Acerca dos diferentes graus de distinção em fonologia: o caso dos fonemas portugueses em dissílabos do tipo CVCV

Autores

  • Mário Eduardo Viaro Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas – Universidade de São Paulo
  • Zwinglio O. Guimarães-Filho Instituto de Física – Universidade de São Paulo (USP)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v12i1p125-148

Palavras-chave:

Fonologia. Dissílabos. Português. Fonema. Par mínimo.

Resumo

O conceito estruturalista de fonema se define como o menor unidade segmental de uma língua, depreensível por meio de contrastes de pares mínimos. Entretanto, o número de produtos em cada oposição é muito distinto. As diferenças da função distintiva são analisadas nesse artigo a partir do conjunto de todas as palavras portuguesas que tenham a estrutura CVCV encontradas no dicionário Houaiss O efeito da inclusão de formas flexionadas, bem como de palavras com baixa frequência de uso também é levado em conta. Outras perspectivas de análises são possíveis, além das tradicionais, para a questão da distinção fonológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-06-02

Como Citar

Viaro, M. E., & Guimarães-Filho, Z. O. (2010). Acerca dos diferentes graus de distinção em fonologia: o caso dos fonemas portugueses em dissílabos do tipo CVCV. Filologia E Linguística Portuguesa, 12(1), 125-148. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v12i1p125-148

Edição

Seção

Artigos