Parques urbanos; um recorte de São Paulo e suas potencialidades para o turismo

Autores

  • Yuri Tavares Rocha Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2001.123515

Palavras-chave:

Parques urbanos, São Paulo, Jardim Botânico, Zoológico, Ibirapuera

Resumo

Os desenvolvimentos intelectual, científico e tecnológico alcançados pela humanidade produziram cidades nas diversas civilizações e culturas, que impuseram a transformação do ambiente natural em urbano, que tem problemas ambientais e sociais. Dentro desse ambiente urbano existem espaços livres de construção praças e parques - que proporcionam o contato com a natureza e auxiliam na mitigação dos impactos ambientais provocados pela urbanização. Fez-se o levantamento de alguns conceitos sobre como parques podem ser explorados pela prática do turismo, além de terem sua grande importância para o metabolismo da cidade e para a recreação e lazer dos citadinos. Os parques urbanos enfocados em São Paulo foram: Parque do Ibirapuera, Jardim Botânico de São Paulo, campus Água Funda do Instituto Astronômico e Geofisico e Zoológico de São Paulo

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yuri Tavares Rocha, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

Doutorando do Depto. de Geografia-FFLCH/USP e pesquisador científico do Instituto de Botânica

Downloads

Publicado

2001-12-10

Como Citar

ROCHA, Y. T. Parques urbanos; um recorte de São Paulo e suas potencialidades para o turismo. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 5, n. 1, p. 79-89, 2001. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2001.123515. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/123515. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos