CARTOGRAFIA DINÂMICA: TEMPO E ESPAÇO NOS MAPAS

Autores

  • Marcelo Martinelli Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2005.73972

Palavras-chave:

Cartografia dinâmica, visualização cartográfica, mapas animados, animação interativa.

Resumo

A abordagem da realidade espacial por mapa não pode ignorar a dimensão temporal, pois a representação do espaço social considerará uma vida no tempo, no presente e no passado. A dinâmica da sociedade altera-se no tempo, imprimindo mudanças no espaço. Assim, a representação do espaço registrará combinadamente, marcas do passado e transformações do presente.Minard estabeleceu as bases para as representações dinâmicas em 1840. Ele inventou os Mapas de fluxos. No presente, a revolução tecnológica colocou a cartografia dinâmica em correspondência com a manipulação interativa da informação espacial. Com esta inovação surgem dois novos modos de expressão: a interação e a animação, que confirmarão uma cartografia mais consistente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Martinelli, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

Professor Doutor do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Referências

Antunes, A. R. et al., 1993, Estudos Sociais. Teoria e prática. ACCESS Editora, Rio de Janeiro.

Artimo, K. “The bridge between cartographic and geographic information systems”. In: Mac. Eachren, A. M. e Taylor, D. R. F.(ed.), 1994, Visualization in modern cartography. Elsevier, Oxford.

Bertin, J., 1973, Sémiologie graphique: les diagrammes, les réseaux, les cartes. Mouton, Gauthier - Villars, Paris.

Claval, P. e Wieber, J-C., 1969, La cartographie thématique comme méthode de recherche. Les Belles Lettres, Paris.

Cole, J. P. e King, C. A. M, 1968, Quantitative geography. Techniques and theories in geography. John Wiley and Sons Ltd, London.

Cuenin, R., 1972, Cartographie générale (tome 1), Eyrolles, Paris, Deus, J.B., 1995,”Um breve comentário sobre o espaço e o tempo em geografia. Boletim Goiano de Geografia, 115(1): 109-116.

DiBiase, D. et al., 1994, “Multivariate display of geographic data: applications in earth system science”. In: Mac. Eachren, A. M. e Taylor, D. R. F. (ed.), 1994, Visualization in modern cartography. Elsevier, Oxford.

Ducan, D. E., 1998, The calendar. London. Epstein, M., 1990, “Animation in the classroom: a low cost, educationally effective approach”. T.H.E. Journal: 54-58.

Gomes, H., 1991, Reflexões sobre teoria e crítica em Geografia. CEGRAF/UFG, Goiânia.

Joly, F., 1976, La cartographie. PUF, Paris, Libault, A., 1960, Histoire de la cartographie. Chaix, Paris.

Libault, A., 1975, Geocartografia. Nacional/USP, São Paulo.

Lobben, A., 2003, “Classification and application of cartographic animation”. The Professional Geographer, 55(3): 318-328.

Mac. Eachren, A. M. e Taylor, D. R. F. (ed.), 1994, Visualization in modern cartography. Elsevier, Oxford.

Martinelli, M. 2003, Cartografia temática: caderno de mapas. EDUSP, São Paulo.

Martinelli, M., 1991, Curso de cartografia temática. Contexto, São Paulo.

Martinelli, M., 1998, Mapas e gráficos: construaos você mesmo. Editora Moderna, São Paulo.

Martinelli, M., 1999, As representações gráficas da geografia: os mapas temáticos. Edição do Autor (tese de livre-docência), São Paulo.

Martinelli, M., 2003, Os mapas da geografia e cartografia temática. Contexto, São Paulo, Mc. Harg, I. L., 1969, Design with nature. The Falcon Press, Philadelphia.

Muehrcke, Ph. C., 1983, Map use: reading, analysis and interpretation. Madison, J. P. Publications, Nova York.

Muller, J-C., 1984, “Ignorance graphique ou cartographie de l’ignorance?” Cartographica, 20 (3): 17-30.

Pitte, J.R., 1991, Géographie terminales. Nathan, Paris.

Ribeiro, W. C., 1988, “Relação espaço/tempo: considerações sobre a materialidade e dinâmica da história humana”. Terra Livre, (4): 39-54.

Rimbert, S. 1968, Leçons de cartographie thématique. Sedes, Paris.

Rimbert, S., 1990, Carto-graphies, Hermes, Paris.

Rocha, R. U. M., 1974, “Subsídios à regionalização e classificação funcional das cidades: estudo de caso - Estado de São Paulo”. Revista Brasileira de Geografia, 36 (3): 30-74.

Santos, M., 1982, Pensando o espaço do homem. Hucitec, São Paulo.

Santos, M., 1994, Técnica, Espaço, Tempo. Globalização e meio técnico - científico informacional. Hucitec, São Paulo.

Silva, B. C. N., 1982, “Previsão através de mapas de probabilidades – o caso das precipitações anuais no Estado da Bahia”. Geografia, 7(13-14): 101-109.

Steinberg, J. e Usser, J.,1988, Cartographie dynamique applicable à l’aménagement. Sedes, Paris.

Tuan, Y., 1974. Topophilia: a study of environmental perception, attitudes, and values. Prentice - Hall Inc. Englewood Cliffs, New Jersey.

Downloads

Publicado

2005-08-30

Como Citar

MARTINELLI, M. CARTOGRAFIA DINÂMICA: TEMPO E ESPAÇO NOS MAPAS. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 9, n. 1, p. 53-66, 2005. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2005.73972. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/73972. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos