Cooperativa: política de Estado ou cotidiano?: O caso de Cabo Verde

Autores

  • Iolanda Maria Alves Évora Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia; Departamento de Psicologia Social e do Trabalho

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v3i0p9-30

Palavras-chave:

Cooperativismo, Psicologia social, Processos sociais, Cabo Verde, Representações sociais

Resumo

As organizações cooperativas foram implantadas em Cabo Verde na época da independência, como parte de um projeto político de Estado. Neste trabalho, relaciona-se esse fato com a forma prática de realização do cooperativismo, observando-se que a concepção de cooperativa destas duas perspectivas é distinta. A iniciativa estatal resultou numa experiência singular pelo uso coletivo de estratégias organizacionais associativistas e de ajuda-mútua desenvolvidas ao longo da história social. Estas se aliam a novas formas de apropriação da base ideológica oficial e dos objetivos governamentais com vistas ao desenvolvimento. O estudo tem como base entrevistas realizadas com cooperados do interior da ilha de Santiago.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2001-12-01

Como Citar

Évora, I. M. A. (2001). Cooperativa: política de Estado ou cotidiano?: O caso de Cabo Verde . Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 3, 9-30. https://doi.org/10.11606/issn.1981-0490.v3i0p9-30

Edição

Seção

Artigos