Vida literária e homoerotismo no Rio de Janeiro de 1890

Autores

  • Leonardo Mendes Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i24.56459

Palavras-chave:

Vida literária, Olavo Bilac, República, Homoerotismo

Resumo

O objetivo desse estudo é investigar a presença do homoerotismo na vida literária do Rio de Janeiro na última década do século XIX. Supondo que o homoerotismo da ficção do período já tenha sido bem estudado, nosso interesse é encontrar indícios de uma sociabilidade entre os jovens escritores republicanos que incluía sujeitos que amavam pessoas do mesmo sexo. Isso sugere que o homoerotismo era um dado concreto da existência cotidiana desses jovens artistas, para além das escolas literárias.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Leonardo Mendes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
    Doutor em Teoria Literária pela Universidade do Texas (EUA) e Professor de Literaturas de Língua Inglesa e Teoria Literária do Departamento de Letras da Faculdade de Formação de Professores da UERJ.

Downloads

Publicado

2013-12-24

Edição

Seção

Dossiê 24: Gênero, Sexualidades e novas subjetividades nas Literaturas de Língua Portuguesa

Como Citar

MENDES, Leonardo. Vida literária e homoerotismo no Rio de Janeiro de 1890. Via Atlântica, São Paulo, v. 14, n. 2, p. 133–148, 2013. DOI: 10.11606/va.v0i24.56459. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/56459.. Acesso em: 17 abr. 2024.