ANTONIO JACINTO E O POEMA “CARTA DE UM CONTRATADO”: DIÁLOGO NO ESPAÇO DA LÍNGUA PORTUGUESA

Autores

  • Sérgio Paulo Adolfo Universidade Estadual de Londrina (UEL)

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i16.50476

Palavras-chave:

poesia angolana, Antonio Jacinto, “carta de um contratado”, intelectualidade, colonialismo

Resumo

O ARTIGO ANALISARÁ O POEMA “CARTA DE UM CONTRATADO” DO POETA ANGOLANO ANTONIO JACINTO, OBSERVANDO A PARTIR DELE O PAPEL DO INTELECTUAL AFRICANO DURANTE O REGIME COLONIAL; A IMPOSSIBILIDADE DE DOMINAR OS CÓDIGOS DA ESCRITA COMO MARCA DE INTERDIÇÃO DO SUJEITO COLONIZADO. AO MESMO TEMPO, SE DISCUTIRÁ EM QUE MEDIDA A ESCRITA É VALORIZADA NO POEMA COMO SOLUÇÃO IMEDIATA PARA A SUPERAÇÃO DAS DESIGUALDADES PERPETUADAS PELO REGIME OPRESSOR, INCLUSIVE EM DETRIMENTO DE VALORES TRADICIONAIS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-24

Como Citar

Adolfo, S. P. (2009). ANTONIO JACINTO E O POEMA “CARTA DE UM CONTRATADO”: DIÁLOGO NO ESPAÇO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Via Atlântica, 10(2), 229-244. https://doi.org/10.11606/va.v0i16.50476