Uma introdução à história da embriologia

Autores

  • Isis Francisco Rolim Costa Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências
  • Gildo Magalhães Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de História

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-6224v17i1p1-45

Palavras-chave:

História da embriologia, Embrião, Diferenciação, Morfogênese

Resumo

Este trabalho apresenta um panorama do desenvolvimento do conceito de embrião desde a Antiguidade até o século XXI. A relevância em se discutir o que seria um embrião se acentua devido às preocupações e implicações éticas, religiosas, culturais e sociais que permeiam os debates a isto relacionados, tais como aborto, fertilização in vitro, uso de células tronco e clonagem. Diante desse cenário, procurou-se discutir sobre como alguns filósofos e pesquisadores consideraram as mudanças relacionadas ao entendimento de embrião ao longo do tempo, um dos temas mais controversos dentro das ciências biológicas.

Biografia do Autor

Gildo Magalhães, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de História

Professor Titular do Departamento de História da FFLCH/USP. Dedica-se à pesquisa em história da ciência e da tecnologia, com destaque para temas sobre o Brasil, epistemologia, divulgação científica, história da política científico-tecnológica.

Referências

ARISTÓTELES. [se. IV a. C.]. Da geração e da corrupção. Trad. Renata Maria Pereira Cordeiro. Paulo: Landy Editora, 2001.

DRIESCH, Hans. The science and philosophy of the organism. London: Adam and Charles Black, 1908. Pp. 58-62, in: Classic Reprint: CPSIA, 2010.

GRANT, Edward. História da filosofia natural. Do mundo antigo ao século XIX. São Paulo: Editora Madras, 2009.

HUXLEY, Leonard. Life and Letters of Thomas Henry Huxley (1900). vol. 1. The Project Gutenberg Ebook, 2004.

JUSTINA, Lourdes A. P. D., CALUZI, João, MEGLHIORATTI, Fernanda A.; CALDEIRA, Ana Maria. “A herança genotípica proposta por Wilhelm Ludwing Johannsen”. Filosofia e História da Biologia, 5 (1): 55-71, 2010. Disponível em: <https://www.abfhib.org/FHB/FHB-05-1/FHB-05-1-04-Lourdes-Justina-et-al.pdf>

KELLER, Evelyn Fox. Language and Science. Pp. 1-42, in: KELLER, Evelyn Fox. Refiguring Life: Metaphors of Twentieth Century Biology, New York: Columbia University Press, 1995.

MAGALHÃES, Gildo. A unidade do mundo, a Naturphilosophie e o eletromagnetismo. Pp. 5-76, in: Ciência e Conflito: Ensaios sobre História e Epistemologia de Ciências e Técnicas. São Paulo: Book Ex-press Editora, 2015.

MAGALHÃES, Gildo. A trama do universo - Evolução e euritmia. São Paulo: LiberArs, 2019.

MAGNER, Lois. Problems in generation: Organisms, embryos, and cells. Pp: 171-224., in: MAGNER, Lois. A history of the life sciences. New York: Editora Dekker. 1994.

MAIENSCHEIN, Jane. What is an ‘embryo’and how do we know?. Pp. 324-341, in: HULL, David L.; RUSE, Michael (eds). The Cambridge companion to the philosophy of biology. Cambridge: Cambridge University Press, 2007. Published online by Cambridge University Press: 28 April 2008. DOI: <https://doi.org/10.1017/CCOL9780521851282.017>

MARTYN, I.; KANNO, T. Y.; RUZO, A.; SIGGIA, E. D; BRIVANLOU, A. H. Self-organization of a human organizer by combined Wnt and Nodal signalling. Nature, 558 (7708):132-135, 2018.

MOREIRA, Catarina. Desenvolvimento Embrionário dos Animais. Revista de Ciência Elementar, 2 (4): 247, 2014. Disponível em: <https://rce.casadasciencias.org/rceapp/art/2014/247/>

POURQUIE, Olivier. Human embryonic stem cells get organized. Nature, 558: 35-36 maio de 2018. DOI: <https://doi.org/10.1038/d41586-018-05115-y>

PRESTES, Maria Elice B. e MARTINS, Lilian Al-Chueyr P. As diferentes concepções de Francesco Redi (1628-1698) sobre a geração animal e tradução de excertos de Experiências sobre a geração de insetos. Intelligere, (6): 17-56 dez, 2018. DOI:

<https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2018.144362

PRESTES, Maria Elice B. & MARTINS, Lilian Al-Chueyr Pereira. História da Biologia no Ensino: Needham, Spallanzani e a ge-ração espontânea. Pp. 80-91, in: CALDEIRA, Ana Maria de Andrade & ARAÚJO, Elaine S. Nicolini Nabuco de (orgs.). Introdução à Didática da Biologia. São Paulo: Escrituras, 2009.

PRESTES, Maria Elice B. A biologia experimental de Lazzaro Spallanzani (1729-1799). Tese de doutoramento, Universidade de São Paulo, 2003.

RAMOS, Maurício de Carvalho. Maupertius e o pensamento evolutivo na época das luzes. Revista Khronos, (2): 134-154, 2016. DOI: <https://doi.org/10.11606/khronos.v0i2.126108>

RUFFENACH, Stephen. Caspar Friedrich Wolff (1734-1794). Embryo Project Encyclopedia at Arizona State University, 07 de julho de 2009. Disponível em: <http://embryo.asu.edu/handle/10776/1925>.

SINGER, Charles. Uma breve história da anatomia e fisiologia desde os gregos até Harvey. Campinas: Unicamp, 1996.

STÜLP, Camille Bertha; MANSUR, Samira Schultz. O Estudo de Claudio Galeno como Fonte de Conhecimento da Anatomia Humana. Khronos, Revista de História da Ciência, (7): 153-169, agosto 2019. DOI: <https://doi.org/10.11606/khronos.v0i7.159295>

WELLNER, Karen. A history of embryology (1959), of Joseph Needham. The Embryo Project at Arizona State University. 28 de junho de 2010. Disponível em: <http://embryo.asu.edu/handle/10776/2031>

WOLPERT, Lewis. Desenvolvimento: o ovo é compatível, ou podemos gerar tanto um anjo como um dinossauro?. in: MURPHY, Michael; O’NEAL, Luke A. J (org). O que é vida? 50 anos depois - Especulações sobre o futuro da biologia. Trad. Laura Cardelini Barbosa de Oliveira. São Paulo: Editora da UNESP, 2002.

WOLPERT, Lewis; TICKLE, Cheryll (eds). Principles of development. Oxford University Press, 2011.

Downloads

Publicado

2022-07-03

Como Citar

COSTA, I. F. R. .; MAGALHÃES, G. . Uma introdução à história da embriologia. Filosofia e História da Biologia , [S. l.], v. 17, n. 1, p. 1-45, 2022. DOI: 10.11606/issn.2178-6224v17i1p1-45. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/fhb/article/view/fhb-v17-n1-01. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos