A reformulação da rede federal de ensino profissional como estratégia geopolítica para produzir inovação tecnológica no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.159877

Palavras-chave:

inovação, educação profissional, Instituto federal

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre a política de reformulação da rede federal de ensino como estratégia geopolítica do governo federal para a educação profissional e as decorrentes imbricações territoriais da produção de inovações. Trata-se do estudo das transformações na educação profissional da rede federal de ensino para a melhora da educação nacional e para a competição econômica nacional e internacional, a partir da prospecção das potencialidades territoriais para a inovação. Com base numa revisão da bibliografia e a partir da pesquisa da produção de inovações patenteadas, investiga-se a correlação entre a educação profissional e a produção de inovações. O resultado da análise aponta que a educação profissional tem ensejado a produção de inovações técnicas e tecnológicas, evidenciado a correlação dessa produção com as características dos territórios onde ficam as unidades dos Institutos Federais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauro Sergio Pinheiro dos Santos Souza, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Geógrafo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, atua principalmente na área de pesquisas urbanas, políticas públicas e geografia política.

Referências

ANDIFES. ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS DIRIGENTES DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR. Reforma Universitária: proposta da Andifes para a reestruturação da educação superior no Brasil. Brasília, DF: Andifes, 2004. Disponível em: http://www.andifes.org.br/wp-content/files_flutter/1364828028PropostaAndifes.pdf. Acesso em: 27 jul. 2020.

BECKER, B. K. Amazônia: geopolítica na virada do III milênio. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Concepções e diretrizes da educação profissional e tecnológica: política da EPT 2003-2010. Brasília, DF: MEC, 2009. Disponível em: http://www.inmetro.gov.br/painelsetorial/palestras/Luiz_Augusto_Caldas_Pereira_Concepcoes_Diretrizes.PDf. Acesso em: 2 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Subsídios para o processo de discussão da proposta de anteprojeto de Lei da Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, DF: Setec. 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/subs_02fev05.pdf. Acesso em: 9 jun. 2019.

CAMPOLINA, B.; DINIZ, C. C. Crise global, mudanças geopolíticas e inserção do Brasil. Revista de Economia Política, v. 34, n. 4, p. 638-655, 2014. doi: https://doi.org/10.1590/S0101-31572014000400008.

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M. Inovação e sistemas de inovação: relevância para a saúde. RECIIS – Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 153-162, 2007. doi: https://doi.org/10.29397/reciis.v1i1.890.

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M. Sistemas de inovação e desenvolvimento: as implicações de política. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 34-45, 2005. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88392005000100003.

FERRETTI, C. J. Formação profissional e reforma do ensino técnico no Brasil: anos 90. Educação & Sociedade, Campinas, v. 18, n. 59, p. 225-269, 1997. doi: https://doi.org/10.1590/S0101-73301997000200002.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. Educação básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Educação & Sociedade, Campinas, v. 24, n. 82, p. 93-130, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v24n82/a05v24n82.pdf>. Acesso em: 11 jul. 2019.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. A gênese do Decreto n. 5.154/2004: um debate no contexto controverso da democracia restrita. Trabalho Necessário, v. 3, n. 3, p. 1-26, 2005a. Disponível em: http://forumeja.org.br/pf/sites/forumeja.org.br.pf/files/CIAVATTAFRIGOTTORAMOS.pdf. Acesso em: 11 jul. 2019.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. A política de educação profissional no governo Lula: um percurso histórico controvertido. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, p. 1087-1113, especial, out. 2005b. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302005000300017.

GRABOWSKI, G. Ensino médio integrado à educação profissional. Boletim, Brasília, DF: MEC, n. 7, p. 5-15, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf2/boletim_salto07.pdf. Acesso em: 8 jun. 2019.

IBAÑEZ, P. Geografia e Inovação: uma abordagem urgente. Espaço Aberto, Rio de Janeiro: UFRJ, v. 4, n. 1, p. 121-138, 2014. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/EspacoAberto/article/view/2437/2082. Acesso em: 11 jul. 2019.

IBAÑEZ, P. Geopolítica e inovação tecnológica: uma análise da subvenção econômica e das políticas de inovação para a saúde. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-05072012-143758/pt-br.php. Acesso em: 11 jul. 2019.

INPI. INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Disponível em: https://gru.inpi.gov.br/pePI/jsp/patentes/PatenteSearchBasico.jsp. Acesso em: 8 jun. 2019.

KUENZER, A. Z. O ensino médio agora é para a vida: entre o pretendido, o dito e o feito. Educação & Sociedade, Campinas, v. 21, n. 70, p. 15-39, 2000. doi: https://doi.org/10.1590/S0101-73302000000100003.

KUENZER, A. Z.; GRABOWSKI, G. Educação profissional: desafios para a construção de um projeto para os que vivem do trabalho. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 297-318, 2006. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article%20/download/10762/10269. Acesso em: 11 jul. 2019.

MACHADO, L. O. Sociedade urbana, inovação tecnológica e a nova geopolítica. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro: IBGE, v. 55, n. 1/4, p. 5-13, 1993. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/115/rbg_1993_v55_n1_n4.pdf. Acesso em: 11 jul. 2019.

MANFREDI, S. M. Educação profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

PACHECO, Eliezer. Os institutos federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. In: PACHECO, E. (Org.). Os institutos federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. São Paulo: Moderna, 2011. p. 13-32.

SOUZA, M. S. P. S. Os institutos federais de educação, ciência e tecnologia como vetores de desenvolvimento territorial no estado do Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016.

Publicado

2021-09-17 — Atualizado em 2020-12-16

Versões

Como Citar

SOUZA, M. S. P. dos S. A reformulação da rede federal de ensino profissional como estratégia geopolítica para produzir inovação tecnológica no Brasil. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 24, n. 3, p. 547-562, 2020. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.159877. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/159877. Acesso em: 1 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos