Lições sobre a sintaxe histórica do infinitivo português: infinitivo subjetivo, adnominal, preposicional, substantivado

Autores

  • Marcos Martinho dos Santos Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v22i1p21-39

Palavras-chave:

Sintaxe histórica do infinitivo português, Infinitivo subjetivo, Infinitivo adnominal, Infinitivo preposicional, Infinitivo substantivado

Resumo

Exponho a sintaxe histórica do infinitivo subjetivo, adnominal, preposicional e substantivado do português, partindo da sintaxe histórica do infinitivo latino. O infinitivo subjetivo decorreu de uma interpretação mais lógica que gramatical do infinitivo objetivo em latim. O infinitivo adnominal desenvolveu-se parcialmente em latim graças a um processo analógico, e só se desenvolveu plenamente em português graças ao progresso do infinitivo preposicional. Este, excepcional em latim, desenvolveu-se amplamente em português. A substantivação do infinitivo permitiu que este fosse acompanhado de adjetivo em latim e português, podendo inclusive receber a desinêncianominal ‘-[e]s’ em português para flexionar-se no plural como um substantivo qualquer. Trato, em particular, do modo como essas espécies de infinitivo foram empregadas no latim e no português escrito.

Referências

A demanda do Santo Graal. Edição de Joseph-Maria Piel. Concluída por Irene Freire Nunes. Introdução de Ivo de Castro. Lisboa: Imprensa Nacional / Casa da Moeda; 1988.

Bassols de Climent M. Sintaxis latina. 8.a imp. Madrid: C.S.I.C.; 1987. 2 v.

Bechara E. Moderna gramática portuguesa. 34.a ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional; 1992.

Blatt F. Précis de syntaxe latine. Tradução francesa de H. Barbier e K. Olsen. Lyon: IAC; 1952.

Camões LV. Os Lusíadas. Reprodução paralela das duas edições de 1572 [fac-símile]. Comissão da Academia das Ciências de Lisboa para a edição crítica d’Os Lusíadas. Lisboa: Imprensa Nacional / Casa da Moeda; 1982.

Dias ES. Syntaxe histórica portuguesa. 3.a ed. Lisboa: Livraria Clássica Editora A. M. Teixeira & Cia (Filhos); 1954.

Ernout A, Thomas F. Syntaxe latine. 2.a ed. Paris: Librairie Klincksieck; 1953.

Grandgent CH. An introduction to vulgar latin. Boston: D. C. Heath & Co., Publishers; 1907.

Martinho M. Lições sobre a sintaxe histórica do infinitivo português. Caligrama: Revista de Estudos Românicos. 2012;17(2):187-208.

Maurer TH. Gramática do latim vulgar. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica; 1959.

Meillet A, Vendryes J. Traité de grammaire comparée des langues classiques. 5.a ed. Paris: Honoré Champion; 1979.

Pereira EC. Grammatica historica. 2.a ed. São Paulo: Secção de Obras d’O Estado de S. Paulo; 1919.

Riemann O. Syntaxe latine. 7.a ed. revista por A. Ernout. Paris: Librairie Klincksieck; 1942.

Said Ali M. Gramática secundária da língua portuguesa. Edição revista e comentada ... pelo Prof. Evanildo Bechara. São Paulo: Edições Melhoramentos; 1964.

Said Ali M. Gramática histórica da língua portuguesa. 6.a ed. São Paulo: Edições Melhoramentos; 1966.

Väänänen V. Introducción al latín vulgar. 2.a imp. Tradução de S. Pacheco. Madrid: Editorial Gredos, S. A.; 1975.

Downloads

Publicado

2020-08-06

Como Citar

Santos, M. M. dos. (2020). Lições sobre a sintaxe histórica do infinitivo português: infinitivo subjetivo, adnominal, preposicional, substantivado. Filologia E Linguística Portuguesa, 22(1), 21-39. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v22i1p21-39

Edição

Seção

Artigos