Leitura e escrita de manuscritos: pena e suporte digitais na prática paleográfica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v22i2p233-245

Palavras-chave:

Paleografia, Paleografia digital, Pena e suportes digitais

Resumo

A partir de uma perspectiva baseada na paleografia tradicional em diálogo com a paleografia digital, este artigo apresenta a aplicação de novos recursos de leitura e escrita de manuscritos. Para tanto, procede-se com métodos paleográficos por meio de uma ferramenta digital no processo de cópia. Utilizou-se a mesa digitalizadora modelo CTL 4100, da marca Wacom, e, como modelo de manuscrito, o fólio 94r, do Livro de horas, datado entre os séculos XIV e XV. O fragmento selecionado foi uma oração de São Lucas, em que pudemos extrair exemplos de características das escritas góticas e mostrar que, com ferramentas próprias, a paleografia digital permite e facilita o exercício da leitura paleográfica e da prática de cópia, levando o pesquisador a uma maior compreensão do processo de escrita do autor material. Pretende-se também, a partir das observações expostas, discutir o uso de meios tecnológicos como alternativa facilitadora na aplicação de práticas didáticas filológicas, direcionadas à leitura paleográfica de documentos e execução de escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Ackel, Universidade de São Paulo

Mestre e doutorando em Filologia e Língua Portuguesa pelo Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Marcelo Módolo, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Marcelo Módolo é professor pesquisador da Universidade de São Paulo e bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq – nível 2 (processo número 308793/2019-6). É mestre (1998) e doutor (2004) em Filologia e Língua Portuguesa pela mesma Universidade. Cumpriu estágio de pós-doutorado (2006) em Linguística Histórica e Semântica Cognitiva no Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas. Atualmente, é professor de Filologia e Língua Portuguesa no Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

Referências

Ackel A. Estudo paleográfico de manuscrito do século XVII. Revista todas as letras. 2019a;21:1-23.

Ackel A, Módolo M. Seminário dos ratos: uma análise de contos pela crítica genética. O eixo e a roda. 2019b;27:247-263.

Bischoff B. Latin paleography: Antiquity and Middle Ages. Cambridge: Cambridge University Press; 1979.

Burrows M. The dead sea scrolls of St. Mark’s monastery. Vol. I. New Haven: American School of Oriental Research; 1989.

Buzzetti D. Digital representation and the text model. New Literary History. 2002;33:61-78.

Cardona GR. Antropologia della scrittura. Torino: Loescher Editore; 1981.

Ciula A. Digital palaeography: what is digital about it? Digital Scholarship in the Humanities. 2017 Dec.;32(2):89-105. [citado 13 out. 2020]. Disponível em: https://academic.oup.com/dsh/article/32/suppl_2/ii89/4259068.

Ciula A, Marras C. Circling around texts and language: towards ‘pragmatic modelling’ in digital humanities. Digital Humanities Quarterly. 2016;10(3):1-13. [citado 13 out. 2020]. Disponível em: http://www.digitalhumanities.org/dhq/vol./10/3/000258/000258.html.

Juarez E, Navarro D. Espacios históricos para el estudio y practica de caligrafia y paleografia. Madrid: Departamento de documentación de la Universidad Carlos III de Madrid; 2017.

Mallon J. Paleographie romaine. In: Scripturae monumenta et studia. Madrid: Instituto Antonio de Nebrija de Filologia; 1952. p. 221-225.

Mediavilla C. Caligrafía: del signo caligráfico a la pintura abstracta. Valencia: Campgráfic; 2005.

Millares Carlo A. Tratado de paleografía española. Madrid: Espasa Calpe; 1983.

Nicot J. Thresor de la langue françoyse. Paris: Chez David Douceur; 1606.

Nuñez Contreras L. Manual de Paleografía: fundamentos e historia de la escritura latina hasta el siglo VIII. Madrid: Cátedra; 1994.

Pasquali G. Pagine stravaganti di um filologo. Firenze: Le Lettere; 1994.

Petrucci A. Breve storia della scrittura latina. Roma: Bagatto libri; 1992.

Román Blanco R. Estudos paleográficos. São Paulo: Laserprint; 1987.

Sanchez J, et al. The Esposalles Database: an ancient marriage license corpus for off-line recognition. Pattern Recognition. 2013;46(6):168-194. [citado 13 out. 2020]. Disponível em: https://riunet.upv.es/bitstream/handle/10251/40254/PRLesposalles.pdf;jsessionid=9D7B64D273FF1DA050831E0A855E2FA7?sequence=2.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

Ackel, A., & Módolo, M. (2020). Leitura e escrita de manuscritos: pena e suporte digitais na prática paleográfica. Filologia E Linguística Portuguesa, 22(2), 233-245. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v22i2p233-245

Edição

Seção

Artigos