Contribuições da Gramática Discursivo-Funcional para o ensino da oração subordinada concessiva

  • Talita Storti Garcia Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)
  • Aliana Lopes Câmara Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia
Palavras-chave: Gramática Discursivo-Funcional, Oração subordinada adverbial concessiva, Ensino de gramática, Contextualização

Resumo

Este estudo investiga o tratamento conferido às orações subordinadas adverbiais concessivas em livros didáticos de Ensino Médio, aprovados no Programa Nacional do Livro Didático. Partindo-se de uma perspectiva contextualizada de ensino de gramática, em que os recursos linguísticos devem ser estudados a partir dos sentidos que produzem no texto, analisa-se se o texto é usado como contexto ou como pretexto para o ensino de gramática. Além disso, verifica-se se os livros didáticos caracterizam as concessivas a partir de aspectos pragmáticos, semânticos, morfossintáticos e fonológicos, ou se atêm à classificação semântica e morfossintática. Os resultados demonstram que normalmente o texto está presente, mas serve para a discussão de aspectos interpretativos, e não para a reflexão sobre o papel da concessão na produção dos sentidos. Ademais, predominam no tocante à oração subordinada concessiva aspectos semânticos e morfossintáticos, não se atentando para as propriedades pragmáticas e fonológicas da concessão. Defende-se aqui que o ensino da oração concessiva poderia ampliar seu escopo ao considerar as contribuições da análise discursivo-funcional da língua portuguesa.

Biografia do Autor

Aliana Lopes Câmara, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Professora Doutora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFSP, Votuporanga, São Paulo, Brasil, e pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Gramática Funcional (GPGF) de São José do Rio Preto.

Referências

Abaurre MLM, Abaurre MBM, Pontara M. Português: contexto, interlocução e sentido. 3ª ed. São Paulo: Moderna; 2016.
Alves RH, Martin VL. Veredas da palavra. São Paulo: Ática; 2016.
Antunes I. Gramática contextualizada: limpando “o pó das ideias simples”. São Paulo: Parábola Editorial; 2014.
Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.
Bechara E. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna; 1999.
Brasil. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Média e Tecnológica; 1999. 364 p.
Brasil. PCN + ensino médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Média e Tecnológica; 2002. 244p.
Brasil. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação; 2015. [citado 29 out. 15]. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br.
Cau-Sposito C, Pezatti EG, Novaes-Marque NB. As orações causais. In: Pezatti EG, organizador. Construções subordinadas na lusofonia [recurso eletrônico]: uma abordagem discursivo-funcional. São Paulo: Unesp Digital; 2016. p. 121-151.
Cereja WR, Vianna CAD, Codenhoto CD. Português contemporâneo: diálogo, reflexão e uso. São Paulo: Saraiva; 2016.
Coneglian AVL. Os juntivos causais e concessivos do português brasileiro na perspectiva cognitivo-funcional: uma análise da ligação conceptual dos elementos gramaticais em uso nessa zona adverbial [dissertação]. São Paulo: Universidade Presbiteriana Mackenzie; 2015.
Coracini MJRF. O processo de legitimação do livro didático na escola de ensino fundamental e médio: uma questão de ética. In: Coracini MJRF, organizador. Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. 2ª ed. Campinas: Pontes Editores; 2011. p. 33-43.
Crevels M. Concession in Spanish. In: Hannay M, Bolkestein AM, editores. Functional grammar and verbal interaction. Amsterdam: John Benjamins; 1998. p. 129-148.
Crevels M. Concession: a typological study [tese]. University of Amsterdam; 2000a.
Crevels M. Concessives on different semantic levels: a typological perspective. In: Couper-Kuhlen E, Kortmann B, editores. Cause, condition, concession, contrast cognitive and discourse perspectives. Berlin: Mounton de Gruyter.; 2000b. (Topics in English Linguistics, 33). p. 313-339.
Cunha CF, Cintra L. Nova gramática do português contemporâneo. 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 1985.
Decat MBN. Por uma abordagem da (in)dependência de cláusulas à luz da noção de ‘unidade informacional’. Scripta. 1999;1sem.2(4):23-38.
Faraco CE, Moura FM, Maruxo Jr. JH. Língua portuguesa: linguagem e interação. 3.ª ed. São Paulo: Ática; 2016.
Garcia TS. As relações concessivas no português falado sob a perspectiva da gramática discursivo-funcional [tese]. São José do Rio Preto: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista; 2010.
Garcia TS, Pezatti EG. Orações concessivas independentes à luz da gramática discursivo-funcional. Alfa. 2013;57(1):475-494.
Haspelmath M, König E. Concessive conditionals in the languages of Europe. In: Van der Auwera J. Adverbial constructions in the languages of Europe. New York: Mouton de Gruyter; 1998. p. 335-419.
Hengeveld K, Mackenzie JL. Functional discourse grammar: a typologically-based theory of language structure. Oxford: Oxford University Press; 2008.
König E. Concessive clauses. In: Asher RE, editor. The encyclopedia of language and linguistics. Oxford: Pergamon; 1994, vol. 2. p. 679-681.
Mizuno Y. Although clauses in English discourse: a functional analysis [tese]. Sapporo: Universidade de Hokkaido: The Graduate School of Letters; 2007.
Neves MHM. Reflexões sobre o estudo da gramática nas escolas de 1º e 2º graus. Alfa. 1993;37:91-98.
Neves MHM. Gramática na escola. 4ª ed. São Paulo: Contexto; 1999.
Neves MHM. Que gramática estudar na escola? São Paulo: Contexto; 2003.
Neves MHM. Gramática de usos do português. São Paulo: EdUnesp; 2000.
Neves MHM. Gramática de usos do português. 2ª ed. São Paulo: Editora da Unesp; 2011.
Ormundo W, Siniscalchi C. Se liga na língua: literatura, produção de texto, linguagem. São Paulo: Moderna; 2016.
Rocha Lima CH. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio; 1999.
Rosário IC. Expressão da concessividade em construções do português do Brasil [tese]. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras/UFRJ; 2012.
Sette G, et al. Português: trilhas e tramas. 2ª ed. São Paulo: Leya; 2016.
Schmitz JR. Gramática escolar linguística e a renovação do ensino de português. Alfa. 1990;34:195-214.
Stassi-Sé JC. Subordinação discursiva no português à luz da gramática discursivo-funcional [tese]. São José do Rio Preto: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista; 2012.
Sweetser EE. Conjunction, coordination, subordination. In: Sweetser EE. From Etymology to Pragmatics: metaphorical and cultural aspects of semantic structure. Cambridge: Cambridge University Press; 1990.
Travaglia LC. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática. 14ª ed. São Paulo: Cortez; 2009.
Travaglia LC. Gramática ensino plural. 5ª ed. São Paulo: Cortez; 2011. Zamproneo S. A hipotaxe adverbial concessiva no português escrito contemporâneo do Brasil [dissertação]. Araraquara: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”; 1998. Zamproneo S. Multifuncionalidade e intersubjetividade em construções concessivas: uma análise em ocorrências do português contemporâneo do Brasil [tese]. Araraquara: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras; 2014. [citado 20 out. 2018]. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/121831.
Publicado
2019-12-31
Como Citar
Garcia, T., & Câmara, A. (2019). Contribuições da Gramática Discursivo-Funcional para o ensino da oração subordinada concessiva. Filologia E Linguística Portuguesa, 21(2), 171-190. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v21i2p171-190
Seção
Artigos