As perífrases com o verbo dever na tradução portuguesa da Vita Christi de Ludolfo de Saxónia

Autores

  • José Barbosa Machado Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v23i2p151-166

Palavras-chave:

Perífrase, Conjugação perifrástica, Verbo semiauxiliar, Verbo dever, Vita Christi

Resumo

Pretendemos com este estudo identificar as ocorrências das perífrases formadas pelo verbo dever na edição portuguesa impressa da Vita Christi, qual o seu valor semântico, quais os tempos mais usuais do verbo semiauxiliar, que pronomes dependem do verbo semiauxiliar e quais os verbos principais no infinitivo. Pretendemos ainda fazer referência a alguns casos particulares, como o reforço do verbo semiauxiliar com outro verbo ou expressão verbal e a formação de perífrases complexas. As perífrases em análise têm as seguintes configurações: dever + infinitivo, dever + de + infinitivo e dever + a + infinitivo. As duas últimas deixaram de pertencer ao português padrão, sendo frequentes em textos do século XV. A perífrase dever + infinitivo ainda hoje é amplamente utilizada na língua portuguesa. A Vita Christi, que serve de corpus a este estudo, é uma obra religiosa composta em latim que narra a vida evangélica de Cristo, da autoria de Ludolfo de Saxónia (c. 1295-1377). Traduzida para português na época do rei D. Duarte (1391-1438), foi impressa em Lisboa em 1495 pelos impressores alemães Valentino de Morávia e Nicolau da Saxónia. Pela sua extensão (1173 páginas em quatro partes), é uma ótima base para estudos acerca das características do português no século XV.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alzamora HI. As perífrases verbais no português europeu contemporâneo [tese]. Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas; 2018.

Barroso H. Das perífrases verbais como instrumento expressivo privilegiado das categorias de natureza temporo-aspectual e simplesmente aspectual no sistema verbal do português de hoje. In: Gärtner E, Hundt C, Schönberger A, editores. Estudos de gramática portuguesa (III). Frankfurt am Main: TFM; 2000. p. 91-103.

Brocardo MT. Gramática e texto em diacronia - haver (mais-que-perfeito simples) de + infinitivo em duas crónicas de Zurara. Estudos Linguísticos. 2015;10:39-47.

Castro DJ. Discurso da vida de el-rei D. Sebastião. Caldeira IMB, editora. Braga: Edições Vercial; 2013.

Costa AJ. Estudos de cronologia: diplomática, paleografia e histórico-linguísticos. Porto: Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais; 1992.

Góis D. Crónica do felicíssimo rei D. Manuel. Braga: Edições Vercial. Machado JB, editor; 2010.

Machado JB. Tratado de confissom: edição e estudo. 6.ª ed. rev. Braga: Edições Vercial; 2019.

Metzeltin M, Candeias M. Semântica e sintaxe do português. Coimbra: Almedina; 1990.

Nunes JJ. Compêndio de gramática histórica portuguesa. 9.ª ed. Porto: Clássica Editora; 1989.

Pérez M. Livro das confissões. 2.ª ed. rev. Machado JB, Moreira FAT, editores. Braga: Edições Vercial; 2013.

Saxónia L. Vita Christi. Vols. I, II e III. 6.ª ed. Machado JB, editor. Braga: Edições Vercial; 2019.

Torrego LG. Los verbos auxiliares: las perífrasis verbales de infinitivo. In: Bosque I, Demonte V, diretores. Gramática descriptiva de la lengua española. Madrid: Real Academia Española / Espasa Calpe; 1999. p. 3323-3389.

Downloads

Publicado

2022-07-02 — Atualizado em 2021-12-30

Versões

Como Citar

Machado, J. B. (2021). As perífrases com o verbo dever na tradução portuguesa da Vita Christi de Ludolfo de Saxónia. Filologia E Linguística Portuguesa, 23(2), 151-166. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v23i2p151-166 (Original work published 2 de julho de 2022)

Edição

Seção

Artigos