O desconforto das regiões e das classes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.173481

Palavras-chave:

Região, Classe, espaço geográfico, Sociedade

Resumo

De caráter essencialmente epistemológico, este artigo faz uma analogia entre região e classe como categorias de análise. Parte do pressuposto de que são generalizações problemáticas: enquanto a região simplifica a diversidade do espaço ao homogeneizá-la, a classe negligencia a diversidade identitária de seus membros. Assumimos a posição de que regiões e classes são construções arbitrárias que revelam estratégias políticas e que não se sustentam frente às categorias mais amplas que as abrigam: o espaço e a sociedade. Pautado em pressupostos da pós-modernidade, o artigo defende, todavia, o uso dessas categorias, por considerar que elas se apresentam tanto como estratégia discursiva aos experts, quanto como possibilidade pedagógica aos que não são familiarizados com a relativização de suas proposições totalizantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Luiz Silveira da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

Geógrafo (UFMG), Mestre em Relações Internacionais (PUC-MG), Doutor em Geografia. Professor de Geografia do IFNMG - campus Salinas

Alfredo Costa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

Géografo (UFMG), especialista em educação (IFNMG), mestre em análise e modelagem de sistemas ambientais (UFMG), doutor em geografia (UFMG) e Professor do IFNMG. Como pesquisador, dedica-se ao estudo da geografia regional em suas várias interfaces.

Referências

ANDERSON, B.. Comunidades Imaginadas. São Paulo: Companhia das letras, 2008.

ARENDT, H.. Sobre a violência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

BAUMAN, Z.. Amor Líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

BAUMAN, Z.. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BERQUE, A.. A cosmofania das realidades geográficas. Geograficidade, Niterói, v.7, n.2, p.4-16, 2017.

BERQUE, A.. Geogramas, por uma ontologia dos fatos geográficos. Geograficidade, Niterói, v.2, n.1, verão, p.4-12, 2012.

BHABHA, H. K. O local da cultura. Belo Horizonte: editora UFMG, 2013.

CAPEL, H.. Neopositivismo e Geografia Quantitativa. In: CAPEL, H.. Ruptura e continuidade no pensamento geográfico. Maringá: EDUEM, 2013. p.81-110.

CLOZIER, R.. História da Geografia. Lisboa: Publicações Europa-América, 1988.

COHEN, A. P.. Culture as identity: An Anthropologist´s view. New Literary History, Baltimore, v.24, p.195-209, 1993.

COSGROVE, D.. Ideas and culture: a response to Mitchell. Transactions of the Institute of British Geographers, Londres, v.21, p.574-575, 1996.

CUNHA, L. A. G.. Sobre o conceito de região. Revista de História Regional, Ponta Grossa, Ano 5, número 2, p. 39-56, inverno de 2000.

DOLLFUS, O.. O Espaço Geográfico. São Paulo: Difel, 1982.

DUNCAN, J.; DUNCAN, N.. Reconceptualizing the Idea of Culture in Geography: A Reply to Don Mitchell. Transactions of the Institute of British Geographers New Series, Londres, v.21, n.3, p.576-579, 1996.

EAGLETON, T.. As ilusões do pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

FRENKEL, S.. Geography, Empire, and Environmental Determinism. Geographical Review, Londres, v.82, n.2, p.143-153, 1992.

GILROY, P.. Race ends here. Ethnic and racial studies, Abringdon, vol. XXXI, nº5, pp.838-847, 1998.

HAESBAERT, R.. Região, diversidade territorial e globalização. Geographias, Niterói, Ano 1, Número 1, p.15-39, 1999.

HAESBAERT, R.. Regional-Global: Dilemas da Região e da Regionalização na Geografia Contemporânea. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010, 208 p.

HALBWACHS, M.. A Memória Coletiva. São Paulo: Editora Vértice, 1990.

HALL, R. B.. The Geographic Region: A Resumé: Annals of the Association of American Geographers, Washington DC, v.25, n.3, p.122-136, 1935.

HALL, S.. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HALL, S.. Pensando a diáspora: reflexões sobre a terra no exterior. In: HALL, S.; SOVIK, L. (Org.). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: editora UFMG, 2013. p. 27-55.

HARTSHORNE, R.. Propósitos e natureza da Geografia. São Paulo: Hucitec Edusp, 1978.

HARVEY, D.. Condição Pós-Moderna. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

HARVEY, D.. Explanation in Geography. Bristol: Edward Arnold, 1986.

HUNTINGTON, S.. O Choque das Civilizações. Rio de Janeiro: Objetiva, 1997.

INGOLD, T.. The temporality of the landscape. World Archaelogy, Abingdon, v.25, n.2, p.152-174, 1993.

JACKSON, P.. Constructions of “Whiteness” in the geographical imagination. Area, Londres, v.30, n.2, p.99-106, 1998.

JACKSON, P.. The idea of culture: a response to Don Mitchell. Transactions of the Institute of British Geographers, Londres, v.21, p.572-573, 1996.

JOHNSTON, R. J. Geografia e Geógrafos. São Paulo: Difel, 1986.

KONG, Lily L. L. A “new” cultural geography? Debates about invention and reinvention. Scottish Geographical Magazine, Perth, v.113, n.3, p.177-185, 1997.

LEMOS, A. I. G.. Geografia da modernidade e geografia da pós-modernidade. Geousp – Espaço e Tempo, São Paulo, v.3, n.1, p. 27-39, 1999.

LENCIONI, S.. Região e Geografia. São Paulo: Edusp, 2014, 214 p.

LÉVI-STRAUSS, C.. Le cru et le cruit. Paris: Plon, 1967.

MCLUHAN, H. M.; FIORE, Q.. Guerra e Paz na Aldeia Global. Rio de Janeiro: Record, 1971.

MILLS, C. A. “Life on the upslope”: the postmodern landscape of gentrification. Environment and Planning D: Society and Space, Dorchester, v.6, p.169-189, 1988.

MITCHELL, D.. Book review of Writing Worlds: Professional Geographer, Washington DC, v.45, i.4, p.474-475, 1993.

MITCHELL, D.. There's No Such Thing as Culture: Towards a Reconceptualization of the Idea of Culture in Geography. Transactions of the Institute of British Geographers New Series, Londres, v.20, n.1, p.102-116, 1995.

PEDROSA, B. V.. O império da representação: a virada cultural e a geografia. Espaço e Cultura, Rio de Janeiro, n.39, p.31-58, 2016.

SAÏD, E.. Orientalismo. São Paulo: Companhia de Bolso, 2007.

SANTOS, M.. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2012.

SILVA, L. L. S.. A supressão da geografia no exercício da alteridade. Geosaberes, Fortaleza, v.9, n.17, p.1-13, 2018a.

SILVA, L. L. S.. As duas faces da supressão da experiência histórica. Revista de História Bilros, Fortaleza, v.6, n.11, p.36-55, 2018b.

SILVA, L. L. S.; COSTA, A.. A inadequação das regionalizações culturais mediante os pressupostos do pós-colonialismo. Geotextos, Salvador, v.14, n.1, p.225-247, 2018a.

SILVA, L. L. S. ; COSTA, A.. Cultura como comunidade imaginada: uma crítica à abordagem ontológica da cultura nos estudos geográficos. Geografias, Belo Horizonte, v.16, n.1, p.27-41, 2018b.

SILVA, L. L. S.; COSTA, A.. Questionando as delimitações cartográficas da cultura. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v.21, n.73, p.445-457, 2020.

SILVEIRA, Maria Laura. O espaço geográfico: da perspectiva geométrica à perspectiva existencial. Geousp - Espaço e Tempo, n.19, p.81-91, 2006.

VALENTINE, G.. Whatever happened to the social? Reflections on the “cultural turn” in British Human Geography. Norwegian Journal of Geography, Kristiansand, v.55, p.166-172, 2001.

VIRILIO, P.. Speed and Politics. MIT Press, Los Angeles, 2007, 174 p.

Downloads

Publicado

2021-09-17 — Atualizado em 2020-12-18

Versões

Como Citar

SILVA, L. L. S. da; COSTA, A. O desconforto das regiões e das classes. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 24, n. 3, p. 533-546, 2020. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.173481. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/173481. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos