Ensaio sobre a relação entre desenvolvimento geográfico desigual e regionalização do espaço brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.155571

Palavras-chave:

produção do espaço, configurações geográficas, regionalização, desenvolvimento geográfico desigual, brasil

Resumo

Neste artigo, analisamos a regionalização do espaço brasileiro com base na noção de desenvolvimento geográfico desigual. Partimos de regionalizações de diferentes épocas e autores, fundamentadas em metodologias também diferentes, e, a partir daí, dirigimos o olhar para o processo histórico de produção do espaço brasileiro considerando seus legados espaciais. As noções de totalidade, fragmentação do espaço e configuração geográfica são centrais para esta análise, assim como as noções de divisão territorial do trabalho, forças produtivas e condições gerais de produção. Ao final, sobrepomos cartograficamente informações acerca da distribuição geográfica da força de trabalho no país, a rede rodoviária federal e um indicador de renda, de que resulta um mapa síntese da regionalização do espaço brasileiro.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Rita de Cássia Ariza da Cruz, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

    Professora do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Referências

ANDRADE, M. C. de. A questão do território no Brasil. São Paulo: Hucitec, 135 p., 2004.

ARRETCHE, M. Trazendo o conceito de cidadania de volta: a propósito das desigualdades territoriais. In: ARRETCHE, Marta (Org.). Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinqüenta anos. São Paulo: Editora UNESP; CEM, 2015, pp. 193-222.

ARROYO, M. (2015). Redes e circulação no uso e controle do território.In: ARROYO, Monica & CRUZ, Rita de Cássia A. da (Orgs). Território e circulação – a dinâmica contraditória da globalização. São Paulo: Annablume, pp. 37-49.

BEZZI, M. L. Região: uma (re)visão historiográfica – da Gênese aos novos paradigmas. Rio Claro, 1995. Tese de Doutorado (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista.

BOSCARIOL, R. A. Região e regionalização no Brasil: uma análise segundo os resultados do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). IN: MARGUTI, Bárbara O.; COSTA; Marco A.; PINTO, Carlos Vinicius da S. Territórios em números: insumos para políticas públicas a partir da análise do IDHM e do IVS de municípios e das Unidades da Federação Brasileira. Brasília: IPEA/INCT, 2017, pp. 185-208.

CARLOS, A. F. Da “organização” à “ produção” do espaço no movimento do pensamento geográfico. In: CARLOS, Ana Fani A.; SOUZA, Marcelo Lopes de; SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão (orgs). A produção do espaço urbano – agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto, 2011, pp. 53-73.

CLAVAL, P. Geo-épistémologie. Paris: Armand Colin, 128 p., 2017.

CORRÊA, R. L. Trajetórias geográficas. RJ: Bertrand Brasil, 302 p., 2001.

GUERRA, A.; POCHMANN, M.; SILVA, R. (Orgs). Atlas da exclusão social no Brasil – dez anos depois. Vol. 1, São Paulo: Cortez, 348 p., 2014.

GUIMARÃES, F. S. M. Divisão Regional do Brasil. Revista Brasileira de Geografia , ano III, n. 2, p. 318-373, 1941.

HAESBAERT, R. Regional-Global: dilemas da região e da regionalização na Geografia contemporânea. 2a Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 207 p., 2014.

HARVEY, D. Os limites do capital. 1a ed. Trad. De Magda Lopes. São Paulo: Boitempo, 591 p., 2013.

LAMBERT, J. Os dois Brasis. Rio de Janeiro: INEP-MEC PAGS, 277 p., 1959.

LEFÈBVRE, H. Espaço e política. Trad. De Margarida Maria de Andrade e Sérgio Martins. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 190 p., 2008.

LEFÈBVRE, H. La notión de totalité dans lês sciences sociales. Cahier Internationaux de Sociologie, Nouvelle Serie, vol. 18, janvier-juin, 1955, pp. 55-77.

LENCIONI, S. Estado de São Paulo: lugar de concentracão da inovacão e da intensidade tecnológica da indústria brasileira. In: SPÓSITO, Eliseu S. (Org.). O novo mapa da indústria no início do século XXI. Diferentes paradigmas para a leitura das dinâmicas territoriais do estado de São Paulo. São Paulo: Ed. da UNESP Digital, 2015, pp. 13-34.

LENCIONI, S. Urbanização difusa e a constituição de megarregiões: o caso de São Paulo-Rio de Janeiro. Revista Eletrônica de Estudos Urbanos e Regionais, Rio de Janeiro, ano 6, n. 22, p. 6-15, 2015.

LENCIONI, S. Totalidad y triadas: compreendiendo el pensamiento de Lefebvre. In: MATOS, Carlos & LINK, Felipe. Lefebvre revisitado: capitalismo, vida cotidiana y el derecho a la ciudad. Santiago, Chile: RIL Ed., 2015, pp. 57-77.

MARKUSEN, A. Região e regionalismo: um enfoque marxista. Espaço & Debates, ano 1, n. 2, p. 61-99, 1981.

MORAES, A. C. R. Contribuições para a gestão da zona costeira do Brasil. Elementos para uma Geografia do Litoral Brasileiro. São Paulo: Edusp/Hucitec, 229 p., 1999.

MORAES, A. C. R. Território e história no Brasil. 3a ed. SP: AnnaBlume, 2008.

MOREIRA, R. A formação espacial brasileira. Contribuição crítica aos fundamentos espaciais da geografia do Brasil. Rio de Janeiro: Conseqüência, 319 p., 2014.

MOURA, R. & LIRA, S. A. Aplicação da análise exploratória espacial na identificação de configurações territoriais. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, Rio de Janeiro, vol. 28, n. 1, p. 153-168, 2011.

MOURA, R. O complexo dialogo entre o urbano e o regional. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 4, n. 2, p. 5-26, 2016.

PRADO JR., C. Formação do Brasil Contemporâneo. SP: Companhia das Letras, 446 p. 2017.

SANTOS, M. A natureza do espaço. São Paulo: Hucitec, 308 p., 1996.

SANTOS, M. Espaço e método. 4a ed. São Paulo: Nobel, 88 p., 1997.

SANTOS, M. & SILVEIRA, M. L. Brasil, território e sociedade no início do século XXI. RJ: Record, 471 p., 2001.

SILVA, M. M. F. Geografia dos transportes no Brasil. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro: IBGE, v. 1, n. 2, abril, p. 84-96, 1939.

SMITH, N. Desenvolvimento desigual. Natureza, capital e a produção de espaço. Rio de Janeiro: Bertand Brasil, 250 p., 1988.

THÉRY, H., Mello-Théry, N. A. de. Atlas do Brasil. 3a Ed. São Paulo: Edusp, 390 p., 2018.

TUNES, R. H. Geografia da Inovação. Território e Inovação no Brasil no século XXI. São Paulo, 2015. Tese de doutorado (Doutorado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

Publicado

2020-03-09

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

CRUZ, Rita de Cássia Ariza da. Ensaio sobre a relação entre desenvolvimento geográfico desigual e regionalização do espaço brasileiro. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 24, n. 1, p. 27–50, 2020. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.155571. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/155571.. Acesso em: 18 jul. 2024.