O DOCE VENENO DA CULTURA DE MASSA OU O QUE BRUNA SURFISTINHA TEM A NOS ENSINAR PARA ALÉM DO KAMA SUTRA POP

Autores

  • Maurício de Bragança Universidade Federal Fluminense (UFF)

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i20.50786

Palavras-chave:

literatura, mercado, cultura de massa

Resumo

EM 2005, O MERCADO BRASILEIRO RECEBEU UM FENÔMENO EDITORIAL: O DOCE VENENO DO ESCORPIÃO, DE BRUNA SURFISTINHA. AQUI PRETENDEMOS DISCUTIR OS LIMITES DO TEXTO LITERÁRIO A PARTIR DA SUAS RELAÇÕES COM O MERCADO. O DESPRESTÍGIO DESTAS NARRATIVAS LITERÁRIAS INDICA UM INCÔMODO HISTÓRICO QUE MARCA A RELAÇÃO ENTRE A CRÍTICA E O LEITOR DESTES TEXTOS MASSIVOS . TAIS RELAÇÕES, PORÉM, NOS AJUDAM A COMPRENDER AS QUESTÕES REFERENTES AO ÂMBITO DA INTERIORIDADE E DA EXPOSIÇÃO MIDIÁTICA MARCADAS PELA DIMENSÃO ESPETACULAR PRESENTE NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2011-12-31

Edição

Seção

Dossiê 20: literatura e indústria cultural

Como Citar

BRAGANÇA, Maurício de. O DOCE VENENO DA CULTURA DE MASSA OU O QUE BRUNA SURFISTINHA TEM A NOS ENSINAR PARA ALÉM DO KAMA SUTRA POP. Via Atlântica, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 39–51, 2011. DOI: 10.11606/va.v0i20.50786. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/50786.. Acesso em: 14 abr. 2024.