A VOZ E O CORPO: HIBRIDAÇÃO NA NARRATIVA DE ORLANDO MENDES, MIA COUTO E PAULINA CHIZIANE

Autores

  • Ana Teixeira Centro de Estudos Africanos – ISCTE, Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i16.50462

Palavras-chave:

pós-colonialismo, hibridação, narrativa moçambicana, Orlando Mendes, Mia Couto, Paulina Chiziane

Resumo

A COMPLEXIDADE DOS CONTEXTOS PÓS-COLONIAIS EXIGE DA CRÍTICA A BUSCA DE DEFINIÇÕES CONCEITUAIS COM BASE EM LÓGICAS INTERPRETATIVAS COERENTES, QUE LEVEM A ESCOLHAS TERMINOLÓGICAS ADEQUADAS, POR EXEMPLO, PARA A ABORDAGEM DE QUESTÕES CONCERNENTES AOS FENÔMENOS E PROCESSOS DE CHOQUE OU FUSÃO IDENTITÁRIA. PARTINDO DA ESPECIFICAÇÃO DOS CONCEITOS DE “HIBRIDAÇÃO”, “HIBRIDISMO” E “MESTIÇAGEM”, O TEXTO DISCORRERÁ SOBRE AS NARRATIVAS MOÇAMBICANAS DE ORLANDO MENDES, MIA COUTO E PAULINA CHIZIANE, CONSIDERANDO QUE AS MESMAS ESPELHAM UM CENÁRIO PRIVILEGIADO DE PROCESSOS DE HIBRIDAÇÃO.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-24

Como Citar

Teixeira, A. (2009). A VOZ E O CORPO: HIBRIDAÇÃO NA NARRATIVA DE ORLANDO MENDES, MIA COUTO E PAULINA CHIZIANE. Via Atlântica, 10(2), 63-78. https://doi.org/10.11606/va.v0i16.50462

Edição

Seção

Dossiê 16: Moçambique – história, literatura e relações culturais