Grammatica philosophica: a um passo da forma

  • Clovis Luiz Alonso Júnior Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Gramática filosófica, Morfossintaxe, Metáfora

Resumo

Longe de apresentar a validade do pensamento filosófico aplicado ao desenvolvimento do pensamento gramatical, pretendo aqui esboçar a apresentação de teoria que venho esforçando-me para construir e que se pauta por modo inescapavelmente filosófico de olhar para o objeto Língua. Proponho que esse objeto seja constituído, no conjunto de seu tecido lexical e morfossintático, por metáforas de cunho físico-espacial, por sua vez resultantes de procedimento mimético que a Língua, (sempre) em formação, tenha realizado e venha realizando sobre o espaço físico, desdobrando-se as metáforas ― como lhes é próprio ― em cadeias abstrativas. Postulo que a tradição filosófico-gramatical se tenha aproximado ― e apenas aproximado ― da possível verdade que aí venho pretendendo formular: essa tradição teria estado a um passo do que denomino semântica da estrutura, a um passo da forma.

Referências

Alonso Júnior CL. Reflexões sobre o pronome relativo e a oração “adjetiva” em latim e português [dissertação]. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo; 2002.
Aulete C. Dicionário contemporâneo da língua portuguêsa. Rio de Janeiro: Delta; 1958.
Auroux S. A revolução tecnológica da gramatização. Eni Puccinelli Orlandi, tradutora. Campinas: UNICAMP; 1992. Reimpressão: 2001. (Coleção Repertórios.)
Barbosa JS. Grammatica philosophica da lingua portugueza, ou principios da grammatica geral applicados á nossa linguagem. Lisboa: Typographia da Academia das Sciencias; 1822.
Benveniste E. Problemas de lingüística geral. Maria da Gloria Novak e Maria Luísa Neri, tradutoras. Campinas: Pontes; 1991.
Carone FB. Morfossintaxe. 2.a ed. São Paulo: Ática; 1988.
Cassirer E. A filosofia das formas simbólicas: a linguagem. São Paulo: Martins Fontes; 2001. (Coleção Tópicos.)
Condillac EB. Principes généraux de grammaire pour toutes les langues, avec leur application particulière à la langue française. Paris: A. J. Ducour; 1798.
Cunha MAF, Martelotta ME, Oliveira MR, organizadores. Lingüística funcional: teoria e prática. Rio de Janeiro: DP&A; 2003.
Fernandes F. Dicionário de verbos e regimes. 6.a ed. Rio de Janeiro / Pôrto Alegre / São Paulo: Livraria do Globo; 1947.
Gaffiot F. Dictionnaire illustré latin-français. Paris: Hachette; 1970.
Houaiss A. Dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 2001.
Saraiva FRS. Novissimo diccionario latino-portuguez. 2.a ed. Rio de Janeiro: Garnier, Paris: Mellier, Lisboa: Bertrand; s. d.
Swiggers P. Modelos, métodos y problemas en la historiografía de la lingüística: nuevas aportaciones a la historiografía lingüística. Actas del IV Congreso Internacional de la SEHL. La Laguna (Tenerife), 22-5 oct. 2003. Corrales Zumbado C, Dorta Luis J et al, editores. Madrid: Arco Libros; 2005[2004], p. 113-45.
Torrinha F. Dicionário latino-português. 3.a ed. Porto: Marânus; 1945.
Publicado
2018-12-30
Como Citar
Alonso Júnior, C. (2018). Grammatica philosophica: a um passo da forma. Filologia E Linguística Portuguesa, 20(2), 273-291. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/flp/article/view/152014
Seção
Artigos