O prefixo 'des-' e palavras de valor negativo no período arcaico da língua portuguesa, vistos a partir de uma breve análise das Cantigas de Santa Maria

  • Débora Aparecida dos Reis Justo Barreto Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)
  • Tamires Costa e Silva Mielo Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)
  • Gladis Massini Cagliari Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)
Palavras-chave: Negação morfológica, Negação sintática, Português arcaico

Resumo

O presente trabalho tem por finalidade analisar dois mecanismos bastante distintos em forma e função, mas que se aproximam em sentido, uma vez que denotam negação, do sistema do português da época arcaica: o prefixo des- e palavras de valor negativo (tais como sen, nunca, se non, senon, nen, non). Para tanto, foram observadas as dez primeiras Cantigas de Santa Maria. Foi possível verificar que o prefixo des-, ainda presente no Português Brasileiro atual, já se mostrava produtivo no sistema linguístico do século XIII, formando novos vocábulos por meio de bases verbais e nominais, ‛negadas’ a partir da adjunção do prefixo. Além disso, constatamos que as partículas com valor negativo no Português Arcaico apresentam um comportamento semelhante ao desses mesmos elementos no Português Brasileiro moderno, tanto com relação à produtividade como no que diz respeito à sua disposição organizacional.

Referências

Abreu AS. Gramática mínima: para o domínio da língua padrão. Cotia, São Paulo: Ateliê Editorial; 2003.
Afonso X, o sábio. Cantigas de Santa María: edición facsímile do códice de Toledo (To). Biblioteca Nacional de Madrid (Ms. 10.069). Vigo: Consello da Cultura Galega/Galaxia; 2003.
Ali MS. Gramática histórica da língua portuguesa. 4ª ed. São Paulo/Brasília: Melhoramentos/Editora UnB; 2001. [1ª ed.: 1964]
Alves IM. Derivação prefixal. In: Rodrigues A, Alves IM, organizadores. Gramática do Português Culto Falado no Brasil – Volume VI – A construção morfológica da palavra. São Paulo: Contexto; 2015. p.17-43.
Anglés H. La música de las Cantigas de Santa María del rey Alfonso el sabio: fac-símil, transcripción y estudio critico por Higinio Anglés. Barcelona: Diputación Provincial de Barcelona/Biblioteca Central/ Publicaciones de la Sección de Música; 1964.
Câmara Jr. JM. História e estrutura da língua portuguesa. 1ª ed. Rio de Janeiro: Padrão; 1975.
Campos L. O desenvolvimento do prefixo não. In: Oliveira K, Cunha e Souza HF, Soledade J, organizadores. Do português arcaico ao português brasileiro: outras histórias [online]. Salvador: EDUFBA; 2009. p. 247-271.
Castro BM. As Cantigas de Santa Maria: Um estilo gótico na lírica ibérica medieval. Niterói: EdUFF; 2006.
Coutinho IL. Pontos de gramática histórica. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica; 1974.
Cunha C. Gramática moderna. Belo Horizonte: Itatiaia; 1970.
Cunha C, Cintra L. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 1985.
Fidalgo E. As Cantigas de Santa María. Vigo: Edicións Xerais de Galicia; 2002.
Filgueira Valverde J. Introducción. In: Alfonso X El Sabio. Cantigas de Santa María: Códice Rico de El Escorial. Madrid: Castalia; 1985. p. XI-LXIII.
Glosario. Universo Cantigas. Coruña: Facultade de Filoloxía; 2019. [citado 10 jun. 2019]. Disponível em: https://universocantigas.gal/glosario.
Huber J. Gramática do português antigo. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian; 1986. [1ª ed. alemã: 1933]
Kehdi V. Formação de palavras em português. São Paulo: Ática; 1992.
Leão ÂV. Cantigas de Santa Maria de Afonso X, o sábio. Aspectos culturais literários. São Paulo/Belo Horizonte: Linear B/Veredas & Cenários; 2007.
Martins AM. Clíticos na história do português [tese]. Lisboa (Portugal): Universidade de Lisboa; 1994.
Massini-Cagliari G. A música da fala dos trovadores: desvendando a prosódia medieval. 1ª ed. São Paulo: Editora UNESP Digital; 2015.
Mattos e Silva RV. O português arcaico: fonologia, morfologia e sintaxe. São Paulo: Contexto; 2006.
Mettmann W. Glossário. In: Mettmann W. Afonso X, o sábio. Cantigas de Santa Maria. Coimbra: Universidade de Coimbra; 1972.
Mettmann W, organizador. Cantigas de Santa María (cantigas 1 a 100): Alfonso X, el Sabio. Madrid: Castalia; 1986.
Mongelli LM. Fremosos cantares: antologia da lírica medieval galego-portuguesa. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes; 2009.
Namiuti C. Negação sentencial na diacronia do português: variação com estabilidade. Revista de Estudos da Linguagem. 2008;16(2), jul./dez:193-239.
Parkinson S. As Cantigas de Santa María: estudo das cuestións textuais. Anuario de estudios literarios galegos; 1998. p. 179-205.
Schaffer ME. Los códices de las Cantigas de Santa María: su problemática. In: Montoya Martínez J, Domínguez Rodríguez A, coordenadores. El scriptorium alfonsí: de los libros de astrología a las “Cantigas de Santa María”. Madrid: Editorial Complutense; 1999. p. 127-148.
Publicado
2019-12-31
Como Citar
Barreto, D., Mielo, T., & Cagliari, G. (2019). O prefixo ’des-’ e palavras de valor negativo no período arcaico da língua portuguesa, vistos a partir de uma breve análise das Cantigas de Santa Maria. Filologia E Linguística Portuguesa, 21(2), 211-224. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v21i2p211-224
Seção
Artigos