Ensaio sobre a relação entre desenvolvimento geográfico desigual e regionalização do espaço brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.155571

Palavras-chave:

produção do espaço, configurações geográficas, regionalização, desenvolvimento geográfico desigual

Resumo

Neste artigo, analisamos a regionalização do espaço brasileiro com base na noção de desenvolvimento geográfico desigual. Partimos de regionalizações de diferentes épocas e autores, fundamentadas em metodologias também diferentes, e, a partir daí, dirigimos o olhar para o processo histórico de produção do espaço brasileiro considerando seus legados espaciais. As noções de totalidade, fragmentação do espaço e configuração geográfica são centrais para esta análise, assim como as noções de divisão territorial do trabalho, forças produtivas e condições gerais de produção. Ao final, sobrepomos cartograficamente informações acerca da distribuição geográfica da força de trabalho no país, a rede rodoviária federal e um indicador de renda, de que resulta um mapa síntese da regionalização do espaço brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Ariza da Cruz, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Professora do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

Referências

ANDRADE, M. C. de. A questão do território no Brasil. São Paulo: Hucitec, 135 p., 2004.
ARRETCHE, M. Trazendo o conceito de cidadania de volta: a propósito das desigualdades territoriais. In: ARRETCHE, Marta (Org.). Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinqüenta anos. São Paulo: Editora UNESP; CEM, 2015, pp. 193-222.
ARROYO, M. (2015). Redes e circulação no uso e controle do território.In: ARROYO, Monica & CRUZ, Rita de Cássia A. da (Orgs). Território e circulação – a dinâmica contraditória da globalização. São Paulo: Annablume, pp. 37-49.
BEZZI, M. L. Região: uma (re)visão historiográfica – da Gênese aos novos paradigmas. Rio Claro, 1995. Tese de Doutorado (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista.
BOSCARIOL, R. A. Região e regionalização no Brasil: uma análise segundo os resultados do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). IN: MARGUTI, Bárbara O.; COSTA; Marco A.; PINTO, Carlos Vinicius da S. Territórios em números: insumos para políticas públicas a partir da análise do IDHM e do IVS de municípios e das Unidades da Federação Brasileira. Brasília: IPEA/INCT, 2017, pp. 185-208.
CARLOS, A. F. Da “organização” à “ produção” do espaço no movimento do pensamento geográfico. In: CARLOS, Ana Fani A.; SOUZA, Marcelo Lopes de; SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão (orgs). A produção do espaço urbano – agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto, 2011, pp. 53-73.
CLAVAL, P. Geo-épistémologie. Paris: Armand Colin, 128 p., 2017.
CORRÊA, R. L. Trajetórias geográficas. RJ: Bertrand Brasil, 302 p., 2001.
GUERRA, A.; POCHMANN, M.; SILVA, R. (Orgs). Atlas da exclusão social no Brasil – dez anos depois. Vol. 1, São Paulo: Cortez, 348 p., 2014.
GUIMARÃES, F. S. M. Divisão Regional do Brasil. Revista Brasileira de Geografia , ano III, n. 2, p. 318-373, 1941.
HAESBAERT, R. Regional-Global: dilemas da região e da regionalização na Geografia contemporânea. 2a Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 207 p., 2014.
HARVEY, D. Os limites do capital. 1a ed. Trad. De Magda Lopes. São Paulo: Boitempo, 591 p., 2013.
LAMBERT, J. Os dois Brasis. Rio de Janeiro: INEP-MEC PAGS, 277 p., 1959.
LEFÈBVRE, H. Espaço e política. Trad. De Margarida Maria de Andrade e Sérgio Martins. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 190 p., 2008.
_____. La notión de totalité dans lês sciences sociales. Cahier Internationaux de Sociologie, Nouvelle Serie, vol. 18, janvier-juin, 1955, pp. 55-77.
LENCIONI, S. Estado de São Paulo: lugar de concentracão da inovacão e da intensidade tecnológica da indústria brasileira. In: SPÓSITO, Eliseu S. (Org.). O novo mapa da indústria no início do século XXI. Diferentes paradigmas para a leitura das dinâmicas territoriais do estado de São Paulo. São Paulo: Ed. da UNESP Digital, 2015, pp. 13-34.
_____. Urbanização difusa e a constituição de megarregiões: o caso de São Paulo-Rio de Janeiro. Revista Eletrônica de Estudos Urbanos e Regionais, Rio de Janeiro, ano 6, n. 22, p. 6-15, 2015.
_____. Totalidad y triadas: compreendiendo el pensamiento de Lefebvre. In: MATOS, Carlos & LINK, Felipe. Lefebvre revisitado: capitalismo, vida cotidiana y el derecho a la ciudad. Santiago, Chile: RIL Ed., 2015, pp. 57-77.
MARKUSEN, A. Região e regionalismo: um enfoque marxista. Espaço & Debates, ano 1, n. 2, p. 61-99, 1981.
MORAES, A. C. R. Contribuições para a gestão da zona costeira do Brasil. Elementos para uma Geografia do Litoral Brasileiro. São Paulo: Edusp/Hucitec, 229 p., 1999.
_____. Território e história no Brasil. 3a ed. SP: AnnaBlume, 2008.
MOREIRA, R. A formação espacial brasileira. Contribuição crítica aos fundamentos espaciais da geografia do Brasil. Rio de Janeiro: Conseqüência, 319 p., 2014.
MOURA, R. & LIRA, S. A. Aplicação da análise exploratória espacial na identificação de configurações territoriais. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, Rio de Janeiro, vol. 28, n. 1, p. 153-168, 2011.
MOURA, R. O complexo dialogo entre o urbano e o regional. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 4, n. 2, p. 5-26, 2016.
PRADO JR., C. Formação do Brasil Contemporâneo. SP: Companhia das Letras, 446 p. 2017.
SANTOS, M. A natureza do espaço. São Paulo: Hucitec, 308 p., 1996.
_____. Espaço e método. 4a ed. São Paulo: Nobel, 88 p., 1997.
SANTOS, M. & SILVEIRA, M. L. Brasil, território e sociedade no início do século XXI. RJ: Record, 471 p., 2001.
SILVA, M. M. F. Geografia dos transportes no Brasil. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro: IBGE, v. 1, n. 2, abril, p. 84-96, 1939.
SMITH, N. Desenvolvimento desigual. Natureza, capital e a produção de espaço. Rio de Janeiro: Bertand Brasil, 250 p., 1988.
THÉRY, H., Mello-Théry, N. A. de. Atlas do Brasil. 3a Ed. São Paulo: Edusp, 390 p., 2018.
TUNES, R. H. Geografia da Inovação. Território e Inovação no Brasil no século XXI. São Paulo, 2015. Tese de doutorado (Doutorado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

Publicado

2020-03-09

Como Citar

CRUZ, R. de C. A. da. Ensaio sobre a relação entre desenvolvimento geográfico desigual e regionalização do espaço brasileiro. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 24, n. 1, p. 27-50, 2020. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.155571. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/155571. Acesso em: 27 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>