Traços paleográficos de receitas culinárias novecentistas: uma análise no âmbito da Crítica Textual

Palavras-chave: Receitas culinárias históricas, Paleografia, Edição fac-similar, Edição semidiplomática

Resumo

Neste trabalho, objetivamos descrever aspectos paleográficos de receitas culinárias produzidas no início do século XX e atualmente resguardadas no Acervo dos Escritores Mineiros da UFMG. Com base nas conservadoras edições fac-similar e semidiplomática de tais receitas culinárias confeccionadas por Santos (2018), passamos à descrição da morfologia das letras em relação ao ângulo, módulo e peso do traçado (Spina, 1977; Nuñez Contreras, 1994; Berwanger; Leal, [1995] 2008), visto que temos em foco um único traçado no decorrer dos 89 fólios opistógrafos organizados em um pequeno códice. Entendemos que, de um modo geral, a relevância desta discussão esteja não só no potencial histórico das receitas culinárias, mas também na sua evidência como fonte do português brasileiro escrito do início do século XX.

Referências

Acioli VLC. A escrita no Brasil colônia: um guia para a leitura de documentos manuscritos. Recife: FUNDAJ, Editora Massangana, UFPE, Editora Universitária; 1994.

Barbosa AGB. Tratamento dos corpora de sincronias passadas da língua portuguesa no Brasil: recortes grafológicos e linguísticos. In: Lopes CRS, organizadora. A norma brasileira em construção: fatos linguísticos do século 19. Rio de Janeiro: UFRJ, FAPERJ; 2005. p. 25-43.

Barbosa AGB. Fontes escritas e história da língua portuguesa no Brasil: as cartas de comércio no século XVIII. In: Lima IS, Carmo L, organizadores. História social da língua nacional. Rio de Janeiro: Casa de Rui Barbosa; 2008. p. 181-211.

Berwanger AR, Leal JEF. Noções de paleografia e diplomática. 3ª ed. rev. e ampl. Santa Maria: Ed. UFSM; 2008 [1995].

Cambraia CN. Introdução à crítica textual. São Paulo: Martins Fontes; 2005.

Carvalho e Silva M. Crítica textual: conceito - objeto - finalidade. Confluência. 1994;7(1):57-63.

Carvalho e Silva M. A palavra filologia e suas diversas acepções: os problemas da polissemia filologia e crítica textual. Confluência. 2002;23(1):53-70.

Cavalcante SRO. Mudança e estabilidade em construções passivas na história do português. Revista Linguística (Online). 2016;32(1):41-60.

Faria MI, Pericão MG. organizadoras. Dicionário do livro: da escrita ao livro eletrónico. Coimbra: Almedina; 2008.

Labov W. Principles of linguistic change: internal factors. Cambridge: Blackwell Publishers; 1994. Volume I.

Labov W. Principles of linguistic change: social factors. Cambridge: Blackwell Publishers; 2001. Volume 2.

Lima A, Marcotulio LL, Rumeu MCB. Experiências metodológicas em constituição de corpora: pistas para um pesquisador iniciante. In: Castilho AT, organizador. História do português brasileiro: corpus diacrônico do português brasileiro. São Paulo: Contexto; 2019, v. 2. p. 68-91.

Lobo TCF. Para uma sociolinguística histórica do português no Brasil. Edição filológica e análise linguística de cartas particulares do Recôncavo da Bahia, século XIX. Volume II [tese]. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo; 2001.

Nuñez Contreras L. Manual de paleografía: fundamentos e historia de la escritura latina hasta el siglo VIII. Madrid: Cátedra; 1994.

Rumeu MCB. Língua e sociedade: a história do pronome ‘você’ no português brasileiro, 1a ed. Rio de Janeiro: Ítaca (FAPERJ); 2013.

Santiago-Almeida MM. Os manuscritos e impressos antigos: a via filológica. Gil BD; Cardoso EA; Condé VG, organizadores. Modelos de análise linguística. São Paulo: Contexto; 2009. p. 223-234.

Santos MA. Biscoutos, assucar e canella: edição filológica de receitas culinárias novecentistas [monografia]. Belo Horizonte: Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais; 2018.

Spaggiari B, Perugi M. Fundamentos da crítica textual. Rio de Janeiro: Lucerna; 2004.

Spina S. Introdução à edótica. São Paulo: Cultrix/Editora da Universidade de São Paulo; 1977.

Tarallo F. Diagnosticando uma gramática brasileira: o português d’aquém e d’além mar ao final do século XIX. In: Roberts I; Kato M, organizadores. Português Brasileiro: uma viagem diacrônica. 2ª ed. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp; 1993. p. 69-105.

Vasconcellos CA, Santiago-Almeida MM. Contribuição da Filologia e da Crítica Textual para o Estudo de Documentos Manuscritos de Paranaguá. SIGNUM: Estudos da Linguagem. 2012;15(1):335-356.

Weinreich U, Labov W, Herzog MI. Empirical foundations for a theory of language change. Lehmann W, Malkiel Y, organizadores. Directions for historical linguistics. University of Texas Press; 1968.

Publicado
2019-08-25
Como Citar
Santos, M., & Rumeu, M. (2019). Traços paleográficos de receitas culinárias novecentistas: uma análise no âmbito da Crítica Textual. Filologia E Linguística Portuguesa, 21(1), 81-97. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v21i1p81-97
Seção
Artigos