Narco-cenários latino-americanos: a busca por modos de identificação

Autores

  • Larissa Santos Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Rayssa Mendes Universidade de São Paulo. Cinema, Geopolítica e Relações Internacionais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2675-7265.v1i1p16-33

Palavras-chave:

narcotráfico, cinema, violência, América Latina

Resumo

O cinema é uma importante ferramenta para atribuição de significados e construção de identidades, para o bem e para o mal. No presente artigo, a partir de diferentes lentes cinematográficas, propomos analisar a construção da identidade latino-americana e alguns dos estigmas e mazelas sociais que herda de seu passado colonial e sua consequente posição marginal na divisão internacional do trabalho. Tal análise virá sobretudo por meio de uma reflexão sobre os narco-cenários produzidos pelo cinema hegemônico. Na primeira parte, abordaremos aspectos do conteúdo ideológico que tem produzido historicamente uma violência simbólica contra as nações latino-americanas, construindo e reforçando estereótipos. Na segunda parte, adentraremos à cadeia de relações econômicas que sustenta esse tipo de produção e que, como veremos adiante, na terceira parte, encontra respaldo no discurso e nas políticas de Guerra às Drogas, promovida por governos estadunidenses e que gera consequências devastadoras para a região. Na última parte, traremos a abordagem das produções cinematográficas não-hegemônicas, que têm proposto, nos últimos anos, problematizar e repensar os narco-cenários e a própria narco-economia.

Biografia do Autor

Larissa Santos, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Larissa Santos é graduada em Geografia pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente cursa a licenciatura em Geografia na USP e é coordenadora acadêmica do CineGRI (Cinema, Geopolítica e Relações Internacionais) no Núcleo de Pesquisa em Relações Internacionais da USP (NUPRI).

Rayssa Mendes, Universidade de São Paulo. Cinema, Geopolítica e Relações Internacionais

Rayssa Mendes é graduada em História pela Universidade de São Paulo (USP) e em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), pela qual também é mestre em Ciências Sociais. Atualmente é coordenadora acadêmica do CineGRI (Cinema, Geopolítica e Relações Internacionais) no Núcleo de Pesquisa em Relações Internacionais da USP (NUPRI).

Referências

ALDACO, G. Una familia latinoamericana en Macondo. Revista Universidad, Ruta crítica. México. Disponível em: <http://www.revistauniversidad.uson.mx/revistas/23-7Una%20familia %20latinoamericana%20en%20Macondo.pdf>. Acesso em 11 set. 2016.

BOURDIEU, P. Pascalian Meditations. Cambridge: Polity Press, (1997) 2000.

BOURDIEU, Masculine Domination. California: Stanford University Press, 2002.

CineGRI, Boletim Segurança. Acervo CineGRI, São Paulo, v.1, n.2, Fevereiro de 2020. Disponível em: <https://www.cinegri.com/acervo-1>. Acesso em 27 Fev. 2020.

COGGIOLA, O. Economia Política do Comércio Internacional de Drogas. Universidade e Sociedade, Brasília, ano XV, n. 35, p. 115-125, fev/2005.

GARCÍA MARQUEZ, G. Cien años de soledad. Estados Unidos: Vintage Español, 2009.

GARCÍA MARQUEZ, G. La hojarasca (7a. ed). Barcelona: Bruguera, 1984.

HSIN-MEI CHIU, E. Macondo: Más allá del pueblo fictício, 2014, Disponível em: <https://www.academia.edu/10239112/Macondo_m%C3%A1s_all%C3%A1_del_pueblo_ficticio>. Acesso em 11 set. 2016.

ITTC (Instituto Trabalho, Terra e Cidadania). Situação das mulheres pode ser mais grave do que apontam os dados oficiais, 14 Dez. 2015. Disponível em: <http://ittc.org.br/situacao-das-mulheres-presas-no-brasil-pode-ser-mais-grave-do-que-apontam-dados-oficiais/>. Acesso em 11 Set. 2016.

LARRAÍN, J. La Identidad Latinoamericana. Teoría e Historia. Ed. Estudios Públicos. Santiago, Chile, 1994, p. 59.

LARRAÍN, J. Identidad latinoamericana. LOM ediciones. Santiago, Chile, 2001, p. 51.

RODRIGUES, Thiago. Narcotráfico e Militarização nas Américas: Vício de Guerra. Rio de Janeiro, vol. 34, no 1, janeiro/junho 2012, p. 9-41

SILVA, E. Identidad Nacional y Poder. Ediciones Abyala-Yala, Quito, Ecuador, 2005, p. 143-145.

Downloads

Publicado

2020-09-10