A saúde do trabalhador da educação

a experiência de constituição de Cosates como dispositivo de intervenção numa rede municipal de ensino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v22i1p15-28

Palavras-chave:

Saúde do trabalhador, Promoção da saúde, Educação em saúde

Resumo

O artigo apresenta uma experiência de pesquisa realizada em um município da Grande Vitória/ES no campo da educação pública, intitulada Programa de Formação e Investigação em Saúde e Trabalho. Visa a dar evidência ao modo como a pesquisa se efetivou, vislumbrando processos formativos no campo da educação com o objetivo de implantar Comissões de Saúde do Trabalhador. A proposta das comissões teve como direção metodológica as comunidades ampliadas de pesquisa para o exercício coletivo de análise da atividade docente. A direção metodológica foi a da pesquisa-intervenção e a produção de dados se efetivou a partir das narrativas produzidas nas rodas de conversa e do diário de campo. Apresenta como foram construídos esses instrumentos e ferramentas de análise para incrementar o debate sobre a saúde dos trabalhadores na Educação. Indica, ainda, o modo como a pesquisa, a partir da constituição de um fórum intersetorial buscou a experimentação da implementação de comissões de saúde do trabalhador da educação nas escolas. Os resultados indicam que a estratégia das Comissões por local de trabalho é um potente instrumento para intervir nas condições adversas de trabalho nas escolas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hélder Pordeu Muniz, Universidade Federal Fluminense

Professor Titular de Psicologia da UFF

Janaina Madeira Brito, Secretaria Municipal de Saúde da Serra, Espírito Santo

Psicóloga e Doutora em Educação Brasileira

Referências

Assunção, A. & Oliveira, J. (2009). Intensificação do trabalho e saúde dos professores. Revista Educação & Sociedade, 30 (107), 349-372.

Baremblit, G. (1984). O inconsciente institucional. Petrópolis, RJ: Vozes.

Barros, M. E. B., & Silva, F. H. (2013). O trabalho do cartógrafo do ponto de vista da atividade. Revista Fractal, 25 (2), 339-356.

Benjamin, W. (2013). O capitalismo como religião. São Paulo: Boitempo.

Benjamin, W. (1994). Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense.

Botechia F. & Athayde M. (2008). Conversas sobre o trabalho sob o ponto de vista da atividade. In M. E. Barros & L. Margoto (Eds.), Trabalho e saúde do Professor (pp. 43-78). Belo Horizonte: Autêntica.

Bonaldi, C. M., Cruz, C. B., & Correia. J. A. (2018). Caderno de formação: saúde no trabalho na educação. São Paulo: Fundacentro.

Brito, H., Freitas, M. C. A., & Chambela, S. M. G. (2015). Relatório de pesquisa: comissões de saúde do trabalhador de serra/ES.

Brito, J. & Athayde, M. (2003). Trabalho, educação e saúde: o ponto de vista enigmático da atividade. Revista Trabalho, Educação e Saúde, 1 (2), 63-89.

Campos, G. W. (2003). Saúde Paideia. São Paulo: Hucitec.

Canguilhem, G. (2005). Escritos sobre a medicina. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Cesar, J. M. & Barros, M. E. B. (2015). Pesquisa-intervenção em dispositivos participativos: ensejando outas relações entre produção de conhecimento e educação. Revista Polis e Psique, 5 (2), 171-192.

Clot, Y. (2010). Trabalho e poder de agir. Belo Horizonte: Fabrefactum.

CNTE. (2012). Condições de trabalho e saúde dos profissionais da educação. Revista Retratos da Escola, 6 (11), 315-326.

Deleuze, G. (1999). Bergsonismo. São Paulo: Editora 34.

Guattari, F. (2014). Caosmose: um novo paradigma estético. São Paulo: Editora 34.

Lourau, R. (2014). Análise institucional. Petrópolis, RJ: Vozes.

Muniz, H. P., Brito J., Souza, K. R., Athayde, M., & Lacomblez, M. H. (2013). Ivar Oddone e sua contribuição para o campo da saúde do trabalhador no Brasil. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 38 (128), 280-291.

Oddone, I., Re, A., & Briante, G. (1981). Redécouvrir l’expérience ouvrière: vers une autre psychologie du travail? Paris: Messidor/Éditions Sociales.

Rocha, R. E. R., Prado Filho, K., Silva, F. N., Boscari, M., Amer, S. A. K., & Almeida, D. C. (2017). Sintomas osteomusculares e estresse não alteram a qualidade de vida de professores da educação básica. Revista Fisioterapia e Pesquisa, 24 (3), 259-266.

Safatle, V. (2018). Só mais um esforço. São Paulo: Três Estrelas.

Schwartz, Y. (2015). Conhecer e estudar o trabalho. Revista Trabalho & Educação, 24 (3), 83-89.

Zamboni, J., Szpilman, A. R. M., Miranda, G. U., & Barros, M. E. B. (2013). Primeiras notas sobre o fórum das Comissões de saúde do trabalhador da educação no Município de Serra/ES. Revista Advir, 30 (3), 105-118.

Downloads

Publicado

2019-12-21

Como Citar

Barros, M. E. B. de, Muniz, H. P., & Brito, J. M. (2019). A saúde do trabalhador da educação: a experiência de constituição de Cosates como dispositivo de intervenção numa rede municipal de ensino. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 22(1), 15-28. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v22i1p15-28

Edição

Seção

Artigos Originais