NOTAS SOBRE A MODERNA COMERCIALIZAÇÃO DE ALIMENTOS NA EUROPA: O CASO DA FUNDAÇÃO MAX HAVELAAR.

Autores

  • Marco Mitidiero Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2005.73976

Palavras-chave:

Organizações de mediação, alimentos ecologicamente corretos, Fundação Max Havelaar.

Resumo

O presente texto é resultado de uma pré-pesquisa a respeito da comercialização de alimentos “alternativos” (ecologicamente corretos) no mercado europeu. Os relatos e as reflexões desenvolvidas atentam para novas formas de produção, comercialização e consumo impulsionados por organizações de mediação e apoiadas por parte da sociedade civil, visando a negar as formas tradicionais de comércio dominadas pela ação das multinacionais. O estudo da formação da marca holandesa Max Havelaar será apresentada neste texto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Mitidiero, Universidade Federal da Paraíba

Mestre e doutorando em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo, Professor Substituto do Departamento de Geociências da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Referências

Fanfani, Roberto – L´agricoltura in Itália. Dalla riforma agrária alle colture biologiche. Bologna: il Mulino Editore, 1998.

Fórmica, Carmelo – Geografia dell´Agricoltura. Roma: Ed. La Nuova Itália Scientifica, 2002.

Turri, Eugenio – La conoscenza del território. Venezia: Marsílio Editore, 2002.

Roozen, Nico; Hoff, Frans van der – Max Havelar. L´avventura del commercio equo e solidale. Milano: Ed. Feltrinelli, 2003.

Downloads

Publicado

2005-08-30

Como Citar

MITIDIERO, M. NOTAS SOBRE A MODERNA COMERCIALIZAÇÃO DE ALIMENTOS NA EUROPA: O CASO DA FUNDAÇÃO MAX HAVELAAR. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 9, n. 1, p. 115-126, 2005. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2005.73976. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/73976. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos