Tendências recentes da lingüística textual na Alemanha e no Brasil

Autores

  • Maria Lúcia da C. Victório de Oliveira Andrade Universidade de São Paulo
  • Hardarik Blühdorn Institut fur Deutsche Sprache, Mannheim

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v0i7p13-48

Palavras-chave:

Linguística textual. Gramática textual. Semântica textual. Pragmática textual. Gêneros textuais. Tipologia textual. Texto falado. Texto escrito. Grupos de pesquisa.

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de elaborar um balanço da situação atual da linguística textual no Brasil, em comparação com a na Europa, especificamente na Alemanha. Observam-se quatro linhas de desenvolvimento dessa subdisciplina da linguística: da teoria para a aplicação, do texto abstrato para o texto completo, do micro-texto para o macro-texto e das forças centrípetas para as forças centrífugas. Na Alemanha, houve maior interesse por questões teóricas nos anos 1960 a 1980. Nos anos 1990, a linguística textual começou a se interessar cada vez mais por questões de aplicação. As pesquisas mais recentes giram em torno da descrição dos gêneros textuais. A produção brasileira dos anos 1980 concentrava-se nas questões da coesão e da coerência e nas estratégias sociocognitivas do processamento textual. Mais recentemente destacam-se os estudos do texto falado e sua aplicação no ensino do português como língua materna e/ou língua estrangeira, bem como os estudos da linguagem da mídia e das novas tecnologias.

Downloads

Publicado

2005-08-02

Como Citar

Andrade, M. L. da C. V. de O., & Blühdorn, H. (2005). Tendências recentes da lingüística textual na Alemanha e no Brasil. Filologia E Linguística Portuguesa, (7), 13-48. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v0i7p13-48

Edição

Seção

Artigos