Apontamentos paleográficos e análise de indícios de mudança fonética em manuscrito setecentista de Minas Geraes

  • Soelis Teixeira do Prado Mendes Universidade Federal de Ouro Preto
  • Marcus Vinícius Pereira das Dores Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Letras
  • Matheus Freitas Gomes Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Letras
Palavras-chave: Manuscrito. Edição Diplomática. Paleografia. Mudanças Fonéticas.

Resumo

Este artigo apresenta, de forma parcial, dados paleográficos de um manuscrito setecentista localizado no Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana (MG), do qual são extraídos e analisados casos que podem indiciar mudança fonética. Muitos desses casos ainda são recorrentes e atuantes no português brasileiro. Os dados aqui apresentados podem, de alguma forma, contribuir para os estudos etimológicos, já que o corpus analisado, transcrito com critérios filológicos, possui datação e localização. 

Biografia do Autor

Soelis Teixeira do Prado Mendes, Universidade Federal de Ouro Preto
Professora Adjunta do Departamento de Letras do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade  Federal de Ouro Preto (DELET/ICHS/UFOP).
Marcus Vinícius Pereira das Dores, Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Letras
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos (PosLin), da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais; bolsista CNPq.
Matheus Freitas Gomes, Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Letras
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos (PosLin), da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais; bolsista CAPES.

Referências

Bisol L. Os constituintes prosódicos. In: Bisol L, organizador. Introdução a estudos de fonologia do português brasileiro. 2.ª ed. Porto Alegre: EdiPUCRS; 1999. p. 229-241.

Bybee JL. Articulatory processing and frequency of use in sound change. In: Honeybone P, Salmons J, editors. The Oxford handbook of historical phonology. Oxford: Oxford University Press; 2015.

Cambraia CN. Introdução à crítica textual. São Paulo: Martins Fontes; 2005.

Cambraia CN et al. Normas para transcrição de documentos manuscritos para a história do português do Brasil. In: Silva RVM, organizador. Para a história do português brasileiro: primeiros estudos. São Paulo: Humanitas; 2001. p. 553-555. (Série Para a história do português brasileiro, vol. 2).

Carneiro MLT. Preconceito racial em Portugal e Brasil Colônia: os cristãos-novos e o mito da pureza de sangue. São Paulo: Perspectiva; 2005.

Chaves E. A implementação do pronome “você”: a contribuição das pistas gráficas. [Dissertação]. Belo Horizonte: Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais; 2006.

Coutinho IL. Pontos de gramática histórica. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico; 1976.

Cunha, AG. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 4.ª ed. Rio de Janeiro: Lexikon; 2010.

Duchowny AT, Coelho SM, Coelho GH. Sistema de abreviaturas de documentos adamantinos setecentistas. Revista Letras. 2014;90:233-252. Disponível em: <http://bit. ly/2xqS82A>. Acesso em: 21 set. 2017.

Duchowny AT, Ramos JM, Coelho SM. Processos e mudanças em abreviaturas mineiras setecentistas: regularidade e ruptura. Filologia e Linguística Portuguesa. 2015;17(2):333352. Disponível em: <http://bit.ly/2hl3bVb>. Acesso em: 21 set. 2017.

Fachin PRM. Critérios de leitura de manuscritos: em busca de lições fidedignas. Filologia e Linguística Portuguesa. 2009;10-11:237-262. Disponível em: <http://bit.ly/2ygzJCX>. Acesso em: 21 set. 2017.

Flexor MHO. Abreviaturas: manuscritos dos séculos XVI ao XIX. 3.ª ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional; 2008.

Oliveira-Guimarães DMLO. Variação nas seqüências de (sibilante + africada alveopalatal) no português falado em Belo Horizonte. [Dissertação]. Belo Horizonte: Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais; 2004.

Megale H, Toledo Neto SA, organizadores. Por minha letra e sinal: documentos do ouro do século XVII. São Paulo: Ateliê; 2005.

Mendes STP. Combinações lexicais restritas em manuscritos setecentistas de dupla concepção discursiva: escrita e oral. [Tese]. Belo Horizonte: Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais; 2008.

Spina S. Introdução à edótica: crítica textual. São Paulo: Cultrix; 1977.

Stiennon J. Paléographie du Moyen Âge. Paris: Armand Colin; 1973.

Viaro ME. Etimologia. São Paulo: Contexto; 2011.

Villalta LC. A Igreja, a sociedade e o clero. In: Resende MEL, Villalta LC, organizadores. História de Minas Gerais: as Minas setecentistas. Belo Horizonte: Autêntica; 2007. p. 2557. (Série História de Minas Gerais, vol. 2).

Publicado
2017-12-01
Como Citar
Mendes, S., Dores, M. V., & Gomes, M. (2017). Apontamentos paleográficos e análise de indícios de mudança fonética em manuscrito setecentista de Minas Geraes. Filologia E Linguística Portuguesa, 19(1), 33-56. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v19i1p33-56
Seção
Artigos