Inserção do profano no sagrado – a adoração do menino num corpus de peças de Cante

Autores

  • Maria José Albarran Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v0i3p23-54

Palavras-chave:

Semântica nominal. Semântica verbal. Propriedades prototípicas. Propriedades episódicas. Nível frásico. Nível transfrásico.

Resumo

Sob enfoque essencialmente semântico, analisa-se um corpus composto por variantes de cante sagrado. Uma análise da referência nominal ao Menino, num mundo de crenças cristãs, contrasta formas de instanciação do divino. Como objecto abstracto complexo, aquele é referido por nomes próprios e tanto por nomes comuns abstractos como concretos. Estes processos de referência aproximam o sagrado do homem, ocultando-o na capa de entidades mais vizinhas, as quais se manifestam, no nível frásico e transfrásico, em elementos, avulsamente tratados, como sejam: alguns predicadores, particularidades lexicais,
morfológicas e fonológicas; casos, também pontuais, de ordem marcadamente sociolinguística e textual. Todos confluem na profanização do sagrado que o artigo tem por objectivo caracterizar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1999-08-02

Como Citar

Carvalho, M. J. A. (1999). Inserção do profano no sagrado – a adoração do menino num corpus de peças de Cante. Filologia E Linguística Portuguesa, (3), 23-54. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v0i3p23-54

Edição

Seção

Artigos