico Angolano, Buala, 1 Junho 2014. Disponível em: <https://www.buala.org/pt/cara-a-cara/artur-nunes-musico-angolano>. Acesso em: 202021.

ZÉ, David. Tribalismos. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ipWsJQGgYYs>. Acesso em: 22 ago 2021.

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

Negro, F. (2022). Mwangolé: a música angolana de intervenção como arquivo memorial e código poético. Via Atlântica, 23(1), 196-229. https://doi.org/10.11606/va.i41.190200

Edição

Seção

Dossiê 41: Margens do Atlântico em Português