Avaliação histórica de taxas de colmatagem e sua relação com a evolução da urbanização em bacias hidrográficas pareadas em Guarapiranga-SP

Palavras-chave: Anthropogenic geomorphology. Evolutionary geomorphological mapping. Urbanization of São Paulo. Urban drainage basin. Guarapiranga dam.

Resumo

No intuito de aplicar e desenvolver novas metodologias para avaliação quantitativa do impacto da atividade antrópica na superfície terrestre, este estudo analisa a dinâmica da expansão urbana num intervalo temporal de quase cem anos e sua correlação com mudanças e efeitos morfológicos e processuais em duas bacias hidrográficas de tributários do reservatório Guarapiranga, em São Paulo-SP. Enfatizou-se o geoindicador avanço de colmatagem nos remansos dessas duas bacias hidrográficas, que se puderam comparar por apresentar características físicas e morfométricas similares e diferente histórico de ocupação. Tomaram-se como referencial metodológico a geomorfologia antropogênica, a sistematização dos geoindicadores, a geomorfologia urbana histórica e os recursos da cartografia geomorfológica retrospectiva de detalhe (1:5.000), considerando sete diferentes momentos, correspondentes a aerolevantamentos de 1932, 1962, 1972, 1986, 1994, 2000 e 2008. Entre os principais resultados da análise, destacam-se taxas de colmatagem 40% maiores no remanso da bacia urbanizada, além de alta correlação entre as taxas de aumento da superfície urbanizada e as taxas de aumento de área colmatada nos remansos. Assim, o estudo mostra a relação entre fases e padrões construtivos dos processos de urbanização e produção de sedimentos em bacias hidrográficas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana de Paula Silva, UEM - Universidade Estadual de Maringá
Professora Adjunta do Departamento de Geografia da Universidade Estadual de Maringá
Cleide Rodrigues, USP - Universidade de São Paulo
Professora Adjunta do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo

Referências

BERGER, A. R.; IAMS, W. J. Geoindicators: assessing rapid environmental changes in earth systems. Rotterdam: Brookfield, 1996.

CAMPAGNOLI, F. A aplicação do assoreamento na definição de geoindicadores ambientais em áreas urbanas: exemplo na bacia do Alto Tietê-SP. Doutorado em Engenharia Hidráulica) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

CHIN, A. Urban transformation of river landscapes in a global context. Geomorphology, Amsterdam, v. 79, p. 460-487, 2006.

CHORLEY, R. J. A geomorfologia e a teoria dos sistemas gerais. Notícia Geomorfológica, Campinas, v. 11, n. 21, p. 3-22, 1971.

COLTRINARI, L.; McALL, G. J. H. Geoindicadores: ciências da terra e mudanças ambientais. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 9, p. 5-11, 1995.

DOUGLAS, I. The impact of urbanization on fluvial geomorphology in the humid tropics. In: SYMPOSIUM ON ENVIRONMENTAL GEOMORPHOLOGY IN TROPICAL REGIONS, 1983, Lubumbashi. Anais... Geo-Eco-Trop, fasc. 1 e 2, 1983a.

DOUGLAS, I. The Urban Environmental. London: Edward Arnold: 1983b.

______; LAWSON, N. The Human Dimensions of Geomorphological Work in Britain. Journal of Industrial Ecology, Chichester: Wiley, v. 4, p. 9-33, 2001.

GOUDIE, A. The Human Impact on the Natural Environment. Oxford: Blackwell, 2000.

GOUVEIA, I. C. M. C. Da originalidade do sítio urbano de São Paulo às formas antrópicas: aplicação da abordagem da geomorfologia antropogênica na Bacia Hidrográfica do Rio Tamanduateí, na Região Metropolitana de São Paulo. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

GREGORY, C.; REID, H.; BRIERLEY, G. J. River Recovery in an Urban Catchment: Twin Streams Catchment, Auckland, New Zealand. Physical Geography, v. 29, n. 3, p. 222-246, 2008.

GREGORY, K. J. The human role in changing river channels. Geomorphology, Amsterdam, v. 79, p. 172-191, 2006.

GUERRA, A. T. Dicionário Geológico Geomorfológico. Rio de Janeiro: IBGE, 1978.

GUPTA, A. Geomorphology and the urban tropics: building an interface between research and usage. Geomorphology, Amsterdam, v. 31, p. 133-149, 1999.

GURNELL, A.; PEIRY, J.; PETTS, G. Using historical data in fluvial geomorphology. In: KONDOLF, G.; PIÉGAY, H. (Ed.). Tools in Fluvial Geomorphology. Chichester, UK: Wiley, 2003. p. 77-101.

IPT. INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Diagnóstico e monitoramento do assoreamento dos reservatórios da Região Metropolitana de São Paulo. Relatório parcial. Relatório interno n. 38.862. São Paulo, 2000.

______. Estudo da dinâmica sedimentar do reservatório Guarapiranga. Relatório n. 36.787. São Paulo, 1998.

LIMA, C. R. Urbanização e intervenções no meio físico na borda da Bacia Sedimentar de São Paulo: uma abordagem geomorfológica. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1990.

LUZ, R. A. Mudanças geomorfológicas na planície fluvial do rio Pinheiros, São Paulo (SP), ao longo do processo de urbanização. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

______; RODRIGUES, C. Anthropogenic changes urbanised hydromorphological systems in a humid tropical environment River Pinheiros, São Paulo, Brasil. Zeitschrift fur Geomorphologie, Stuttgart, v. 59, p. 109, 2015. Supplementband.

MONTEIRO, C. A. F. Geossistemas: a história de uma procura. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2001.

NIR, D. Man, a geomorphological agent: a introduction to anthropic geomorphology. Jerusalem: Ketem, 1983.

OLIVEIRA, A. M. S. Depósitos tectogênicos e assoreamento de reservatórios. Exemplo do Reservatório de Capivara, Rio Paranapanema, SP/PR. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

RODRIGUES, C. Avaliação do impacto humano da urbanização em sistemas hidrogeomorfológicos: desenvolvimento e aplicação de metodologia na Grande São Paulo. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, v. 20, p. 111-125, 2010.

______. Morfologia original e morfologia antropogênica na definição de unidades espaciais de planejamento urbano: um exemplo na metrópole paulista. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, v. 17, p. 101-111, 2005.

______. A urbanização da metrópole sob a perspectiva da geomorfologia: tributo a leituras geográficas. In: CARLOS, A. F.; OLIVEIRA, A. U. (Org.). Geografias de São Paulo. São Paulo: Contexto, 2004. p. 89-114.

______. Geomorfologia aplicada: avaliação de experiências e de instrumentos de planejamento físico-territorial e ambiental brasileiros. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

RODRIGUES, C.; COLTRINARI, L. Z. D. Geoindicators of urbanization effects in humid tropical environment: São Paulo (Brazil) Metropolitan Area. In: INTERNATIONAL GEOLOGICAL CONGRESS, 32., 2004, Florença. Anais... Florença, 2004. p. 976.

______. Anthropogenic changes in an urban tropical landscape: São Paulo (Brazil). In: INQUA CONGRESS, 8., 1991, Beying, CH. Anais… Beying, 1991. v. 1. p. 110-121.

ROSS, J. L. S. Ecogeografia do Brasil: subsídios para planejamento ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2006.

SILVA, J. P. Expansão urbana e evolução geomorfológica em remansos de reservatórios: análise comparativa de duas bacias hidrográficas em Guarapiranga, São Paulo. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

STRAHLER, A. N. Quantitative analysis of watershed geomorphology. Transactions of the American Geophysical Union, v. 8, n. 6, p. 913-920, 1957.

TOY, T. J.; HADLEY, R. F. Geomorphology and reclamation of disturbed lands. London: Academic, 1987.

TRIMBLE, S. W. Decreased rates of alluvial sediment storage in the Coon Creek Basin, Wisconsin, 1975-93. Science, v. 285, p. 1244-1246, 1999.

______; CROSSON, P. Land use: U.S. soil erosion rates – Myth and reality. Science, v. 289, p. 248-250, 2000.

TSUGAWA, J. K. Elaboração de um mapa de risco potencial a processos geológicos da bacia Guavirutuba visando a prevenção do assoreamento da represa Guarapiranga. Monografia (Graduação em Geologia) – Instituto de Geologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

WALLING, D. E. Human impact on land-ocean sediment transfer by the world’s rivers. Geomorphology, Amsterdam, v. 79, n. 3-4, p. 192-216, 2006.

Publicado
2018-06-19
Como Citar
Silva, J., & Rodrigues, C. (2018). Avaliação histórica de taxas de colmatagem e sua relação com a evolução da urbanização em bacias hidrográficas pareadas em Guarapiranga-SP. GEOUSP: Espaço E Tempo (Online), 22(1), 172-190. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2018.119458
Seção
Artigos