A significação do silêncio n’A Demanda do Santo Graal à luz dos aspectos semântico- pragmáticos: dizer é não dizer

Autores

  • Undira Maria de Oliveira Fratel Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v0i7p49-63

Palavras-chave:

Silêncio. Semântica. Pragmática. A Demanda do Santo Graal.

Resumo

O presente trabalho focaliza o silêncio n'A Demanda do Santo Graal, à luz dos aspectos semântico-pragmáticos. O silêncio n'A Demanda do Santo Graal não é a representação niilista de um vazio total, pois está alicerçado na crença transcedental que se espelha em Deus, havendo, portanto, um motivo muito forte, uma consciência profunda do que dizer e do que não dizer, diferente do mutismo estéril e sem siginificação. Encontram-se presentes em todos os recortes destacados os traços mais característicos de ordem subjetiva: medo, pânico da desonra, impressão de jamais alcançar a pureza tão procurada.

Downloads

Publicado

2005-08-02

Como Citar

Fratel, U. M. de O. (2005). A significação do silêncio n’A Demanda do Santo Graal à luz dos aspectos semântico- pragmáticos: dizer é não dizer. Filologia E Linguística Portuguesa, (7), 49-63. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v0i7p49-63

Edição

Seção

Artigos