CARACTERIZAÇÃO MICROCLIMÁTICA DOS MANGUEZAIS DA BARRA DO RIBEIRA-IGUAPE/SP E SUAS RELAÇÕES COM OS ASPECTOS FISIONÔMICOS DA VEGETAÇÃO

Autores

  • Emerson Galvani Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia
  • Nádia G.B de Lima Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2006.74009

Palavras-chave:

Microclima, Manguezal, Atributos e controles climáticos, Barra do Ribeira.

Resumo

As pesquisas desenvolvidas na área de climatologia têm sido, voltadas para a escala regional e local. Entretanto, devido à atenção dada, atualmente, aos estudos ambientais e, com isso, à necessidade de estudos em escalas inferiores do clima, com análises mais detalhadas, os estudos microclimáticos acabaram ganhando destaque. Os manguezais que se destacam no Sistema Costeiro Cananéia-Iguape representam comunidades vegetais adaptadas a várias condicionantes físicas atuantes nas zonas costeiras, entre elas, as climáticas. Neste sentido, a vegetação de uma determinada área está relacionada às características físicas, químicas e biológicas do meio em que está inserida. Assim, a presente pesquisa tem como finalidade realizar uma análise fisionômica da vegetação de manguezal, identificando a relação existente entre as principais características físicas do ambiente, com destaque aos aspectos microclimáticos. Ao comparar os dados estruturais da vegetação e relacioná-los com os atributos climáticos, confirmou-se a importância da vegetação como controlador climático, principalmente quando a escala de trabalho é a microclimática.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Emerson Galvani, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

    Prof. Dr. do Departamento de Geografia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. Laboratório de Climatologia e Biogeografia – LCB.

  • Nádia G.B de Lima, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

    Geógrafa - Departamento de Geografia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. Laboratório de Climatologia e Biogeografia – LCB.

Referências

ARMANI, G. Interações entre a atmosfera e a superfície terrestre: variações da temperatura e umidade na bacia B do Núcleo Cunha (IF) - SP. São Paulo, 2004. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) - FFLCH, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

ARMANI, G.; GALVANI, E. avaliação do desempenho de um abrigo meteorológico de baixo custo. Artigo submetido a publicação na Revista Brasileira de Agrometeorologia, fevereiro de 2005 (no prelo).

BERTRAND, G. Paisagem e geografia física global: esboço metodológico. Trad. Olga Cruz. Caderno de Ciências da Terra, São Paulo, Inst. de Geografia, Universidade de São Paulo, 13, 1971.

CINTRÓN, G.; SHAFFER-NOVELLI, Y. Guia para estudo de áreas de manguezal - estrutura, função e flora. São Paulo: Caribbean Ecological Research, 1986.

CUNHA-LIGNON, Marília. Dinâmica do manguezal no sistema de Cananéia-Iguape, Estado de São Paulo - Brasil. São Paulo, 2001. Dissertação (Mestrado em Oceanografia) - Instituto Oceanográfico, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

DIEGUES, A. C. S. Povos e águas - inventário das áreas úmidas brasileiras. 2. ed. São Paulo: NUPAUB/USP, 2002.

DINIZ, Amarildo; FURLAN, Sueli A. Relações entre classificações fitogeográficas, fitossociologia, cartografia, escalas e modificações sócio-culturais no Parque Estadual de Campos do Jordão (SP). Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, USP, n. 12, p.123-161, 1998.

HERZ, Renato. Distribuição dos padrões espectrais associados a estrutura física dos manguezais de um sistema costeiro subtropical. São Paulo, 1988. Tese (Livre Docência) - Instituto Oceanográfico, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988.

MARIN, Fabio R. et al. Solar radiation interception and its relation with transpiration in different coffee canopy layers. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Santa Maria, v. 11, n. 1, 2003.

MILANESI, Marcos A.; GALVANI, Emerson. Pluviômetro experimental para localidades remotas. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 11, 2005, São Paulo. Anais... Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2005.

MIRANDA, Ricardo A. C. et al. Interceptação de chuva em cafezais adensados da região serrana centro-norte fluminense. Revista Brasileira de Agrometeorologia. Santa Maria, v. 12, n.2, 2004.

MONTEIRO, Carlos. A. F. Análise rítmica em climatologia: Problemas da atualidade climática em São Paulo e achegas para um programa de trabalho. Climatologia I. Instituto de Geografia, Universidade de São Paulo, 1971.

MONTEIRO, Carlos. A. F. Teoria e clima urbano. São Paulo, 1976. Tese (Livre Docência) - Instituto de Geografia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1976.

PEREIRA, Antônio, R.; ANGELOCCI, Luiz R.; SENTELHAS, Paulo C. Agrometeorologia: fundamentos e aplicações práticas. São Paulo: Editora Agropecuária, 2002.

RODRIGUES, Cleide. A teoria geossistêmica e sua contribuição aos estudos geográficos e ambientais. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 14, p. 69-77, 2001.

ROSS, Jurandyr L. S. Geomorfologia e geografia aplicada à gestão territorial : teoria e metodologia para o planejamento ambiental. São Paulo, 2001. Tese (Livre Docência) – FFLCH - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

ROSS, Jurandyr L. S.; MOROZ, Isabel C. Mapa geomorfológico do estado de São Paulo. Escala 1: 500.000. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas, v. I/II, 1997.

ROSSI, Marcio; MATTOS, Isabel Fernandes de A. Solos de mangue do estado de São Paulo: caracterização química e física. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 15, p. 101-113, 2002.

SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE. Macrozoneamento do complexo estuarino-lagunar de Iguape e Cananéia: plano de gerenciamento costeiro. São Paulo: SMA, 1990.

SETTI, Denise M. O holorritmo e as interações trópico-extratrópico na gênese do clima e as paisagens do Mato Grosso. São Paulo, 2000. Tese (Doutorado em Geografia Física) – FFLCH - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

SHAFFER-NOVELLI, Y et al. Manguezal: ecossistema entre a terra e o mar. São Paulo: Caribbean Ecological Research, 1995.

SUGUIO, Kenitiro; TESSLER, Moysés G. Depósitos quaternários da planície de Cananéia-Iguape. São Paulo: DPNM, 1992.

TARIFA, J. R. Os fluxos Polares e as chuvas de primavera verão no estado de São Paulo. FFLCH, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1975.

VAREJÃO-SILVA, Mario.A. Meteorologia e Climatologia. Recife: versão digital, 2005. - acesso em 12/08/05. Sites Consultados: . Acesso em: setembro e outubro de 2005.. Acesso em: 04/05/2005, 12/08/2005, 01/09/2005 e 03/10/2005. . Acesso em: 12/09/2005.

Downloads

Publicado

2006-04-30

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

GALVANI, Emerson; LIMA, Nádia G.B de. CARACTERIZAÇÃO MICROCLIMÁTICA DOS MANGUEZAIS DA BARRA DO RIBEIRA-IGUAPE/SP E SUAS RELAÇÕES COM OS ASPECTOS FISIONÔMICOS DA VEGETAÇÃO. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 10, n. 1, p. 79–100, 2006. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2006.74009. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74009.. Acesso em: 23 jul. 2024.