Pesquisa exploratória da violência psicológica por meio da linguagem

Autores

  • Adelma Pimentel Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v15i1p7-26

Palavras-chave:

Violência Linguística e Comunicativa, Pesquisa Qualitativa, Psicologia.

Resumo

A violência linguística e comunicativa é uma modalidade de violência psicológica. Qual(is) a(s) fronteira(s)/diferença(s) entre “brincar” e promover violência psicológica por meio da linguagem verbal? Quais palavras são usadas para agenciar desqualificação subjetiva do sujeito e quais os conteúdos violentos empregados para causar efeitos sociais que deterioram a vida familiar e pública? São questões de nosso interesse. Neste texto, o escopo foi examinar alguns nexos entre linguagem/comunicação e violência psicológica através de pesquisa qualitativa exploratória. Os informantes foram estudantes de psicologia de uma universidade pública entre 20 e 30 anos de ambos os sexos. Aplicamos um questionário contendo perguntas abertas da análise: a) conteúdos violentos e desqualificadores; b) pessoas que proferiram os conteúdos violentos. Para identificar os núcleos de sentido realizamos uma análise temática conforme a proposta de Minayo. As respostas foram reorganizadas em dois eixos, cotejados à literatura revisada, na medida das possibilidades hermenêuticas. Assim, a violência psicológica por meio da linguagem, foi sintetizada em: I) Conteúdos subjetivamente desqualificadores: dizem respeito ao informante, por exemplo: burro; indica imediatamente a violência psicológica; II) conteúdos socialmente violentos: referem-se ao contexto em que viviam e presenciavam nas conversas, na rua, no bairro, na universidade e na televisão, por exemplo: estupro, racismo, assassinato, assalto, sequestro, tortura; traduzem múltiplas formas de violência: a física, institucional, pública, moral, simbólica e a psicológica. Entre os resultados identificamos, todavia, que as principais formas verbais que a violência assumiu foram as relacionadas à violência sexual. A família foi o principal agente ofensor no que se refere aos conteúdos subjetivamente desqualificadores.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-03-14

Como Citar

Pimentel, A. (2014). Pesquisa exploratória da violência psicológica por meio da linguagem. Filologia E Linguística Portuguesa, 15(1), 7-26. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v15i1p7-26

Edição

Seção

Artigos