A abordagem da pessoa humana na perspectiva do cérebro e seus limites

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-6224v17i2p231-263

Palavras-chave:

Pessoa, Cérebro, Reducionismo, Neurociências

Resumo

Este artigo oferece uma concepção da pessoa humana com base nas estruturas e funcionalidades do cérebro e algumas dificuldades advindas de um compromisso ontológico com o materialismo reducionista. Primeiramente, a pessoalidade será tratada sob os aspectos anatômicos, funcionais e cognitivo-comportamentais, procurando identificar alguns elementos para se afirmar a existência de uma pessoa humana. Questões sobre a redução da pessoalidade a entidades ou a processos mais básicos, ou se é possível explicar a pessoalidade por meio do organismo ou mais propriamente pelo seu cérebro, serão discutidas. Na segunda parte, propõe-se uma crítica à concepção reducionista da pessoa ao cérebro. Espera-se encontrar uma resposta favorável aos achados oferecidos pelas neurociências, com a rejeição do reducionismo da pessoa, em razão dos limites filosóficos inerentes às ciências do cérebro.

Biografia do Autor

Welinton Ricardo da Silveira Porto, Universidade de Brasília. Programa de Pós-Graduação em Filosofia.

Doutorando em Filosofia (Linha de Pesquisa: Lógica, Epistemologia e Metafísica).

Referências

AQUINO, Tomás de. [séc. XIII] Suma teológica: volume I. Trad. Carlos-Josaphat de Oliveira. 3ª Ed. São Paulo: Loyola, 2005.

BAKER, Lynne Rudder. Persons and bodies: a constitution view. New York: Cambridge University Press, 2000.

BAKER, Lynne Rudder. Naturalism and the first-person perspective. New York: Oxford University Press, 2013a.

BAKER, Lynne Rudder. Can subjectivity be naturalized? Metodo International Studies in Phenomenology and Philosophy, 1 (2): 15-25, 2013b. Disponível em: . Acesso em: 27 ou-tubro 2021.

COELHO, Jonas Gonçalves. Mente como cérebro e cérebro como mente: a dupla face da relação mente-cérebro. Pp. 93-99, in: AIUB, Monica; GONZALEZ, Maria Eunice Quilici; BROENS, Mariana Cláudia (orgs.). Filosofia da mente, ciência cognitiva e o pós-humano: para onde vamos? São Paulo: FiloCzar, 2015.

DAMÁSIO, António. [1978] O livro da consciência: a construção do cérebro consciente. Lisboa: Temas e Debates, 2010.

DAMÁSIO, António. O erro de Descartes: emoção, razão e cérebro humano. São Paulo: Cia das Letras, 2012.

DENNETT, Daniel. [1978]. Brainstorms: ensaios filosóficos sobre a mente e a psicologia. Trad. Luiz Henrique de Araújo Dutra. São Paulo: UNESP, 1999.

FRANKFURT, Harry Gordon. Freedom of the will and the concept of a person. The Journal of Philosophy, 68 (1): 5-20, 1971. DOI: https://doi.org/10.2307/2024717.

GALVÃO, Pedro. Identidade pessoal. Pp: 1-18, in: BRANQUINHO, João; SANTOS, Ricardo (eds.). Compêndio em linha de problemas de filosofia analítica. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa 2013. DOI: https://doi.org/10.51427/cfi.2021.0044.

GUYTON, Arthur. Neurociência básica: anatomia e fisiologia. Trad. Charles Alfred Esbérard e Cláudia Lúcia Caetano de Araújo. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1993.

GUYTON, Arthur; HALL, John Edward. Tratado de fisiologia médica. Trads. Alcides Marinho Junior; Alexandre Vianna Aldhhieri Soares; Andréa Delcorso; Barbara de Alencar Leão Martins; Claudia Coana; Débora Sitnik; Diego Alfaro; Douglas Arthur Omena Futuro; Fabiana Buassaly; Hermínio de Mattos Filho; Leonardo Allevato Magalhães; Luísa Sá Barreto Pimentel; Manoela D’ Almeida Sande; Marcela Jardim Gomes Elias; Maria Inês Correa Nascimento; Michelle Gralle Botelho; Nelson Gomes de Oliveira; Raimundo Rodrigues Santos; Roberto Mogami, Sérgio Rachman; Solange Castro Affeche, Valdir de Souza Pinto; Vilma Ribeiro de Souza Varga. 13ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.

HARMAN, Gilbert. The inference to the best explanation. Philosophical Review, Durham, 74 (1): 88-95, janeiro, 1965. DOI: https://doi.org/10.2307/2183532.

HATTORI, Wallisen; YAMAMOTO, Maria Emília. Evolução do comportamento humano: psicologia evolucionista. Estudos de Bio-logia, Ambiente e Diversidade, 34 (83): 101-112, jul./dez., 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.7213/estud.biol.7323.

HIGGINS, Edmund; GEORGE, Mark. The neuroscience of clinical psychiatry: the pathophysiology of behavior and mental illness. 2ª Ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2013.

LAVAZZA, Andrea; ROBINSON, Howard (eds.). Contemporary dualism: a defense. New York: Routledge, 2014.

LENT, Roberto. Cem bilhões de neurônios? Conceitos fundamentais de neurociência. 2ª edição. São Paulo: Atheneu, 2010.

LIPTON, Peter. O melhor é bom o suficiente? Trad. Marcos Rodrigues da Silva e Alexandre Meyer Luz. Princípios Revista de Filoso-fia, 17 (27): 313-329, 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2021.

LYCAN, William. Redressing substance dualism. Pp: 22-39, in: LOOSE, Jonathan; MENUGE, Angus John; MORELAND, James Porter (eds.). The Blackwell companion to substance dualism. New Jersey: Wiley Blackwell, 2018.

MACHADO, Angelo. Neuroanatomia funcional. 2ª Ed. São Paulo: Atheneu, 2006.

MACHADO, Angelo; HAERTEL, Lucia Machado. Neuroanatomia funcional. 3ª Ed. São Paulo: Atheneu, 2014.

MANZOTTI, Riccardo; MODERATO, Paolo. Neuroscience: dualism in disguise. Pp: 81-97, in: LAVAZZA, Andrea; ROBINSON, Howard (eds.). Contemporary dualism: a defense. New York: Routledge, 2014.

MURCHO, Desidério. Lógica elementar: raciocínio, linguagem e realdade. Lisboa: Edições 70, 2019.

PINKER, Steven. How the minds work. London: Peguin, 1999.

QUERVAIN, Dominique J.-F. de; BENTS, Dorothée; MICHAEL. Tanja; BOLT, Brenda K. Wiedernbold; MARGRAF, Jürgen; WILHELM, Frank H. Glucocorticoids enhance extinction-based psychotherapy. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, 108 (16): 6621-6625, 2011. DOI: https://doi.org/10.1073/pnas.1018214108.

RACHELS, James. [1986]. The elements of moral philosophy. New York: Mc Graw-Hill Education, 2018.

SCHWAB, Klaus. A quarta revolução industrial. Tradução: Daniel Mi-randa. São Paulo: Edipro, 2016.

SOLYOM, L.; TURNBULL, I. M; WILENSKY, M. A case of self-infllicted leucotomy. The British Journal of Psychiatry, 151 (6): 855-857, 1987. DOI: https://doi.org/10.1192/bjp.151.6.855.

SWINBURNE, Richard. The existence of God. 2ª ed. Oxford: Clarendon Press, 2004.

SWINBURNE, Richard. Uma defesa do dualismo de substâncias. Tradução: Jaimir Conte. Princípios Revista de Filosofia, 15 (23): 291-313, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 feve-reiro 2019.

SWINBURNE, Richard. Mind, brain, and free will. Oxford: Oxford University Press, 2013.

SWINBURNE, Richard. Are we bodies or souls? Oxford: Oxford University Press, 2019.

VAN FRAASSEN, Bas C. [1980]. Imagem Científica. Trad. Luiz Henrique Dutra. São Paulo: UNESP, 2007.

VAZ, Henrique Claudio de Lima. Antropologia filosófica II. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

PORTO, W. R. da S. . A abordagem da pessoa humana na perspectiva do cérebro e seus limites. Filosofia e História da Biologia , [S. l.], v. 17, n. 2, p. 231-263, 2022. DOI: 10.11606/issn.2178-6224v17i2p231-263. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/fhb/article/view/fhb-v17-n2-06. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos