Diacronia e sujeito nulo no português brasileiro: um estudo comparativo

Autores

  • Aline Peixoto Gravina Universidade Federal da Fronteira Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v16ispep199-231

Palavras-chave:

Sujeito nulo parcial, Linguística histórica, Mudança linguística.

Resumo

Nesse trabalho foi elaborado um estudo comparativo-diacrônico a respeito do uso do sujeito nulo no PB e no PE, a partir de um corpus composto por jornais que circularam na primeira e segunda metade do século 19 e na primeira metade do século 20 nas cidades de Ouro Preto no Estado de Minas Gerais/Brasil e na cidade de Évora no Distrito de Évora/ Portugal. Os jornais utilizados para este estudo foram os seguintes: O Recreador Mineiro (1845-1848); O Jornal Mineiro (1897-1900) e Tribuna de Ouro Preto (1945-1948) no Brasil e Illustração luzo-brasileira (1856-1858); O Manuelinho de Évora (1890-1898) e Notícias de Évora (1945-1948). Para efetuar as descrições dos fenômenos estudados, foram analisadas mais de 14 mil sentenças desse corpus. Nosso objetivo neste artigo foi o de averiguar e descrever a relação entre o sujeito nulo na diacronia do PB, através de um estudo comparativo com dados do PE. Os resultados quantitativos mostraram que a gramática do PB teria sofrido uma mudança no que diz respeito ao uso de sujeito nulo: perdido a característica de uma língua de sujeito nulo consistente e adquirido propriedades de uma língua com sujeito nulo parcial. Verificou-se nos dados um alto preenchimento do sujeito com o decorrer do tempo por meio de uma estratégia que denominamos de Sujeito Lexical Anáforico. A mudança de gramática de sujeito nulo entre o PB e o PE foi constatada em nossos dados à medida que o número de sujeito nulos encontrados em PE permaneceu com alta frequência de uso em todos os períodos e ambientes sintáticos analisados. Além disso, o PE não apresentou qualquer necessidade de uso de estratégias de preenchimento como foi atestado em PB. A realização do sujeito nulo com primeira pessoa apresentou um comportamento diferenciado do sujeito nulo de terceira pessoa nos dados do PB, o que reforça a hipótese de o PB ser uma língua de sujeito nulo parcial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Peixoto Gravina, Universidade Federal da Fronteira Sul

Professora da área de Linguística do colegiado de Letras da Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS

Downloads

Publicado

2014-12-03

Como Citar

Gravina, A. P. (2014). Diacronia e sujeito nulo no português brasileiro: um estudo comparativo. Filologia E Linguística Portuguesa, 16(esp.), 199-231. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v16ispep199-231

Edição

Seção

Artigos